domingo, janeiro 30, 2011



A mulher no Cais

A mulher que estava no cais
não olhou os peixes nem os barcos.
Ela olhava o azul distante
e colhia pedaços furtados do infinito
em segredo com o olhar brilhante.

Ela zarpava na sua procura para mares
de águas agitadas do outro lado do mundo.
Fazia pandas as velas das lembranças
navegando seu silêncio profundo.

A mulher que estava no cais...
Alta, descalça, andar com saudade,
talvez esperasse alguém que não voltará mais,
mas ela vinha sempre, como antes.

Chapéu branco com lenço. A sombra,
ocultava-lhe o rosto, ferido pela maldade,
por onde escorriam lágrimas quentes
que iam se juntar ao azul distante.

Antonio Miranda Fernandes

sexta-feira, janeiro 28, 2011

DESEJOS


Agora eu estou com vontade de chorar
E eu ainda nao descobri porque
mais cedo eu estava com vontade de rir
E também nao sabia porque

Mais tarde talvez eu tenha vontade de dançar
e Talvez eu não saiba porque
Ou posso também ter vontade de gritar
E com certeza não saberei porque

Ou quem sabe eu tenha vontade só de viver
sem precisar mesmo saber porque
ou ainda... posso querer... morrer
E assim, ninguém vai precisar saber porque

Arturo Angelin

quarta-feira, janeiro 26, 2011

O sorriso é das coisas que nos encanta a cada momento
Num sorriso podemos navegar ao sabor deste gesto
pensar num mundo melhor,nada tem mais  luz que um sorriso
e um olhar, no mesmo ficamos dentro dele, e somos alguém
que ama,chora, e sobretudo sorrir a cada pensamento
Lisa

segunda-feira, janeiro 24, 2011

No recanto do lar olho o dia solarengo e lindo,mas ao abrir a janela o frio bate no rosto cortante,me afasto e só olho pela vidraça,o voo dos pardais que me visitam pela manhã ao acordar.Neste pensamento fico distraída um pouco,estarei a ficar diferente,que já pouco me atrai sair como até aqui fazia,ou será mesmo do inverno que tem sido muito.Antes fora a chuva,agora o frio que só dentro dos cobertores,assim vamos caminhando esperando os dias por menos sem frio como até aqui. Depois fico triste com o que vejo e leio,nos jornais revistas e TV,parecendo aves de mau agouro que não deixam as pessoas viverem e pensar como seres humanos,só se fala em dinheiro,juros,lucros...ladrões de bancos assaltos,e tanta coisa mais que nem vale a pena pensar.
E como me renego a ser negativa e pessimista,vamos levar a água ao moinho antes que seja tarde e ficamos todos malucos,de pensar em políticos que nada valem,bola para a frente e não olhar para trás.

Lisa

sexta-feira, janeiro 21, 2011



Olhando o mar

Sempre que fito o mar
tenho a ilusão de achar-me diante
de um silêncio amplo, ondulante,
de um silêncio profundo,
onde vozes lutassem por gritar,
por lhe fugirem do invisível fundo.

Diante do mar eu fico triste,
nessa mudez de quem assiste
reproduções do próprio dissabor;
diante do mar eu sou um mar,
a outro de apor
e a se indeterminar.
O mar é sempre monotonia,
na calmaria
ou na tempestade.
Fujo de ti, ó mar que estrondas!
porque a tristeza que me invade
tem a continuidade
das tuas ondas...

Gilka Machado

terça-feira, janeiro 18, 2011



"Se te pareço nocturna e imperfeita
Olha-me de novo. Porque esta noite
Olhei-me a mim, como se tu me olhasses.
E era como se a água
desejasse.
...
Escapar de sua casa que é o rio
E deslizando apenas, nem tocar a margem.

Te olhei. E há um tempo.
Entendo que sou terra. Há tanto tempo
Espero
Que o teu corpo de água mais fraterno
Se estenda sobre o meu. Pastor e nauta

Olha-me de novo. Com menos altivez."
E mais atento.

Hilda Hilst

domingo, janeiro 16, 2011



Quando se cria um blog é para nele colocar e escrever, as nossa emoções, alegrias, e tristezas.Nele tenho colocado muita coisa desde o começo em 24/07/2007,penso que anteriormente disse o que esta data significava para mim. É o dia dos anos do meu filho,e pensar que nesse dia estava atrasada para vir acender as velas com ele porque estava em serviço,ajudar os que precisavam que o faça. Bombeiro tem muita saída para várias situações, sempre pedem, mais e mais,a cada momento.Neste dia o fogo era tanto,que nem tempo havia para beber água,então me aproximei do Chefe de serviço no local e disse! Chefe peço por favor, se me deixa sair uns breves momentos tenho que ir a casa,porque tenho a família esperando por mim para festejar mais um ano do filho.Entendeu o que os meus olhos de mãe pediam e vim em alegre correria para o meu lar,o momento era único, e somente meu.Sou um pouco multifacetada em fazer várias coisas,como escrever o que o meu coração dita,não sou poeta longe disso! Simplesmente escrevo o que sinto,e assim tem sido actualmente.Não me importo que seja muito visitado ou não,os amigos não se vê por números,mas sim de coração,sei que já passei dos cem seguidores,mas como não tem grande significado ser cem ou mil,e depois eles não vem por aqui!Fica tudo igual,nada diferente.Estes dias disse para comigo,vou vedar os comentários,mas depois pensei,e os amigos que gostam de aqui vir! Para já fica, depois se verá.Porque quem é amigo sempre volta,não precisa ter data certa,vem quando pode.De uma coisa tenho a certeza convicta,durmo descansada sem nada que pese a consciência de algo,sempre fiz bem,na hora com firmeza e determinação,assim é um pouco de algumas histórias contadas por aqui.
Lisa

sexta-feira, janeiro 14, 2011



Como estamos em fim de semana com frio por aqui,ainda a pouco cheguei a casa e senti bastante frio.Fui ver uma exposição,lá dentro se estava bem o pior foi a saída.
Como tal desejo bom fim de semana a todos os amigos e não só deste blog.
Lisa

quinta-feira, janeiro 13, 2011



Jardim Perdido

Jardim
em flor, jardim de impossessão,
Transbordante de imagens mas informe,
Em ti se dissolveu o mundo enorme,
Carregado de amor e solidão.
A verdura
das arvores ardia,
O vermelho das rosas transbordava
Alucinado cada ser subia
Num tumulto em que tudo germinava.
A luz trazia
em si a agitação
De paraísos, deuses e de infernos,
E os instantes em ti eram eternos
De possibilidades e suspensão.
Mas cada
gesto em ti se quebrou, denso
Dum gesto mais profundo em si contido,
Pois trazias em ti sempre suspenso
Outro jardim possível e perdido.

Sophia de Mello Breyner

quarta-feira, janeiro 12, 2011

Temos alturas que o coração fala mais alto e as palavras sai.Hoje elas foram para um amigo de que gosto porque as suas ideias eu preso bastante,cordial e amigo.Hoje em comentário simplesmente disse que o achava distante deste blog, a minha consideração é mesma e sempre será.Nunca pretendi que ficasse mais pequeno perante a minha pessoa longe disso.Talvez saiba que sempre e durante vinte e cinco anos,foram muitos que por eles dei um pouco de mim,e colocando muitas vezes a minha própria vida em risco mas sempre socorri,nunca pondo em questão o maior ou mais pequeno, um minuto apenas se pode salvar.Sou uma pessoa de paz e amizade,como tal só disse que nunca mais o vi por aqui,e nada mais.Agora para si José,este blog sempre estará aberto a amigos, solidariedade, e poesia,vale mais ser frontal e sincera do que dizer mal pelas costas.Querendo vir terei muito gosto que o faça,se não quiser é livre de fazer o melhor para si.
Beijinho de carinho Lisa

sábado, janeiro 08, 2011



UMA MANHÃ

Das palavras que me dissestes aquela manhã
Guardo na lembraça o som de algumas
Amor, que mais me parecia o sol da manhã
Que embora quente, é imcapaz de queimar
Eternidade, que me parecia um pouco exagerado
Seria o suficiente se fosse ao teu lado
Felicidade que me parecia impossivel
Se tornava finalmente algo real para mim

Então como se nada daquilo fosse verdade, você se foi
E ainda me lembro das palavras daquela manhã
Amor, ainda o sinto
Mas o sol da manhã deu lugar a fogo insuportavel
Que queima e sufoca meu peito

Eternidade...
É pra onde caminho com meu sofrimento
Descobri que só o sofrimento perdura por tanto tempo
Enquanto a felicidade
Essa descobri que na verdade nunca existiu...

Arturo Angelin

Quem vier visitar o blog,bom fim de semana e sejam felizes

quinta-feira, janeiro 06, 2011



Relógio sem ponteiros

Quando agora te debruças sobre a água do tanque, vês projectado, lá no fundo, um relógio sem ponteiros. Percebes, então, que a ferrugem é também uma qualidade e um atributo da água, e não apenas de alguns metais a que chamamos vis. E percebes ainda que já não são necessários os relógios. Tu já não tens idade, nem o tempo, que partilha do halo e da fluidez da água e é, às vezes, como ela, tão inodoro e insípido, se deixa prender, mesmo num vaso de cristal. E não podes, assim, medir-lhe a respiração. A sua duração, se preferes. Se alguma ainda subsiste, é a que é regulada pelos ponteiros do seu próprio corpo.

Albano Martins

terça-feira, janeiro 04, 2011



“Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.
Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
(...) Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero o meu avesso.(...) Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.(...) Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem,mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos
Quero-os metade infância e outra metade velhice.
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto: e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo, loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que “normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril."

Oscar Wilde

sábado, janeiro 01, 2011



Mais um ano começou e pela frente vai ter algumas "pedras" no caminho para muitos,mas desejo de coração que ele traga saúde,fraternidade amor,vamos pensar positivo,somos um povo que já enfrentou grandes tempestades, e como tal depois dela sempre bem a bonança.
Gosto de iniciar o ano a pensar positivo,para levantar o astral,e como dizem depois do Natal vai um salto de pardal,os dias vão começar a ser maiores e tentar ser felizes cada um a seu modo.Como o inverno tem sido bastante,ainda consegui captar uma foto,no meio do verde uma flor vermelha cor da paixão,a natureza tem destas coisas.
Aos amigos que aqui deixaram desejos e palavras de amizade,e como dizem sendo virtual,uns conhecemos e nos abraçamos,os outros o tentaremos fazer como uma grande família que por aqui desabafa, alegrias, tristezas,mas muita amizade.
Bom ano de 2011 que agora nasceu,que ele nos traga o melhor para todos como estou certa que a tempestade vai passar.
Lisa