sexta-feira, dezembro 04, 2009



Um dia observando um terreno baldio, fiquei comovido ao identificar no meio as várias ervas daninhas um linda flor de cor amarela.
Não era difícil percebê-la , sua cor e forma contrastavam enormemente com as ervas de coloração verde que a rodeavam.
Durante alguns minutos essa súbita observação suscitou em mim uma série de reflexões: pensei no quanto estamos em um mundo difícil de se viver e no quanto é importante a gente não se pode deixar sufocar pelos problemas.
Conclui que por mais que o mundo esteja cheio de ervas daninhas, nós não temos que nos tornar uma delas. Não importa qual sejam as dificuldades haverão sempre flores amarelas...
Quando deixamos de percebê-las é porque a pretensão de achar que sabemos tudo nos tapa os olhos.
Nisso, perdemos a um pouco da nossa identidade e passamos a achar o nosso lugar ruim de viver. Invejamos o jardim do vizinho.
Achamos que seríamos mais felizes com uma outra casa, carro, emprego... vã ilusão! Poucos são os jardins onde não existem ervas daninhas.
O que torna uns mais belos que os outros é tão somente a maneira como os observamos e a capacidade que temos, ou não, de identificar as flores em meio às ervas daninhas.

Sabedoria dos mestres
foto:glimbo.com

10 comentários:

Pedro Ferreira disse...

Querida Lisa,

Belíissimo texto e cem por cento certo.
Há ervas daninhas em todos os jardins... em todas as pessoas há e o bem e o mal, só temos que saber muito bem onde está cada um e dominar o mal para que possamos praticar o bem.

Beijinhos

Fernanda disse...

Amiga Elisa,

Não estranhes que tenhas dois comentários assinados por mim mas com a imagem do Pedro.
A verdade é que eu tenho a senha dele e usei-a por engano. Assim como tenho a do José, não sei como peguei na do Pedro.

Olha ganhas mais um comentário.

Já agora, quando fores ao Rau, trás de lá um miminho lindo, sei que vaia adorar.

Beijinhos

alegria de viver disse...

Olá querida
Este é um belo depoimento maravilhoso.
com muito carinho BJS.

Flor ♥ disse...

Querida Lisa,

Não ligues às ervas daninha... não são mesmo capazes de apagar a beleza da flor amarela, que há de brilhar...

Quanto essas tristes ervas daninhas, logo, logo, murcharão e secarão!

Beijo grande de amizade para ti!

José disse...

Olá amiga Lisa,
Eu também tinha ervas daninhas no meu jardim,que não deixavam crescer
nada em seu redor, um dia comprei um ervicida do mais ruím, e acabei com todas elas,hoje tenho flores de todas as cores brancas vermelhas e amarelas.
o resto dum fim de semana,
um beijinho, José

Maria disse...

Palavras sábias, as que nos deixas aqui.

Bom domingo, Lisa
Beijinho

Dulce disse...

Minha amiga
Cuidar do jardim é também, e principalmente, afastar as ervas daninhas...

Um lindo final de semana para você.
Beijos

Fernanda disse...

Olá amiga Lisa,

Passei para te desejar um bom Domingo, apesar deste tempo horrível.

Pensa que é Primavera, foi o que fiz hoje no Rau.

Beijinhos

Agulheta disse...

Aos amigos que aqui comentaram,agradeço a visita de todos,assim como a minha amaizade pelo gesto.
Beijinhos Lisa

Pedro
Fernanda
Alegria de viver
Flor
José
Maria
Dulce

Ana disse...

Belíssimo texto com palavras muito sábias!!!
Era bom que não houvesse ervas daninhas mas infelizmente existem, no entanto a flor amarela nasce no meio e faz a beleza do jardim.Obrigada pelo teu carinho, por seres especial!!!
Adorei!!!
Jinhos doces,
Ana Paula