sexta-feira, abril 23, 2010



Escrevo palavras, conto as horas,
e meu corpo não sente a alvorada
de outrora,tudo adormeceu.
O meu peito salta feroz
por uma luta digna e pura,
onde os sonhos sejam
mais nossos.Onde andas Abril!
Os cravos os tenho aqui...
São nossos,vamos pedir o pão, e o trabalho.
Volto amarrotar o papel,
a alvorada demora,é lenta
sem sentido,ai Abril...onde pára a esta hora.

Lisa

Este pequeno poema escrevo,a quem gosta de Abril e sente o que ele nos deu.Embora hoje algo escape,que ainda não se realizou.Muito se fez e muito temos ainda que fazer,não poderemos baixar os braços.Esta data foi importante para muitos,o meu Pai sofreu no corpo a injustiça do regime.Vivi e me fiz mulher,mas tive de calar o que o coração sentia,e não podia divulgar.Hoje como pessoa quero o meu país, Portugal... que amo muito,seja para os meus netos e filhos,um país de corpo inteiro,onde não se subjugue a lei do mais forte.

21 comentários:

Carlos Albuquerque disse...

Olá, Amiga Elisa.
Encantou-me o seu poema.
Havemos de reencontrar Abril, a alvorada há-de chegar.
Algum caminho foi já andado, mas mais teremos que percorrer para alcançarmos o país que desejamos.
Abril, sempre!
Bom fim-de-semana.
--
Grato pelas palavras deixadas sobre o meu estado de saúde, francamente a recuperar-se.

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Abril é para mim o meu mês.
O mês em que nasci.
Não o associo ao 25 de Abril.

Infelizmente, ainda pouco ou nada vi de concreto com a revolução.

Espero poder ver!A esperança é a última a morrer.

O teu poema é BELO!

Bjs.

Maria Luisa Adães disse...

Lisa

Lindo teu poema, onde escreves palavras e contas as horas.

E foi em Abril que se encontrou a liberdade.

Mas as mudanças levam muito mais tempo do
que os anos que Abril vai fazer.

O tempo que passou é pequeno para uma mudança maior e mais justa.
Quantos anos mais se vai esperar
por um Abril que sempre se sonhou
e ainda não chegou.

Espero que essa liberdade e justiça
maior, apareça para as gerações
vindouras.

Meu filho partiu, casou no Brasil,
tem uma filha e mulher brasileiras.
Encontou seu sonho, não em Portugal,
mas no País irmão mais acolhedor e
bom. Portugal não foi para nós, um
país amigo.
Aconteceu assim,
mas desejo que venha a ser um local de Paz onde se viva em liberdade e dignidade.

Muito bom o que escreveste e desejo
que tudo quanto pedes e ainda não chegou, seja uma realidade um dia...

Obrigada pela tua presença e palavras amigas, no meu poema, "Rosas Vermelhas" no

http://os7degraus.blogspot.com

Agradeço Lisa, por tua amizade.

Beijo,

Maria Luísa

♥*♥(franciete)♥*♥ disse...

Minha querida amiga, o 25 de Abril a mim tocou-me no mais profundo do meu ser, essa data para mim foi muito marcante, quantos se valeram dela para nos atraiçoar e nos apunhalar pelas costas. Dela só vi liberdades mal respeitadas, porque os direitos esses nunca se realizaram, os dinheiros encontrados que havia nos cofres desapareceram sem deixar rasto, e ainda por cima temos de pagar uma factura que não nos diz respeito.
Os Portugueses estavam mal mas havia muito ouro, agora nem ouro nem nada estamos à beira da miséria, afinal minha querida para quem foram os cravos do 25 de Abril.
PS: se quiseres saber mais sobre isto eu sei bastante e tenho muito gosto em partilhar.
Só te digo nunca fui e não sou fascista, mas uma vitima dessa data.
Beijinhos de luz, paz e amor e um lindo fim de semana

Flor ♥ disse...

Sempre nos perguntamos o que fazer com os nossos sonhos que não se realizaram...

Beijinhos, Lisa.

Iana disse...

Que lindo... Parabéns pela ternura da escrita tão docemente lembrando desta data!

Seus poemas são encantadores já sentia falta de ler te...

beijos no coração
deixo flores da primavera pra você
rosa amiga
Iana!!!

alegria de viver disse...

Olá querida amiga
Maravilhoso, seu poema.
Esta data me toca profundamente, era estudante nesta época, participei da mudança.
Salve o dia 25 de abril, pois agora temos a liberdade para expressarmos nossos pensamentos.
Com muito carinho BJS.

Agulheta disse...

Amigo Carlos.
Muito me encanta saber,que temos muito para continuar aprender mais e mais e construir melhor.Abril! Sempre como diz e bem.
Beijinho Lisa.

Agulheta disse...

Mona Lisa.
Abril tem datas muito marcantes também para mim,sobre a revolução!Temos que admitir que muito se fez,se tudo foi bem feito,terá as suas falhas como tudo.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Maria Luísa.É preciso muito tempo para que as mudanças sejam realizadas.Se o sonho do teu filho foi sair do país,hoje muitos sai para toda a Europa que está aberta a quem quiser partir e procurar coisas melhores.Mas sempre devemos ter fé e esperança por coisas novas.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Amiga Graciete!
Sei que alguns pensam como tu,mas todos temos direito de nos manifestar da forma que para nós seja o melhor.Também sei que havia ouro e muitos o meteram ao bolso,e continuam a meter.Mas posso dizer que não quero,nem gostaria de voltar ao tempo da outra "senhora" muita coisa sei, e estou bem esclarecida sobre o antes e o depois.
Agradeço as palavras, como tal e já deves ter percebido,penso pela minha cabeça e só por ela. Assumo Abril sempre!
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Amiga Flor.
Felizmente os meus sonhos se tem realizado sempre dentro do possível.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Lana.Obrigada pelas palavras de carinho e opinião,para mim esta data será sempre lembrada enquanto pessoa de liberdade.
Beijinho de luz Lisa

Agulheta disse...

Alegria de viver.
Nesta data era mãe de dois filhos pequenos,e por diversas razões do passado e familiar,esta data foi importante para mim.Sei respeitar os direitos de liberdade e fraternidade para com os outros,como tal agradeço quem respeita os meus.Obrigada pela visita e pensamento.
Beijinho de paz e bfs Lisa

Maria disse...

Este poema emocionou-me, Lisa.
Fazer cumprir Abril depende de nós, apenas. Temos o voto - a única arma - nas nossas mãos.
Façamos do dia de hoje um enorme jornada de alegria e confiança, com a certeza de que os nossos netos viverão no Abril que fizemos.

Beijos, Lisa.

Carminda Pinho disse...

Lisa, Abril esteve sempre aqui, nós é que de vez em quando o esquecemos.
Beijos e um cravo vermelho.

Manuela disse...

Olá amiga Elisa, vim agradecer sua visita no meu blog.
A amiga sempre me visita e já vamos nisto á quase 3 anos, como o tempo passa.
Espero que tudo esteja bem.
Da amiga Chica é que nada sei, deixou de me fazer visitas, anulou o blog.
Espero que esteja tudo bem, já lhe mandei mensagens a perguntar nem respondeu.
A saúde é um bem comum, pena que nem todos a tenham.
Beijinhos amiga, feliz semana.

Manuela

Laura disse...

Olá Lisa, foi bom para quem vivia aqui e mau para quem lá fora labutava pelos eu pão, perdi a terra amada, perdi a minha infância a minha juventude, tudo no mesmo dia, mas, é a Lei da vida, só que..continuamos com falta de tudo,d esde a educação ao pão, e...necessário se faz novo dia e por pessoas responsáveis e capazes, senão...mal vamos nós. Aquele abraço da laura

Graça Pereira disse...

Querida Lisa
O teu poema é lindo e sentido.
Tens razão...há brumas sobre Abril mas, um dia, os cravos floresceram de vez e o nosso país será um verdadeiro jardim.
Um beijo amigo
Graça

♥*♥(franciete)♥*♥ disse...

Amiga lisa, eu quando fiz o meu comentário não foi para mudar a maneira de pensar de ninguém, acho que andamos aqui para dar amor e carinho uns aos outros e não para discordar, ó fazer algo que possamos não gostar. Achei que não disse nada que pudesse ofender, mas da minha interpretação já não sei, se involuntariamente o fiz. Por esse motivo venho pedir desculpas, mas mediante tudo o que sofri, não posso dizer bem do que os homens fizeram para continuar Abril, apenas tenho de louvar aos capitães da forma como o conseguiram fazer. Com cravos e não com sangue.
Beijinhos de luz e paz

Fernanda disse...

Querida Lisa,

Desculpa se estou atrasada, mas faço questão de comentar sobre o 25 de Abril.

Vive-o intensamente, estive no meio da população e das lutas, fui aos comícios, o José e o meu irmão estavam na tropa na altura, foi LINDO, e não foi um sonho, foi uma realidade bem real.

Se em nome da liberdade alguns (muitos) deturparam e a nossa democracia está abalada...haverá os 25 de Abril que forem necessários, mas sempre ABRIL!
Viva o 25 de Abril e os corajosos que o fizeram.

Beijos