terça-feira, maio 05, 2015

Rotina

Passamos pelas coisas sem as ver,
gastos, como animais envelhecidos:
se alguém chama por nós não respondemos,
se alguém nos pede amor não estremecemos,
como frutos de sombra sem sabor,
vamos caindo ao chão, apodrecidos.

Eugénio de Andrade


















2 comentários:

Nina Filipe disse...

Olá Lisa minha amiga a gente somos como tempo, tempo vai, tempo vem mas, esta nossa vida é quando se for jamais volta.
Amiga quando se chega a uma certa altura da vida o tempo, ou passa muito rápido sem que consigamos fazer tudo o que queremos, ou temos de o matar de qualquer jeito, então como fiquei muito dependente da casa vou vivendo em função do meu PC pois já pouco mais tenho de fazer.
Gostei de te ver, podemos perder um amigo mas nunca o prazer de o termos tido.
Beijinhos de luz e muita paz.

Mona Lisa disse...

Quem vive na rotina, não vive...existe.

Adorei o poema.

Obrigada pela partilha.

Beijinhos.