sábado, janeiro 08, 2011



UMA MANHÃ

Das palavras que me dissestes aquela manhã
Guardo na lembraça o som de algumas
Amor, que mais me parecia o sol da manhã
Que embora quente, é imcapaz de queimar
Eternidade, que me parecia um pouco exagerado
Seria o suficiente se fosse ao teu lado
Felicidade que me parecia impossivel
Se tornava finalmente algo real para mim

Então como se nada daquilo fosse verdade, você se foi
E ainda me lembro das palavras daquela manhã
Amor, ainda o sinto
Mas o sol da manhã deu lugar a fogo insuportavel
Que queima e sufoca meu peito

Eternidade...
É pra onde caminho com meu sofrimento
Descobri que só o sofrimento perdura por tanto tempo
Enquanto a felicidade
Essa descobri que na verdade nunca existiu...

Arturo Angelin

Quem vier visitar o blog,bom fim de semana e sejam felizes

9 comentários:

Flor ♥ disse...

Olá, Lisa!

Antes de tudo, desejo a ti a aos teus um ano de 2011 cheio de realizações e felicidade!
Escolheste hoje um poema triste, mas muito lindo!

Beijinhos!

Ana Martins disse...

Boa noite querida amiga,
este é um poema triste, que descreve um estado de alma em total sofrimento, mas não deixa de ser bonito por isso.

Beijinho e dorme bem.
Ana Martins

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Adorei o poema, mesmo melancólico, triste.

Não conhecia. Obrigada pela partilha.

Bjs.

Secreta disse...

Sempre poemas lindissimos que aqui encontro.
Boa semana.
Beijito.

nacasadorau disse...

Querida Lisa!

O poema é muito bonito embora melancólico.
Espero que não corresponda ao teu estado psicológico.

O José está de cama, com gripe e afónico.
Vamos ver se amanhã já se levanta.

Beijinhos

alegria de viver disse...

Olá querida amiga

Lindo, a felicidade existe. Enquanto houver amor sempre temos a esperança.

Com muito carinho BJS.

Nilson Barcelli disse...

Não conheço o autor, mas escolheste um excelente poema.
Obrigado pela partilha. É a ler boa poesia como esta que se vai aprendendo a escrever umas coisitas...
Beijo, querida amiga Elisa.

poetaeusou . . . disse...

*
um belo poema,
espero que não seja
um estado de alma !
,
conchinhas,
,
*

Laura disse...

Gostei de ver o mar de chamas ornado a oiro, gostei do efeito e andei em busca dos comentários, ahhh, lá estavam eles escondidinhos...

É verdade, a felicidade é tão efemera que descobrimos quase sempre e já tarde (depende de cada um) que nunca existiu...

beijinho da laura