terça-feira, setembro 30, 2014

Setembro se faz a caminho e de passo apresado porque a noite espera o dia que se aproxima.
Ainda sinto no ar o cheiro das flores, que vão perdendo o brilho no jardim da praça ou da casa.
Se arruma as mesas, e cadeiras que serviram almoços e jantares de familiares e amigos.E antes que o tempo arrefeça de novo,se vai pintar o muro para dar um ar mais limpo em redor da casa. Durante o dia ainda o calor nos surpreende,ontem fomos ver quando será a vindima, as uvas estão prontas para entrar no lagar, se passou mais um ano. Esperamos voltar como a primavera,  até lá haja saúde para que os olhares se voltem a encontrar de novo.

Lisa





quinta-feira, setembro 25, 2014

Outono se faz ao caminho, em passo apresado e preciso. No caminhar,  deixo a marca das solas que pisam cada folha, sinto alguma tristeza em cada paço como um ai.
Fica a promessa e o pensamento , de as voltar a ver verdes na próxima primavera.












Me sento e relaxo, no banco mais enfeitado,senti paz e conversei
com elas, as folhas e seu passado.













Lisa

sábado, setembro 20, 2014

Canção da tarde no campo

"Caminho do campo verde
estrada depois de estrada.
Cerca de flores, palmeiras,
serra azul, água calada.
Eu ando sozinha
no meio do vale.
Mas a tarde é minha.
Eu ando sozinha
por cima de pedras.
Mas a tarde é minha.
Eu ando sozinha
por dentro de bosques.
Mas a fonte é minha.
Eu ando sozinha
ao longo da noite.
Mas a estrela é minha."

Cecília Meireles