segunda-feira, novembro 15, 2010



Ó castanheiros de folhas de ouro,
Carregados de ouriços que são ninhos
Onde as castanhas dormem como noivos!
Troncos abertos, Casas abertas,
Ao vosso abrigo Dormem os pobres,
Pegam no sono, Passam as noites
Quando cai neve!Peitos vazios,
Escancarados,
Sem nada dentro, Nem coração!
Dais lume, calor

E dais sustento para a mesa,
E dais o mais que eu não sei!...
Ó castanheiros de folhas de ouro,
Apenas sou vosso irmão
Em que a terra vos criou
E criou-me a mim também;
Em que vós ergueis os braços
Suplicantes para os céus
E eu também levanto os meus...

Ah! Castanheiros, mas eu
Grito e vós ficais calados!
Seremos, por isto só,

Irmãos? Seremos? Não sei:
Vós tendes roupas de rei,
Eu tenho roupas de Job;
Vós só gritais quando o vento
Vos abre a boca e fustiga:
Então ergueis um clamor...
— Não calo nunca no peito
A dor do meu sofrimento
E nunca chego a dize-la,
Nem há ninguém que me diga.

Ó castanheiros de folha de ouro,
Não,
Eu não sou vosso irmão!...

Branquinho da Fonseca

8 comentários:

Maria disse...

O castanheiro é uma árvore bonita!
Há um castanheiro 'gigante' perto da Guarda, em Guilhafonso. Não sei se conheces...

Beijinho, Lisa.

Fernanda disse...

Querida Lisa!

As castanhas e os castanheiros dourados que fazem parte das paisagens encantadoras outonais.
Perfeita a tua escolha, como sempre.

Com o Pedro cá, por mais dois dias mais, contando já com o de hoje, o tempo tem passado a voar. Sabes como é!

Desculpa se tenho estado mais ausente.
Voltarei brevemente :(
Beijos para ambos.

poetaeusou . . . disse...

*
Branquinho da Fonseca,
um Nazareno por Adopção,
escreveu e "poemou" sobre
a Nazaré, para alén de ter sido
Conservador do Registo Civil
e Notariado de Nazaré !
,
grato pela escolha,
,
conchinhas,
,
*

alegria de viver disse...

Olá querida amiga

Com lágrimas a rolar não de tristeza mas de saudades, este poema de lembranças me faz parar e pensar, porque nunca valorizamos o próximo! Mas assim que fica distante entra em cena tudo que era tão banal.
Amo castanhas.
Agora só as vejo uma vez ao ano.

Com muito carinho BJS.

Laura disse...

Os castanheiros dão tanta cosa boam, e é ver o pessoal pelas caminhos a apanhar castanhas para levar para casa..e os donos? ah, os donos nem estão lá..e tudo na maior enche sacos e sacos...

beijinhos e linda poesia, laura

Maria disse...

Querida amiga excelente escolha.
Os castanheiros são árvores tão lindas.
Tenha um fim de semana cheio de alegria e paz.
Beijinhos
Maria

Fernanda disse...

Querida Lisa, amiga!

Já se foi o meu príncipe...
A alegria e felicidade de o ter tem que chegar agora para a atenuar a dor da partida...
Cá estamos só os dois!

Falando em castanheiros, ainda não vieste comer castanhas!
Vem amiga!
Temos já tangerinas e laranjas docinhas, nem vais acreditar!
Temos diospiros e temos esta nossa linda amizade.

Beijos e abraços.
Ná e José

Flor ♥ disse...

Há muito não vejo castanheiros... esta é a tristeza dos olhos urbanos.

Bjs, querida Lisa, e uma semana de paz e luz!