sexta-feira, outubro 29, 2010



Nada melhor que um pouco de poesia para descontrair no fim de semana que está perto.Tenho o cuidado que sempre que leio algo que gosto,neste caso poesia partilho com os amigos,hoje não vai fugir a regra.E como a vida deve ser vivida de pequenos gestos,que muitas vezes representam grandes coisas no coração.Este poema adoro,fala do silêncio sendo algo sublime...aqui vai e bom fim semana a todos.

Há o silêncio das estradas
e o silêncio das estrelas
e um canto de ave, tão branco,
tão branco, que se diria
também ser puro silêncio.
Não vem mensagem do vento,
nem ressonâncias longínquas
de passos passando em vão.
Há um porto de águas paradas
e um barco tão solitário,
que se esqueceu de existir.
Há uma lembrança do mundo
mas tão distante e suspensa...

Há uma saudade da vida
porém tão perdida e vaga,
e há a espera, a infinita espera,
a espera quase presença
da mão de puro mistério
que tomará minha mão
e me levará sonhando
para além deste silêncio,
para além desta aflição

Tasso da Silveira

10 comentários:

Fernanda disse...

Querida amiga Lisa!

Há um silêncio das estrelas
Há uma saudade da vida
Há uma mão que nos levará
Sonhando para além da vida!

Escolha linda e bela a tua partilha.

Beijo grande!
da tua amiga,

Agulheta disse...

Amiga Ná.Olha amiga hoje só mesmo dentro da "toca" casa,chove tanto e faz vento,pela manhã foi ao cemitério e veio uma chuvada que só visto.Bom fim de semana boa amiga.Beijinho e abraço para ambos.
Lisa

Laura disse...

Toda a vida
permanecerá o silêncio
em momentos de silêncio
despertados apenas
por uma voz amiga!...

escrito aqui e agora para ti minha querida Lisa.

beijinhos e bom resto de dia no aconchego do lar..

laura

Maria disse...

Querida amiga, excelente escolha um poema maravilhoso.
Deixei um selinho para si no meu cantinho, espero que goste.
Tenha um santo domingo
beijinhos
Maria

alegria de viver disse...

Olá querida amiga

Que linda poesia, o silêncio é muito importante, na vida quem não escuta não entende o outro.

Tenha um lindo fim de semana.
Com muito carinho BJS.

eduardo goncalves disse...

Olá amiga Lisa. Parabéns pelo lindo poema do Taco, é sempre um estimulante abrir uma página e nela encontrar um poema bonito. Foi o caso. Adorei beijinho deste amigo Eduardo. P. S. Sabe amiga? Fui para entrar na sua página do sapo e a internet, fechou-me o acesso, foi esta a informação que recebi. Não sei se é algum problema que eu tenho no meu computador ao nível da segurança.

Fernanda disse...

Querida Lisa!

Hoje já está melhorzinho conforme dizia a meteorologia.
Também eu estiva fechada dentro de casa, só saí sexta feira e mais nada.

Amiga, faz-me um favor, tenta aceder ao meo Blog e diz-me exactamente o que se passa.
Ontem recebi um e-mail dum amigo a avisar-me que não conseguia comentar... depois começaram a aprecer avisos de phising e agora parece que o aviso é de que o meu Blog tem Conteúdo Impróprio.
Eu nem acredito que a maldade das pessoas chegue tão longe...

O Quicas já confirmou, mas mesmo assim conseguiu comentar o meu post.

Conto com a tua ajuda.

Beijos

Carlos Albuquerque disse...

Pois é, Amiga Lisa, nos tempos que vão correndo a poesia acaba por ser um refúgio para os nossos penares, mais do que sempre foi!
Obrigado por partilhar este poema que nos fala do silêncio das estradas e das estrelas.Numas e noutras, amanhã, espero, se quebrará o silêncio, deixando que nos cheguem os sons da nova Humanidade...
Beijinhos e desejo de bom feriado, sem chuva e sem frio, será pedir muito, mas, pelo menos, sem chuva.

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Obrigada por partilhares tão belo poema.

Nesta altura do ano sinto ainda mais o silêncio...a saudade...

Bjs.

maresia_mar disse...

Lisa querida, e como a vida é feita de pequenos gestos, aqui te deixo muitos miminhos juntamente com a minha amizade! Beijos