segunda-feira, setembro 05, 2011

Os dias vão passando e o verão parece que nos deixou,paira no ar a brisa de Setembro que trás a saudade do mar,do rio e da serra.Ao entrar neste mês vou rebuscar o livro da vida escrever nele na página que tenho sempre em branco, pensar nas coisas que fiz,outras que deixei por fazer por falta de tempo.As palavras...essas as digo sempre de coração aberto, mesmo que custem  tenho que as dizer.Mas Setembro tem seus encantos,o cheiro das uvas no lagar,o caminhar até a serra,olhar os pastores com suas ovelhas,tomar o meu chá pelas tarde,e tanto para fazer nas tardes frias,como ler aquele livro embrulhada na manta de lã.
Só deixei o olhar nas casas piscatórias,  nos barcos no cais, o cheiro do sargaço pela manhã ,o sol poente que queima o olhar pelo fim da tarde,dos sorrisos abertos,sim porque a vida sem sorrisos e esperança não tem valor,é vida vazia.
O meu livro está sempre comigo,tenho sempre uma página em branco para escrever nele,vou tentando o fazer até que um dia venha um neto e pergunte! Me diz algo de ti que eu não saiba e como eras.Então lhe direi,sempre gostei de ser livre de pensamento,gosto de amar as coisas as pessoas,dei o melhor de mim nos anos áureos da vida,nunca fugi aõs desafios,adoro os meus filhos o meu marido.Amo a natureza e tudo que ela tem,não tenho tanta fé nos homens que dão cabo do mundo em prol do dinheiro,a esses tenho compaixão,um dia virá alguém lhe pedir contas do mal que causou ao mundo com suas mentiras, hipocrisia,deslealdade,guerras,fome,e um sem nome de coisas.
Quem ama e sabe dar amor, tem a consciência tranquila dorme descansado,sem pensar que fez mal e não cumpriu com aquilo que foi destinado como ser humano
Lisa















2 comentários:

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

A proximidade do Outono torna-nos nostálgicas e as recordações fluem...

Bjs.

Menina Marota disse...

Lindo caderno de folhas cheias de amor e sensibilidade.
Grata pela partilha.
Um grande abraço