quarta-feira, dezembro 09, 2009



Com o aproximar do Natal as saudades voltam como fantasmas.
Eles me visitam,uns deixam sorrisos,outros ligeiras melancolias
mas um deles deixa uma saudade sem fim,de alguém que foi e não mais volta.O cheiro da canela pelas narinas ao fim da tarde e a bela aletria doce,como o tempo correu,as rabanadas na mesa e uma bela toalha de linho branco,que mais parecia neve,as grandes travessas que fumegavam com as couves e o bacalhau,e tudo em alvoroço em volta da cozinha! E mais tarde na mesa,a alegria dos crescidos e dos miúdos,que não se cansavam de perguntar as horas para irem dormir, e esperar que o fogão arrefecesse para depositar os sapatos e esperar para o dia seguinte... sempre com o brilho do olhar,e dizer,o que será que o Menino Jesus trás para mim logo pela manhã.E como no dia seguinte se ficava feliz com tão pouco,não tinha fitas de cores,mas tinha um amor enorme,os chocolates recebidos e uma boneca pequena,mas que fazia as alegrias das meninas da altura,e para não falar do carrinho de chapa pintada para os meninos,até a tinta não fazia mal...e hoje tudo faz mal,até os sonhos fazem mal a alguns, era assim o meu natal e como os de muitos na altura,e como éramos felizes,com tão pouco?
Lisa

20 comentários:

alegria de viver disse...

Querida amiga
Tens toda razão, meu Natal também tinha esse mistério, era tão saudável, quantas saudades.
Com muito carinho BJS.

Agulheta disse...

Alegria de viver.
Nesta altura é sempre bom lembrar a magia que tinha o natal,antes e de agora...tão diferente.
Beijinhos
Lisa

Mona Lisa disse...

Olá Lisa

Tens razão. O consumismo desenfreado tirou algum brilho ou melhor ,a inocência ,ao Natal como nós o vivíamos.

Tenho saudades dos Natais da minha infância.

Bjs.

Lisa

Laura disse...

Ehhh voltei a casa dos meus avóz queridos, em Covê-lo perto do gerês, ah, quanta saudade na alma, quanta ternura recordada em doce sonhar, sabemos que esses Natais não voltam mais, mas...a lembrança torna-se eterna assim como eterno é o nosso amor por todos os que já partiram e sempre farão parte de nós...

Beijinhos, muitos e que haja sempre familia na mesa da Consoada..abraço-te com carinho, laura

Flor ♥ disse...

O Natal é uma data que sempre me sensibiliza muito, pelos mesmos motivos que os seus. Sinto saudades dos meus pais que não estão mais conosco, saudades da simplicidade da vida, dos sonhos que nos permitíamos ter... Hoje, perdeu-se muito desse encanto.

Beijinho, Lisa.

Agulheta disse...

Elisa.
O consumismo desenfreado é que fez perder a magia do natal,que ninguém tenha dúvida.
Agadeco o carinho,beijinhos
Lisa

Agulheta disse...

Laurinha. Sei que o tempo foge e não volta,não sou saudosista de certas coisas,mas das raízes sim amiga,estão presentes na minha formação como pessoa.
Beijinhos no teu coração Lisa

Agulheta disse...

Flor.
Penso que as pessoas com mais sensibilidade,são datas que marcam muito,tudo era mais simples, se vivia doutra maneira.
Beijinhos de amizade
Lisa

Dulce disse...

Lisa
Sempre fico pensando nisso, amiga. Em como eramos todos tão felizes com tão pouco e agora, com tanto, sempre fica a faltar alguma coisa... Éramos almas simples, nossos sonhos eram simples. Ah, que saudade de mim!...

beijos

Agulheta disse...

Amiga Dulce.
A vida muito tem mudado,umas para bem,outras nem por issi,se faz muito desperdício,e outros a precisarem.
Beijinho e obrigada pelo carinho Lisa

Fernanda disse...

Querida Lisa,

Foi bom recordar os bons velhos tempos.
Éramos felizes com umas coisinhas simples, éramos crianças.
O Natal é delas.

Um beijo grande e um abração ao João,
da Ná e do José

Ana Martins disse...

Era esta a nossa verdade Lisa, tudo era lindo e nos enchia de alegria.

Hoje tudo é diferente, o mundo mudou, e sem darmos por isso ao querermos dar tudo aos nossos filhos, contribuimos fortemente para que eles não dêem o mesmo valor ás pequenas coisas.
Estamos errados bem sei... Mas é por amor!

Beijinhos,
Ana Martins

tossan® disse...

Pois é, neste natal não vou convidar duendes e nem Papai Noel para a ceia simples só você e o aniversariante. Belo texto!

José disse...

Olá Lisa,
Que linda Mensagem de Natal,que nos ofereces neste poema.
Eu também recordo o Natal da minha infância com muuita saudade, embora a mesa fosse bem mais pequenina.

Um beijinho, José

Laura disse...

Querida Lisa, a saudade das pessoas marca mais, nos Natais da meninice,d epois da juventude e, mais tarde, vão desaparecendo, pouco a pouco, os tempos eram outros, mas, na evrdade, com menos havia mais, mais de tudo, até amor!...Grande abraço ternurento da, laura

Secreta disse...

Quanto mais temos mais queremos, e menos valor damos ao que temos.
Bom fim de semana.

Manuela disse...

Anda nostálgica amiga Elisa, a Chica também tem um post parecido.
Eram muito mais giros os natais de antigamente.
Agora já nem Natal é.
É só consumismo.
Beijinhos
Bom fim de Semana
Manuela

Graça Pereira disse...

Tens razão, Lisa! A fartura agora dá volta á cabeça...perderam-se os mistérios, os segredinhos a tentar descobrir o que nos calhava no sapatinho. E a alegria da manhã do dia 25(quem conseguia dormir?) era um autêntico milagre: Ele viera e não se esquecera de nós!! Como é que as cartas tinham chegado ao céu??
Éramos realmente felizes!!
Beijos
Graça

Céci disse...

Olá Amiga!

Como entendo o que o escreveste aqui!

Mas sabes, nesta altura andamos todos muito sensíveis, e pelas mais variadas razões, mas é muito bom ter saudades, saudades dessas coisas tão pequeninas e tão simples, mas que nos enche o coração de coisas boas!

Adorei muitoo

Bjinhos

Céci

Ana disse...

Eramos crianças muito felizes, porque não nos faltava amor "as toneladas" que era o mais importante.
O que escreveste fez-me recordar os "Natais" da minha infância, e consegui sentir os "aromas" dos alimentos:-))
Obrigada por este belo momento tão especial.
Beijinhos bem docinhos com aroma a canela:-))
Ana Paula