segunda-feira, maio 24, 2010



PRESENÇA

É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
teu perfil exacto e que, apenas, levemente, o vento
das horas ponha um frémito em teus cabelos...
É preciso que a tua ausência trescale
subtilmente, no ar, a trevo machucado,
as folhas de alecrim desde há muito guardadas
não se sabe por quem nalgum móvel antigo...
Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
É preciso a saudade para eu sentir
como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...
Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista
que nunca te pareces com o teu retrato...
E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te.

Mário Quintana

12 comentários:

Graça Pereira disse...

É preciso fechar os olhos para sentir...tua presença!
É um poema maravilhoso de Mário Quintana e tu, com a tua sensibilidade fizeste a escolha acertada...Bem-hajas por isso!
Beijo amigo
Graça

Flor ♥ disse...

Sempre singelo e, ao mesmo tempo, profundo o nosso Quintana... adorei!

Beijinhos, Lisa!

Laura disse...

Que lindooooo quando acaba diz uma verdade, por vezes queremos ver a pessoa como ela é, mas escapa-se-nos..a forma, o vulto, a imagem, e...voltamos a precisar de ver a pessoa para nos sentirmos melhor..Aquele abraço da laura

Secreta disse...

Fechar os olhos e... ver, sentir...
Beijito.

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Obrigada por partilhares tão belo poema.

Saudades...quem as não tem!

Umas mais dolorosas que outras, mas para mim as saudades têm sempre um pouco de tristeza...

Bjs.

Dulce disse...

Ah, como gosto deste poema de Quintana!...
Beijos, Lisa.

Céu Vieira disse...

Olá Lisa, boa tarde! Td bem?! Assim espero minha querida!
Até que enfim que passo por aqui, rrrssss, não é???!!!
Gosto tanto dos poemas de Mário Quintana! Obrigada pela partilha. Vou já copiá-lo!
Um beijinho de carinho e admiração amiga linda!

José disse...

Olá Lísa!Eu também tenho muito respeito pelo Hino e pela nossa bandeiro,e pensei muito antes de lá pôr aquela letra,mas tive um pedido de uma amiga nossa, e achei que não ia ferir sensibilidades, peço desculpa. Só pensei naqueles que são os grandes causadores, de tudo isto acontecer.
Amigos como dantes?

um beijinho grande, José

Agulheta disse...

Amigos que aqui comentaram,obrigados pelas palavras e gesto de vir até aqui ler.
Beijinho

Fernanda disse...

Querida Lisa,

Este é um daqueles poemas que não se esquecem nunca,
Li-o uma vez na Casa da Dulce.
É lindo ! Lindo!
Amiga, tens que ir ao Rau 2, onde estão agora os Prémioe e selos - aqui, http://naquintadorau2.blogspot.com/.

O Pedro tem estado em casa a recuperar de um acidente de trabalho.
Trilhou o ciático. A vida nem sempre nos corre como queremos, e eu tão longe...
Beijinhos

alegria de viver disse...

Olá querida amiga
Estou atrasada mas vim, não poderia deixar de ler esta maravilha.
Com muito carinho BJS.

Carlos Albuquerque disse...

Cada vez que aqui venho encontro-me com algo de que gosto, como é o caso deste poema de Mário Quintana.
Mas é sobretudo a sensibilidade com que a Lisa escolhe os temas para os seus posts que me faz sentir bem.
Obrigado, Amiga