quarta-feira, novembro 03, 2010


No Fundo Aberto

Escrevo-te enquanto algo resvala, acaricia, foge
e eu procuro tocar-te com as sílabas do repouso
como se tocasse o vento ou só um pássaro ou uma folha.
Chegaste comigo ao fundo aberto sob um céu marinho,
sobre o qual se desenham as nuvens e as árvores.
Estamos na aurícola do coração do mundo.
O que perdemos ganhamo-lo na ondulação da terra.
Tudo o que queremos dizer sai dos lábios do ar
e é a felicidade da língua vegetal
ou a cabeça leve que se inclina para o oriente.
Ali tocamos um nó, uma sílaba verde, uma pedra de sangue
e um harmonioso astro se eleva como uma espádua fulgurante
enquanto um sopro fresco passa sobre as luzes e os lábios.

António Ramos Rosa

13 comentários:

Cristina Fernandes disse...

Um grande poema esta tua escolha... encontro sempre uma nova interpretação... algo que se redescobre outra e outra vez... é assim, a poesia de A.Ramos Rosa...
Bjs
Chris

Nilson Barcelli disse...

Excelente, querida amiga.
Gostei mesmo muito.
Beijos.

alegria de viver disse...

Querida amiga

Bela escolha, é um poema maravilhoso.
Fico feliz quando visito este blog, sempre toca meu coração.

Com muito carinho BJS.

poetaeusou . . . disse...

*
um belo poema,
numa sublima escolha,
,
um céu marinho
de um anilado mar !
,
conchinhas,
,
*

José disse...

Olá Lìsa!

Gostei muito do poema, Do António Ramos Rosa. e também gostei muito da sua visita la no meu cantinho.

deixo um beijinho,
José.

Ana Martins disse...

Boa noite Lisa,
que engraçado, sabes que hoje li um poema de António Ramos Rosa?
E agora chego aqui e vejo mais um poema dele, há coincidências engraçadas!

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

Maria Clarinda disse...

Maravilha...adorei as tuas palavras. Jhs de carinho

Laura disse...

Nossa, como é belo ler palavras diferentes, palavras tocadas pelo vento nos eu contentamento.

Muitos jinhos para ti da laura

Secreta disse...

Belissimo poema.
Tem um bom fim de semana.
Beijito.

Maria Luisa Adães disse...

António Ramos Rosa é muito bom!

Adorei encontrá-lo aqui neste teu blogs de amiga de há bastante tempo, no sapo e agora no google.

Não nos temos separado
Não nos vamos separar!

Maria Luísa

Fernanda disse...

Querida Lisa!

Escrevo-te tocada pela beleza desta poesia linda que não conhecia.

Obrigada pela partilha e pelo momento.
Já sabes das novidades, das más e das boas... o que me vale é que as boas são mesmo boas demais...
Beijos e abraços para ambos, dos amigos
Ná e José

Maria disse...

Querida amiga, excelente escolha.
Tenha um domingo maravilhoso.
beijinhos
Maria

Agulheta disse...

Aos amigos que comentaram! Obrigados pelas palavras de amizade,é sempre bom ler palavras destas em algum lugar,e gosto de partilhar as mesmas com os amigos.
Lisa