sábado, maio 11, 2013

Que vale perguntar a cada um como é ou como será. Sim cada dia é uma incógnita sem sentido e sem destino, será que já pensaram naqueles que moram e vivem de solidão, de mãos enrugadas que nada sabem, e porque ninguém lhe diz o que se passa em sua volta.
Tenho um nó na garganta quando penso, que passados estes anos todos teria de ver os mesmos a sofrer a deambular pelas ruas, esticando a mão para a esmola. A quem devo perguntar, a ti a mim, porque está a acontecer esta ruína, que todos os dias assistimos impávidos e serenos para este bando de malfeitores que dominam a nossa sociedade. Será que tem filhos, pai e mãe, e não saibam olhar para o lado e ver a miséria que abunda pelo povo! Só posso largar um grito de raiva e dor, por ver todos os dias crianças e jovens sem ter que comer.
Um dia, e não vai a tanto tempo me aposentei, dei o meu melhor no meu trabalho,nunca faltei, dei muitos dias que lhe perdi a conta de voluntariado, alguém agradeceu? Não, antes pelo contrário, continuam a assaltar todos os dias a carteira a ver se fica sem nada. Por tal motivo continuo sem ver a esperança e a luz que tenta fugir, já mais parece uma candeia onde o azeite acaba de arder.
Pergunto que mal fizemos nós, pensionistas, reformados e funcionários públicos, a este bando que governa este país?















Foto da net.

1 comentário:

Mona Lisa disse...

Vivemos numa dolorosa insegurança.

Não vejo fim à vista e cada vez mais sinto que batemos no fundo!

Beijinhos.