segunda-feira, fevereiro 10, 2014

'Chovia e eu estava como numa floresta de harpas'

Chovia e eu estava como numa floresta de harpas:
que musica tocarão meus inábeis dedos nas águas celestes?

Nós somos uns grandes cometas com véus de acontecimentos
arrastados atrás de nós, e cada dia dilatados.

Nós somos uns solitários faróis projetando-nos sobre a noite.
Deixai-me tocar a musica de hoje, inábil, que fica entre o que passou e
o que talvez não venha."

Setembro, 1962

Cecília Meireles
In: Poesia Completa


















Foto daqui:www.papeldeparede.etc.br



3 comentários:

Lídia Borges disse...


Linda escolha! Cecília Meireles, quanta delicadeza e beleza.

Obrigada!

Tenho tido dificuldades em comentar, pois ao abrir a página dão-me a informação de que o teclado está bloqueado. Hoje consegui.

Um beijo

Mona Lisa disse...

Beleza e suavidade nesta tua soberba escolha.

Beijinhos.

Mar Arável disse...

Que vivam os faróis

Bj