quarta-feira, abril 24, 2013


Abril de Abril

Era um Abril de amigo Abril de trigo
Abril de trevo e trégua e vinho e húmus
Abril de novos ritmos novos rumos.

Era um Abril comigo Abril contigo
ainda só ardor e sem ardil
Abril sem adjectivo Abril de Abril.

Era um Abril na praça Abril de massas
era um Abril na rua Abril a rodos
Abril de sol que nasce para todos.

Abril de vinho e sonho em nossas taças
era um Abril de clava Abril em acto
em mil novecentos e setenta e quatro.

Era um Abril viril Abril tão bravo
Abril de boca a abrir-se Abril palavra
esse Abril em que Abril se libertava.

Era um Abril de clava Abril de cravo
Abril de mão na mão e sem fantasmas
esse Abril em que Abril floriu nas armas. 


Manuel Alegre















foto google.

segunda-feira, abril 22, 2013


O mar corre ao longo do pratedo das ondas,
onde o sol o espera de vários tons
Os olhos se fecham cansados do breve momento
A luz do silêncio me ilumina o rosto
que se perde no horizonte!
Ficou comigo o instante,a beleza
e esta vontade de te olhar em fim de tarde

Lisa






terça-feira, abril 09, 2013


O "homem" e toda a sua ganância irá acabar consigo próprio, ele cria, mas logo de seguida destrói, ele faz a paz e de seguida cria a guerra, vende as armas mata, depois reclama. O "homem" protege a natureza, faz mil e uma coisa para a preservar de seguida grandes calamidades nos afligem porque o "homem" não tomou conta como devia de tudo que tentou defender. Ele faz grandes projetos  comunicações, tecnologias. Tudo  que cria é topo de gama, mas tudo isso é só para senhores. A grande verdade, é só para quem vive em volta destes criadores de ilusões de grandes grupos econômicos.  Nunca a maioria das pessoas que habitam neste planeta vão usufruir de tantas descobertas. E estes pedem tão pouco para continuarem a viver com dignidade,pedem trabalho,educação um tecto. Porque na verdade continuamos a ser robot mandados por alguns para nos aprisionarem na teia que o dito "homem" criou a seu belo prazer. Ninguém se iluda,vivemos em democracias que não respeitam os seus cidadãos,e tudo tentam para passar por cima de leis e todo que lhe barrar o caminho, para defessa sim, do grande poder econômico que abunda pelo mundo, assim vejo o "homem" do século XXl e não tem remédio. Cada dia pior, e continuamos a ver aos olhos do dia, toda esta destruição dos povos do mundo


Lisa















segunda-feira, abril 08, 2013

Girassóis

Os girassóis velejam na paisagem.
São mensageiros das searas densas
que se alongam ao longe a conversarem
com as papoulas que o calor incende.

Re recado recente eles me trazem
neste sussurro que nem eu entendo?

Antonio Salvado