domingo, janeiro 30, 2011



A mulher no Cais

A mulher que estava no cais
não olhou os peixes nem os barcos.
Ela olhava o azul distante
e colhia pedaços furtados do infinito
em segredo com o olhar brilhante.

Ela zarpava na sua procura para mares
de águas agitadas do outro lado do mundo.
Fazia pandas as velas das lembranças
navegando seu silêncio profundo.

A mulher que estava no cais...
Alta, descalça, andar com saudade,
talvez esperasse alguém que não voltará mais,
mas ela vinha sempre, como antes.

Chapéu branco com lenço. A sombra,
ocultava-lhe o rosto, ferido pela maldade,
por onde escorriam lágrimas quentes
que iam se juntar ao azul distante.

Antonio Miranda Fernandes

11 comentários:

AFRICA EM POESIA disse...

VIM

deixo o farol que serve para nos guiar.para nos unir e tantas vezes para Amar...


O FAROL




Este Farol...

É diferente...

É farol...

Alto e longo...




Alberga...

Muitos sonhos...

Muitas fantasias e...

Muitas Amizades...




Farol...

Que gira...gira...

Deixa um raio de luz...

A propagar-se...

Em todas as direcções...




E aqui...

Concretamente...

Neste farol...

Eu paro...




Fico a olhar...

E a meditar...

Pois sinto...

Que aqui...




Neste farol...

A cumplicidade...

Está mesmo presente!...


LILI LARANJO

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

Minha querida, venho só deixar o meu carinhoso abraço, pois a minha condição não deixa que utilize o PC: por muito tempo, só venho enquanto o medicamento está a fazer efeito.
Grata por tua amizade e sempre amiga, beijinhos de luz e muita paz.

José Sousa disse...

Penso que é a primeira vez que venho até seu espaço. O que li, aqui, gostei e vou ser seu seguidor. Seu blog é lindissimo. Seja meu também em:

www.congulolundo.blogspot.com
www.minhalmaempoemas.blogspot.com
www.queriaserselvagem.blogspot.com

Um abração e tudo de bom.

Ana Martins disse...

Boa noite minha amiga,
hoje não foste dar ao spam, ficaste logo no sitio certo.

Não conhecia este poema, por sinal muito bonito.

Beijinho,
Ana Martins

tossan® disse...

Adorei o texto! Cais uma palavra mágica para mim. Beijo

mundo azul disse...

______________________________


...belo e triste! Obrigada por partilhar um poema tão bonito...


Beijos de luz e o meu carinho, GRANDE!!!

______________________________

Dulce disse...

Uma espera infinita, um amor cortado pela vida, uma alma em pedaços... Quantas mulheres assim, pela metade, choram sua dor, esperam pelo que já não vem mais... Um lindo e muito triste poema.
Beijos, Lisa, e uma boa noite para você

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Ela sonhava e sentia a dor da saudade...

Obrigada pela partilha de tão belo poema.

Bjs.

Secreta disse...

Lágrimas que transportam todas as dores...

Laura disse...

No cais largamos lágrimas que se juntam aos nossos ais, e as águas levam para longe a saudade do homem que não está no cais...

Um beijinho da laura

Mar Arável disse...

Excelente este cais