segunda-feira, maio 23, 2011

O Tempo Passa? Não Passa, O tempo passa?
Não passa no abismo do coração.
Lá dentro, perdura a graça
do amor, florindo em canção.

O tempo nos aproxima
cada vez mais, nos reduz
a um só verso e uma rima
de mãos e olhos, na luz.

Não há tempo consumido
nem tempo a economizar.
O tempo é todo vestido
de amor e tempo de amar.

O meu tempo e o teu, amada,
transcendem qualquer medida.
Além do amor, não há nada,
amar é o sumo da vida.

São mitos de calendário
tanto o ontem como o agora,
e o teu aniversário
é um nascer toda a hora.

E nosso amor, que brotou
do tempo, não tem idade,
pois só quem ama
escutou o apelo da eternidade.

Carlos Drummond de Andrade, in 'Amar se Aprende Amando

3 comentários:

Graça Pereira disse...

Realmente o amor não mede o tempo...quando se gosta, é sempre tempo presente. Não há passado e o futuro...é a eternidade. Lindo este poema de um SENHOR da Literatura brasileira. Belissima escolha!
beijo e boa semana.
Graça

oteudoceolhar disse...

O tempo torna-nos ... frios.
Poema bonito, bem ilustrado, como belas são as arvores do mar, essas sim gostei de ver. Ta,bém gostei de te rever, ainda para mais em tempo de contagem final para o grande dia que se aproxima :)
Beijo n´oteudoceolhar *

Agulheta disse...

Obrigada as amigas! Graça e Maria João(oteudoceolhar)Beijinho as duas