quarta-feira, maio 11, 2011

A pouco visitando o blog na Casa do Rau fiquei sem palavras em saber da morte da Fernandinha e Poemas, a vida é tão pequena que as palavras custam a sair quando sentimos a perda de alguém e esse ser um amigo (a) comum de tantos de nós que por aqui partilham ideias e palavras,a pouco fiquei sem elas.Quando esta amiga visitava alguém era sempre esta frase deixada...(beijinho  de carinho) assim será,e como gostava de poemas a ela este é dedicado de um poeta que gosto.

"Os amigos amei
despido de ternura
fatigada;
uns iam, outros vinham,
a nenhum perguntava
porque partia,
porque ficava;
era pouco o que tinha,
pouco o que dava,
mas também só queria
partilhar
a sede de alegria —
por mais amarga.

Eugénio de Andrade, in "Coração do Dia"

11 comentários:

FlorAlpina disse...

A vida passa depressa demais!
Viver é pura magia!

Bjs dos Alpes

Maria Luisa Adães disse...

Eugénio de Andrade

Lindo o poema! E que bom seria que acontecesse assim :

os amigos chegam e partem
ninguém pergunta porque chegou,
porque partiu...
Ninguém diz nada!

Não há apegos
não há sofrimento.

Mas para isso,
é necessário ser diferente...

E eu luto por ser assim,
mas não sou
não sei ser,
mas lamento!

Um beijo,

Maria Luísa

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Mesmo não a conhecendo, nem virtualmente,junto o meu silêncio sentido ao teu, deixando um abraço muito apertado a toda a família e amigos.

Bela homenagem , a tua.

Bjs.

Maria disse...

Amiga também fiquei sem palavras quando soube da morte da amiga Fernandinha. Linda a sua homenagem.
Tenha um excelente restinho de domingo e uma semana plena de alegria e paz.
“Se cada um dos seus dias for uma centelha de luz, no fim da vida você terá iluminado uma boa parte do mundo.” Osho
Beijinhos
Maria

Graça Pereira disse...

Não sabia da partida da Fernandinha e fiquei triste. Há uns tempos que não me visitava...estaria já doente?
Este poema belissimo de Eugénio de Andrade, seria de certeza do agrado da nossa Fernandinha.
Que o Senhor acolha a sua alma na sua Paz.
Beijo e boa semana.
Graça

Laura disse...

Que ela esteja bem e seja feliz no novo mundo para onde iremos todos um dia, é o que desejo.

beijinho da laura

alegria de viver disse...

Querida amiga

A perda de um amigo é sempre triste, e por mais que a gente saiba, um dia isso vai acontecer, nunca estamos preparados, talvez porque fica uma incógnita.

O poema é lindo.

Com muito carinho BJS.

Fernanda disse...

Pois é amiga Lisa!
Um grande choque mesmo.
Beijinho

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

Minha querida também fiquei chocada, mas a vida é só isto uma passagem e mais nada, nascemos de mãos vazias e vazias as levamos, apenas levamos o bem e o mal que com que tivemos de enfrentar os nossos dias.
Por vezes os nossos problemas do dia a dia nos afasta um pouco dos nossos amigos e quando damos por isso alguns já tem partido, enfim temos de aceitar tudo o que não podemos mudar, deixo-te o meu abraço carinhoso e o meu beijinhos de luz e muita paz.

Isabel Maria Rosa Furtado Cabral Gomes da Costa disse...

Poema a denotar uma excelente escolha para esta época de luto. Não conhecia a Fernandinha, mas sinto a sua dor, o seu vazio. Resta-nos o amparo de saber que está na companhia de Deus e que não sofre mais.
Um abraço muito apertado.

Agulheta disse...

Aos amigos que aqui vieram em paz e amizade,e deixaram conforto pela amiga que partilhava com tantos por aqui,direi simplesmente obrigados.A vida é mesmo uma passagem,para uns longa para outros muito curta e ainda com projectos para realizar,certamente a Fernandinha tinha alguns e a força de viver com aquele lindo sorriso.Ela saberá onde estiver.