quinta-feira, julho 03, 2014

Poema

"A minha vida é o mar o Abril a rua
O meu interior é uma atenção voltada para fora
O meu viver escuta
A frase que de coisa em coisa silabada
Grava no espaço e no tempo a sua escrita
Não trago Deus em mim mas no mundo o procuro
Sabendo que o real o mostrará
Não tenho explicações
Olho e confronto
E por método é nu meu pensamento
A terra o sol o vento o mar
São a minha biografia e são meu rosto
Por isso não me peçam cartão de identidade
Pois nenhum outro senão o mundo tenho
Não me peçam opiniões nem entrevistas
Não me perguntem datas nem moradas
De tudo quanto vejo me acrescento
E a hora da minha morte aflora lentamente
Cada dia preparada”

Sophia de Mello Breyner Andresen















5 comentários:

Graça Pereira disse...

A delicadeza de Sophia.... Pegava mas palavras com cuidado e bordava os mais belos poemas!!
A alma de Sophia paira por cima do mar, da cidade onde nasceu e por cima das "suas" árvores que tanto amou...ali, no Jardim Botânico do Porto.
Beijo amigo e um bom verão.
Graça

Mona Lisa disse...

Belíssima escolha com que homenageias Sophia de M. B.

Beijinhos.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Um poema maravilhoso de Sophia que adoro ler.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

ONG ALERTA disse...

Lindíssimo, beijo Lisette.

Maria Rodrigues disse...

Excelente escolha, este poema é lindo!
Beijinhos
Maria