quarta-feira, novembro 10, 2010



Tome-se um poeta não castrado
Uma nuvem de sonho,uma flor.
Três gotas de amargura,um tom de fado
Uma veia sangrando de terror.
Nesta massa que ferve e se contorce
Verta-se a luz dum corpo de mulher
Duma pitada de morte se reforce
Que o amor do poeta assim requer

José Saramago

9 comentários:

Mariazita disse...

Sou fã incondicional de José Saramago. Li toda a sua obra, com excepção da...poesia.
Até me sinto envergonhada ao dizer isto, adorando Saramago e gostando tanto de poesia como gosto... não faz grande sentido, pois não?
São as incongruências humanas :)))

A tua escolha foi excelente, claro!
Obrigada pela partilha.

Continuação de boa semana. Beijinhos

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Não aprecio a poesia de Saramago.
No entanto gostei deste poema.

Obrigada pela partilha.

Bjs.

Secreta disse...

Não é o meu escritor favorito, confesso.
Beijito.

poetaeusou . . . disse...

*
contrapondo Saramago !
,
Ah não me venham dizer
que é fonética a poesia !
Serei tudo o que disserem
por temor ou negação:
Demagogo mau profeta
falso médico ladrão
prostituta proxeneta
espoleta televisão.
serei tudo o que disserem:
Poeta castrado, não!
,
in-Ary dos Santos,
,
conchinhas
*

Maria disse...

Excelente escolha amiga.
Tenha um Domingo maravilhoso.
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Este poema é um poema Maior de Saramago!
Estive com net portátil estes dias, o que significa que lia os blogues mas raramente conseguia comentar. Aconteceu com o teu Mar de Chamas...

Beijinho, Lisa.

alegria de viver disse...

Querida amiga

Gosto do escritor, José Saramago, já li alguns livros, são muito bons.

Fisicamente, habitamos um espaço, mas, sentimentalmente, somos habitados por uma memória.[José Saramago]

Com muito carinho BJS.

Laura disse...

Eh, desde que li o primeiro livro sobre o Evangelho segundo J cristo, ah, pifei com ele e nunca mais.

Beijinhos e tenho aparecido pouco, sorry..

laura

Carlos Albuquerque disse...

Bela escolha para este post, Amiga Lisa!
Embora aprecie mais a obra em prosa de José Saramago (tenho-a toda, ou quase), lamento que os seus "Os Poemas Possíveis" não sejam mais conhecidos, mais lidos.
Escrevo este comentário a 16, dia em que Saramago faria 88 anos. Recordei-o no meu blogue com palavras da sua viúva Pilar del Río.
Beijinhos