sexta-feira, maio 17, 2013

A PALAVRA

Já não quero dicionários
consultados em vão.
Quero só a palavra
que nunca estará neles
nem se pode inventar.


Que resumiria o mundo
e o substituiria.

Mais sol do que o sol,
dentro da qual vivêssemos
todos em comunhão,
mudos,
saboreando-a.


Carlos Drummond de Andrade



4 comentários:

Mar Arável disse...

Palavras vivas

Nilson Barcelli disse...

Uma excelente escolha poética.
Querida amiga Elisa, tem um bom fim de semana.
Beijo.

vieira calado disse...

Pois, no fundo, é isso que procuram os poetas!
Beijinho para si!

Mona Lisa disse...

Uma palavra difícil de encontrar.

Obrigada pela belíssima escolha e partilha.

Beijinhos.