quinta-feira, maio 07, 2015

Muita coisa em mim deixou marcas e muita saudade, dos filhos pequenos, dos dias de pesca onde não faltava o farnel, e que bem ele sabia nas margens do Douro. Os lanches da tarde fosse inverno ou verão, dos banhos de mangueira no jardim pelo meio da tarde quando o calor apertava. Não é saudosismo, mas sim boas lembranças que ficam. O meu trabalho onde sempre me empenhei acima de tudo e nunca olhei ao dinheiro que me deviam dar a mais? O meu semelhante estava acima de tudo, hoje o que vejo, egoísmo e valores  esquecidos. Quando os dias estão mais nostálgicos  aí vem ao de cima o tal livro da vida.

Lisa




















terça-feira, maio 05, 2015

Rotina

Passamos pelas coisas sem as ver,
gastos, como animais envelhecidos:
se alguém chama por nós não respondemos,
se alguém nos pede amor não estremecemos,
como frutos de sombra sem sabor,
vamos caindo ao chão, apodrecidos.

Eugénio de Andrade