quinta-feira, novembro 28, 2013

Por vezes um blog tem a finalidade de escrever, sentimentos, dores, revoltas, sorrisos e coisas que nos enobrece. Atualmente vimos tanta desgraça  em volta do dia de cada um que pensamos que aja remédio para tanta dor.
Já estive algumas vezes para fechar este espaço,mas tenho alguns amigos por quem tenho respeito e amizade,como tal a decisão não é fácil de tomar.
Felizmente da minha parte a vida se faz normalmente, agora que estou aposentada, pensava eu que as preocupações eram a saúde, mas não, é esta incerteza diária a que nos expuseram que nos deixa sem vontade de prosseguir, muito dei a causa dos outros, vi muita dor e sofrimento, mas passados estes anos de Abril, nunca pensei em ler e ver com os meus olhos tanta dor, quem não quer ver anda distraído da dor humana .

Lisa


domingo, novembro 24, 2013

No inverno o mar trás mais recordações, gosto de olhar para ele mesmo que esteja bravo, e não ouça o meu sentir, leva tudo em frente, e de nada se retrai, assim devia ser cada um de nós. Como não me deixou o acariciar, só encostei a fase e lhe dei meu cabelo para o enfeitar de salpicos, molhou meus olhos para recolher a lágrima, e a levou consigo, num dia próximo a vou buscar e ver como ele a tratou. Por vezes sentimos tanto dissabor de tantos, que só ficamos felizes em olhar para a natureza, que sempre nos dá o prazer de conversar, e a ter por companhia.

Lisa












Foto:Gina Femrite

quarta-feira, novembro 13, 2013

Não é tão simples viver a vida. As vezes, ela contém capítulos imprevisíveis e inevitáveis.
Todo ser humano passa por turbulências em sua vida. A alguns falta o pão na mesa; a outros, a alegria na alma. Uns lutam para sobreviver.
Outros são ricos e abastados, mas mendigam o pão da tranquilidade e da felicidade.
Por isso há miseráveis que moram em palácios e ricos que moram em casebres.
A vida é belíssima, mas não é tão simples vivê-la. Às vezes, ela se parece com um imenso jardim.
De repente, a paisagem muda e ela se apresenta árida como um deserto ou íngreme como as montanhas. Independentemente dos penhascos que temos de escalar, cada ser humano possui uma força incrível.
E muitos desconhecem que a possuem."

Augusto Cury


Palavras que tão bem cai, nos tempos que todos nós um pouco estamos a viver, as luzes no fundo do túnel andam apagadas e não vejo forma de elas acenderem, isto sou eu a pensar claro.