quarta-feira, fevereiro 24, 2010



Mar!
Tinhas um nome que ninguém temia:
era um campo macio de lavrar
Ou qualquer sugestão que apetecia...
Mar!
Tinhas um choro de quem sofre tanto
Que não pode calar-se,nem gritar
Nem aumentar nem sufocar o pranto...
Mar!
fomos então a ti cheios de amor!
E o fingido lameiro,a soluçar,
Afogava o arado e o lavrador!
Mar!
Enganosa sereia rouca e triste!
Foste tu quem nos veio namorar
E foste tu depois que nos traíste!
mar!
E quando terá fim o sofrimento!
E quando deixará de nos tentar
O teu encantamento!

Miguel Torga
Poemas Ibéricos

8 comentários:

Maria disse...

É Miguel Torga.
É um poema sobre o Mar!
Como vou comentar, Lisa? não tenho palavras. Simplesmente belo!

Obrigada. Beijinho, Lisa.

Fernanda disse...

Querida Lisa,

Estou com alguns problemas com a Net devido às trovoadas.
Este tempo mata-me.
Volto logo para por as tuas postagens em dia.
Beijinhos querida amiga,

Laura disse...

O mar não trai
quem nele confia
o mar só porfia
dia e noite
noite e dia...

Beijinho da laura

Agulheta disse...

Maria. Como dizes e bem...Torga é realmente o poeta do povo,e tão bem fala no mar.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Querida Ná.Ontem tive que desligar o computador algumas vezes,hoje está a ficar quase igual,se bem quando se pode.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Laura. O mar gosta que nele confiem,e não que o desafiem,como acontece com o homem,depois ele mostra a sua força.
Beijinho Lisa

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Belo poema sobre um tema que adoro.

Obrigada pela partilha.

Bjs.

Ana Paula disse...

Um extraordinário poema dedicado ao Mar por Miguel Torga, um grande escritor!!!!
Belíssima escolha para o teu MAR de Palavras.
Jinhossssssssss