quinta-feira, dezembro 02, 2010



Em Louvor das Crianças

Se há na terra um reino que nos seja familiar e ao mesmo tempo estranho, fechado nos seus limites e simultâneamente sem fronteiras, esse reino é o da infância. A esse país inocente, donde se é expulso sempre demasiado cedo, apenas se regressa em momentos privilegiados — a tais regressos se chama, às vezes, poesia. Essa espécie de terra mítica é habitada por seres de uma tão grande formosura que os anjos tiveram neles o seu modelo, e foi às crianças, como todos sabem pelos evangelhos, que foi prometido o Paraíso.
A sedução das crianças provém, antes de mais, da sua proximidade com os animais — a sua relação com o mundo não é a da utilidade, mas a do prazer. Elas não conhecem ainda os dois grandes inimigos da alma, que são, como disse Saint-Exupéry, o dinheiro e a vaidade. Estas frágeis criaturas, as únicas desde a origem destinadas à imortalidade, são também as mais vulneráveis — elas têm o peito aberto às maravilhas do mundo, mas estão sem defesa para a bestialidade humana que, apesar de tanta tecnologia de ponta, não diminui nem se extingue.
O sofrimento de uma criança é de uma ordem tão monstruosa que, frequentemente, é usado como argumento para a negação da bondade divina. Não, não há salvação para quem faça sofrer uma criança, que isto se grave indelevelmente nos vossos espíritos. O simples facto de consentirmos que milhões e milhões de crianças padeçam fome, e reguem com as suas lágrimas a terra onde terão ainda de lutar um dia pela justiça e pela liberdade, prova bem que não somos filhos de Deus.

Eugénio de Andrade

Assim escreveu Eugénio de Andrade sobre as crianças! E como estamos em época de paz e amor,assim deviam os homens,pensar mais nelas e menos em si,lhe propocionar o seu bem estar junto da família e terem o que lhe é devido numa sociedade justa.Cada dia vejo mais injustiça sobre elas,quer por aqui,ou em muitas partes do mundo.

17 comentários:

**♥✿-franciete-✿♥** disse...

Amiga Lisa esta em particular me toca bastante, tanto se fala nos direitos das crianças mas infelizmente é só no papel e ai ela não sai para ver a luz do dia.
Que direitos podem ter esses pobres inocentes, onde todos metem a colher e a elas jamais se lhes pergunta o que querem e o que lhe faz falta.
Beijinhos de luz e muita paz.

Sonhadora disse...

Minha querida

Hoje estou passando para te oferecer o meu selinho de 400 seguidores, um marco de amizade e tu és uma amiga querida, gostaria que aceitasses.

beijinho com carinho
Sonhadora

Menina Marota disse...

Excelente texto.
Toda a sensibilidade de Eugénio de Andrade que muitos deveriam sentir. Talvez assim TODAS as crianças fossem muito mais felizes.
Beijinho e bom fim de semana
Otília

Agulheta disse...

Franciet.Se as crianças não pediram para nascer,porquê fazer delas saco de parttilha e ping pong.Obrigada pelo carinho,bfs beijinho

Agulheta disse...

Amiga Sonhadora.Lá irei recolher com amizade,agradeço o carinho.
Beijinho no coração bfs.

Agulheta disse...

Menina Marota.
Sempre gostei de ler Eugénio de Andrade,este texto está divinal e muito do mundo que hoje se vive,pouco tolerante,as crianças são sempre as que mais sofrem,por várias razões.
Beijinho de amizade bfs

Maria disse...

Tocaste no ponto, Lisa: uma sociedade mais justa, mais igualitária, mais fraterna.
Só nesta sociedade as crianças serão tratadas e terão tudo o que merecem. Só nesta sociedade aprenderão os valores que lhes incutirmos, e talvez tenhamos então o Homem Novo!

Beijinho, Lisa.

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Todas as crianças do mundo deviam ser felizes, pois são elas o nosso futuro . Ver uma criança sorrir, aquece o coração...

Bjs.

Fernanda disse...

Querida Lisa!

Texto maravilhoso com aquela sensibilidade habitual de Eugénio de Andrade.
Como seria maravilhoso se as crianças nunca sofressem.

Amiga, também estou "de molho" ....
há dias em casa com a garganta irritada e um ouvido que dói um pouco.
Estou medicada mas não me sinto melhor...
Sou muito aborrecida quando estou assim :(((

Beijinhos a ambos dos teus amigos,
Ná e José

Mariazita disse...

Boa noite, Elisa
Antes de mais nada obrigada por me alertares acerca da data do lançamento do livro da Ana. Já rectifiquei.

Quanto ao teu post gostei imenso do texto de Eugénio de Andrade, que não conhecia. Conheço-o bastante bem como poeta, e gosto muito da sua poesia.

Considero as crianças como merecedoras de todo o amor e cuidados, o que, infelizmente, não se verifica em muitíssimos casos.
Quem maltrata crianças e animais não é mesmo filho de Deus!

Bom fim de semana. Beijinhos

alegria de viver disse...

Olá querida amiga

Lindo texto um pouco triste, mas sei que é a realidade infelizmente.

Com muito carinho BJS.

tossan® disse...

Texto lindíssimo e profundo. É bom ler textos assim com riqueza de sentimentos. Beijo

Fernanda disse...

Querida Lisa!

Obrigada pela visita :)
O teu comentário entrou sim.
Não é difícil comentar, difícil está a ser a adaptação ao novo formato, mas tem muita coisa muito melhor.

Espero que o João esteja melhor!!!

Se não antes, pelo menos no próximo sábado lá estaremos juntas novamente, desta vez em Fafe e com a nossa Ana Martins.

Beijos e abraços a ambos.
Ná e José

mundo azul disse...

_________________________________

Que belo texto você compartilha conosco, Elisa! A criança, canteiro onde pode ser plantada a rara flor ou semeada a erva daninha... Pensar que grande parte desse cultivo é da nossa responsabilidade...

Beijos de luz e o meu carinho, amiga!!!

__________________________________

poetaeusou . . . disse...

*
amica,
adorei o post,
,
Art: 68
,
1. As crianças têm direito à protecção da
sociedade e do Estado, com vista ao seu
desenvolvimento integral, especialmente
contra todas as formas de abandono, de
discriminação e de opressão e contra o
exercício abusivo da autoridade na
família e nas demais instituições !
,
que não se esqueçam
os senhores Juízes !!!
,
brisas infantis, deixo,
,
*

Céci disse...

Ola querida amiga,

Este texto de Eugénio de Andrade é lindíssimo e muito apropriado para a época que atravessamos.

Não tenho vindo tanto aqui como desejaria, porque estou atravessar uma fase de perda de alguém que foi uma das mais importantes da minha vida, mas virei sempre ler-te quando passar pela blogosfera.

Bjinhos

Céci

Fernanda disse...

Querida Lisa!

De Eugénio de Andrade não esperava outra visão sobre o tema que felizmente aqui trouxeste.

Somos todos responsáveis pelas atrocidades de que são acometidas as crianças de todo o mundo e disso não há a menor dúvida.

Sei que já tinha comentado, mas reli e doeu de novo.

Beijinhos
Até amanhã :)