sábado, agosto 27, 2011

Queridos amigos. Este blog vai estar de férias curtas,a dona vai descansar um pouco que anda a precisar.Vou ver se encontro um pouco de sol e bom tempo.Quando vier visitarei todos como sempre.Até lá sejam felizes,com um sorriso simples e amigo,um coração grande para guardar as emoções,amor sempre presente em cada minuto da vida,sem um pouco de cada coisa não há felicidade,até daqui a uma semana.Beijinhos.


quarta-feira, agosto 24, 2011

Relato

Pouso a mão sobre a mesa,e vejo nela
o mapa de um inóspito país.
Mar em redor,o mármore da mesa.
E tão-pouco uma vela de incerteza
sugere as longas viagens que não fiz.

Da mão para a memória as sensações
imigram todas.Mas não partem nunca
para um destino heróico de mar-alto:
que só de crispações
e sobressalto
o litoral inóspito se junca.

David Mourão Ferreira
Obra poética-1948-1988





segunda-feira, agosto 15, 2011

Caminha devagar:
desse lado o mar sobe ao coração.
Agora entra na casa,repara no silêncio,é quase branco.
Há muito tempo que ninguém se demorou a contemplar
os breves instrumentos do verão.
Pelo pátio rasteja ainda o sol.Canta na sombra
a cal, a voz acidulada.

Eugénio de Andrade


domingo, agosto 14, 2011

Pela manhã o meu gosto é sentir o fresco da mesma em calma e descontracção,assim foi hoje um café na esplanada do jardim ler o meu jornal a ver as noticias,se são boas ou não! Para dizer a verdade continua tudo igual,milagres ninguém os faz e como tal,nada melhor que apreciar as fotos. E não pensar em coisas tristes,preciso saúde,pensar que o amanhã poderá ser melhor,outros por este mundo fora estarão pior que nós.Bom Domingo e sejam felizes.




quinta-feira, agosto 11, 2011

À uns dias atrás uma  pessoa me perguntou como se gosta da poesia! Bem fiquei um pouco confusa perante tal pergunta uma vez que a dita era muito nova,e que logo de seguida me disse que era muito "chato" ler.É por estas e por outros motivos que a vida para alguns nem tem significado...aborrecido ler?Olhe eu só gosto das revistas cor de rosa.Então eu me sentei junto dela e disse,sabe desde criança que adoro os livros,ler e até o cheiro deles eu gosto,resposta o quê o cheiro, esquisito,nunca tinha ouvido dizer que os livros tinham cheiro.Mas tem,para além de abrir as portas da vida e sabedoria,é como uma janela que abrimos de par em par e onde os sonhos vem até nós como uma melodia. E nesta troca de conversa na areia da praia,a pessoa me disse sabe eu sou sócia da Biblioteca mas só lá foi para me escrever depois jamais voltei lá.Eu lhe disse faz bem em consultar os livros, e tentar ler um pouquinho e saber mais do que é feito os sonhos e a vida.Ficou um tanto surpresa com a conversa,de seguida me disse obrigada,quando um dia nos encontrar aqui ou noutro lugar me vou lembrar sempre desta conversa que tive consigo que adorei,nunca a minha mãe me ensinou coisas assim,amanhã vou à Biblioteca e trazer um livro e tentar ler as palavras que tem significado na vida...obrigada mesmo.
Foi assim com alguém que travei conhecimento numa manhã de praia sentada num rochedo,mas que gostei de conhecer,no fim do mês vou tentar procurar a mesma senhora grande mas com cabeça de menina ainda.













Foto da net:

sábado, agosto 06, 2011


Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhado espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...

Esconderijos do Tempo
Mário Quintana