sábado, setembro 11, 2010



Os Amigos

Os amigos amei
despido de ternura
fatigada;
uns iam, outros vinham,
a nenhum perguntava
porque partia,
porque ficava;
era pouco o que tinha,
pouco o que dava,
mas também só queria
partilhar
a sede de alegria —
por mais amarga.

Eugénio de Andrade, in "Coração do Dia"

A todos os amigos que visitarem este blog,bom-fim-semana com amizade respeito e carinho.

Lisa

10 comentários:

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Uma escolha soberba!

Eugénio de Andrade um dos meus poetas preferidos.

Um bom fim de semana pata ti tb.

Bjs.

alegria de viver disse...

Olá querida

Lindo poema, os amigos são irmãos escolhidos.

Boa semana
Com muito carinho BJS.

Sonhadora disse...

Minha querida
Os amigos são um pilar muito importante na nossa vida...os amores vão,mas os amigos sinceros ficam para sempre.

deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

mundo azul disse...

_________________________________

Que poema bonito! Obrigada, pela partilha...

O seu espaço está lindo, Elisa!


Beijos de luz e o meu carinho...

________________________________

Flor ♥ disse...

Oi, querida amiga...

passandoa prá deixar meu carinho!

Bjs.

Fernanda disse...

Querida Lisa!

Eugénio de Andrade...
Um dos meus favoritos!

Os amigos partilham tudo, tudo mesmo!

Tive amigos cá em casa que já não via há 20 anos... imagina!
Nada mudou, só estamos "um pouco" diferentes por fora!!!
Foi tão bom!
Para o ano vou passar férias à casa deles no sul de França, em Vias. Na segunda quinzena de Setembro, se tudo correr bem.
Eles vivem em Genebra a 10 minutos do lago Constância.
Cantão Francês! Longe do Pedro...
mas eu de lá irei ao Pedro!
No Natal ele vem!
Este ano vai ser Natal mesmo!

Beijinhos amiga.
Preciso de te falar, telefone-te!

Maria disse...

Eugénio de Andrade é... Eugénio!
Sempre!

Beijos.

Dulce disse...

Um beijo, Lisa e uma feliz semana para você, com o carinho da amizade que me inspira.

Graça Pereira disse...

Eugénio de Andrade compreendia bem o que era ter amigos e até que ponto a amizade precisa de ser alimentada.
Lindo poema e linda imagem que colocaste no post.
Beijocas e boa semana.
Graça

poetaeusou . . . disse...

*
amiga
há amigos e amigos . . .
deixa-me destoar,
,
Amigos! Cento e dez, ou talvez mais,
eu já contei. Vaidade que eu sentia,
julguei que nesta Terra não havia
mais ditoso mortal entre os mortais!
Um dia adormeci profundamente:
ceguei. Dos cento e dez houve um somente
que não desfez os laços quase rotos.
"Que vamos nós, diziam, lá fazer?
Se ele está cego, não nos pode ver!"
Que cento e nove impávidos marotos!
,
in-camilo castelo branco !
,
conchinhas,
,
*