quarta-feira, fevereiro 17, 2010



Amar não é Ser Egoísta

Tenho a certeza que tu és o meu maior amigo, o mais dedicado, o melhor de todos. Como eu o vi hoje bem! Como tu és leal e bom! Tão diferente de todos os outros homens que para te pagar o que no futuro hei-de dever-te, será pequena a minha vida inteira, mesmo que ela seja imensa. Os outros, amando as mulheres, são como os gatos que quando acariciam, é a eles que acariciam. Amar não é ser egoísta, é tantas, tantas vezes o sacrifício de nós próprios! A dedicação de todos os instantes, um interesse sem cálculo, uns cuidados que em pequeninas coisas se revelam e o pensamento constante de fazer a felicidade de quem se ama.

Florbela Espanca

17 comentários:

Graça Pereira disse...

Não conhecia este texto da Florbela que achei lindissimo, ela que tanto queria amar só por amar...Depois a música de fundo que colocaste é um convite a amar sem egoismo.
Beijo
Graça

Graça Pereira disse...

Não conhecia este texto da Florbela, ela que só queria amar por amar...lindissimo e com esta música de fundo é um convie ao amor sem egoismo
Beijo
Graça

Naty e Carlos disse...

Carinho é o óleo que lubrifica as engrenagens da vida."
Bjs

Fernanda disse...

Querida Lisa!

Que bem que o disseste!
Só assim é amor...exactamente assim.

Lindo!

Beijinhos

me, myself and I disse...

Olá, Lisa!
Que belo texto da Florbela Espanca vim aqui encontrar.
Altruista... assim é o amor!

bj e obrigado pelas visitas

Flor ♥ disse...

Olá, minha querida!

Estou de volta, morrendo de saudades
dos amigos!

Espero que o feriado tenha sido bom
para você! E que tudo esteja bem com os teus!

Florbela encanta-me... sempre tão intensa!

Beijos!

Carlos Albuquerque disse...

Bom dia Elisa!
Tornando-se egoísta, o amor deixa de o ser. O amor é partilha, mesmo que seja da dor. Como diz Florbela, um interesse sem cálculo.
Quando se ama envolvemo-nos num casulo tecido com os fios da felicidade e, aí, não há, não pode haver, lugar para egoísmos!
Beijinhos

Fernanda disse...

Querida Lisa,

Sabes que não reparei que o poema não era teu, mas da minha também muito querida Florbela Espanca.

Quando o li senti-o tão teu que nem fui ler a autoria.
Lindo e perfeito é este amor.

Beijinhos

alegria de viver disse...

Olá querida
Estava fora e por isso não tenho comentado.
Belo texto, como tudo que ela escreve, e que vença o amor.
Com muito carinho BJS.

José disse...

Olá Lisa,
Em primeiro lugar muito obrigada pelo seu tão bonito comentário em meu blog, a Lisa por ser uma das primeiras seguidores do meu blog e´talvez a que me conhece melhor.
Amar é uma palavra bonita, amar a vida,amar as pessoas, amar quem nos ama a nós, amar como amava a Florbela.

um beijinho grande,
José.

Nilson Barcelli disse...

Não conhecia, mas a Florbela está com carradas de razão.
Querida amiga, um beijo.

Ana Martins disse...

Amiga Lisa,
Também não conhecia este texto de Florbela Espanca que além de lindíssimo traduz na perfeição o verdadeiro amor!

Beijinhos,
Ana Martins

Laura disse...

Gostei da parte onde entra ; Os outros, amando as mulheres, são como os gatos que quando acariciam, é a eles que acariciam.

Exactamente, como ela descreveu bem a maioria dos homens...
Um abraço apertadinho da laura

Agulheta disse...

Queridos amigos que aqui comentaram,o meu obrigado e a estima por todos.A gratidão,é uma das palavras que devemos ter, por aqueles que gostamos e que gostam de nós.
Beijinho Lisa

Eduardo Aleixo disse...

O amor de verdade, com letra grande, é incondicional. É dádiva.
É difícil.
Rilke escreveu: " Amar é difícil. E os homens fiogem ao difícil ".
Um beijo

Dulce disse...

Lisa

Tão lindo texto (que também desconhecia) de nossa querida Florbela... Como sabia amar e bem definir o amor, esta mulher que consegue sempre nos encantar!...
Beijos

Ana Paula disse...

Olá querida Lisa boa noite!!!
Já há pouco fui ao teu espaço poético, mas tive que interromper. Estou já há algum tempo na minha filhota porque a pequenina adoeceu, mas já passou o pior felizmente. Chegou a estar internada 8 dias com uma infecção pulmonar. Vou ficar por aqui mais uma semanita se tudo correr bem e ela poder regressar ao Infantário.
Estas mudanças climatéricas dão nestas coisas e depois os pequeninos e os velhinhos são os mais atingidos. Felizmente a minha velhinha tem estado bem, ainda não se constipou e já vai fazer 87 anos em Maio.
Relativamernte a este texto poético da nossa poetisa Florbela, acreditas que nunca tinha lido?
Está lindíssimo!!!
Aproveito para te desejar uma noite muito feliz!!!!!!
Jinhos doces,
Ana Paula