quinta-feira, abril 24, 2014

Pensei que hoje seria um dos dias ideais para escrever por aqui. Sei que nem todos gostam da data, uns por uma coisa outros por outra. Mas para falar verdade eu gosto e ponto final, mas para dizer gosto se tem que sentir o gosto eu o tive a 40 anos.Quando se mora na província como diziam na altura, as noticias chegavam lentas e demoradas,  já o golpe para derrubar o regime tinha sido de madrugada e só o soube pelo meio da manhã, nesse dia os meninos não foram a escola e curiosidade era muita para se saber coisas. Foi um raiar de esperança, apesar de não estar tão mal como muitos na altura infelizmente, mas a partir desse dia tudo despertou para o melhor, podia ouvir a música que gostava, ler o que gostava, e sentir a liberdade expressa nos sentimentos, a guerra iria acabar e não sentiria o coração apertado em mandar um filho para a frente daquela que foi a guerra mais injusta, em defesa dos interesses coloniais.
As memórias são muitas e teria que escrever sem fim tantas foram elas, daí para a frente ainda tivemos muita coisa a travar, ódios principalmente que estavam adormecidos.
Depois de tanta coisa alcançada e ver a crescer um país finalmente democrático e Europeu, nos vêem agora roubar os sonhos, a esperança, estragar a nossa saúde, a educação, entregar os filhos e netos a imigração!!!Não não quero este Abril de cravo vermelho, esta gente não presta vende a pátria ao diabo,quero sim um raiar novo e um despertar de madrugada, quero o meu Portugal de novo,de bandeira verde e vermelha a flutuar ao vento em caravelas neste mar que é o nosso.
Viva Abril sempre!










Foto do google.

2 comentários:

O Puma disse...

Em MAIO

recriar os cravos

Vieira Calado disse...

E inaugura-se hoje, uma Grande Exposição sobre o tema, em Lagos.
Eu participo com poemas ilustrados e vídeos.
SE quiser pode ver algo, no meu blog.
Beijinhos