sexta-feira, novembro 20, 2009



Os anjos que conheço são de erva e de silêncio
nalgum jardim de tarde. Mas quais os mais ardentes?
Feitos de mar e sol, elevam-se nas ondas,
entre as mulheres de coxas tão fortes como touros
O meu luto é de mesas e de bandeiras sem paz
É estar sem corpo à espera, inconsolada boca,
o fogo ateia o peito, a cabeça perde a fronte,
o vazio rodopia, é o celeste inferno.
Desço ainda um degrau com o anjo infernal,
um turbilhão de ervas, um redemoinho de sangue
Quem me vale agora se perdi o meu cavalo?

António Ramos Rosa
foto:glimbo

11 comentários:

Dulce disse...

Tão lindo esse poema... E tão triste.

Vim desejar-lhe um lindo final de semana, Lisa.
Beijos

Agulheta disse...

Amiga Dulce! Por vezes a poesia conduz com o tempo.
Beijinho e agradeço de coração.
Lisa

Flor ♥ disse...

Querida Lisa,

Passei prá deixar o meu carinho...
.
.
.

Laura disse...

ehhh, o poeta, que compre outro e tá resolvido, mas está lindo o poema, beijinhos, muitos, da laura.

Ana disse...

Querida amiguinha Lisa
Li duas vezes este belo poema de António Ramos Rosa, para entender o que ele queria transmitir, e adorei!!!
Todos os temas que ele escolhe dizem respeito à falta de liberdade, que a maior parte das pessoas sentiam na época de Salazar, já que ele também foi um preso político.
Beijinhos repletos de carinho,
Ana Paula

Fernanda disse...

Querida Lisa,

Espero que seja mesmo só o tempo que te provocou esse estado de espírito tõa sombrio.

A poesia é linda, sem dúvida, mas não condiz com a minha qurida amiga.

Beijinhos e abraços,
Ná e José

Ricardo Calmon disse...

Antonio RTamos Rosa,de dadas mãos com Ele ,estva,quando emanou poema esse!
Ler só tres vezes,não suficiente foi,quase abissal Elisa Caríssima!
Te agradeço a honraria,e em perfil seu,uma irmã(nunca tive) vislumbrei e chorei!

Te amo,pessoa infinita do bem!

Respeito profundo,admiração toda,uma ternura ,quase do tamanho de campos de girassois meu!

Bzu mãos suas Pessoa!

Viva Vida!

Maria Faia disse...

Olá Amiga,

Neste belo dia de Domingo desejo que o Sol brilhe em toda a tua vida.
Domingo feliz,
Bjos

Maria Faia

Céci disse...

Olá Amiga Lisa,

A tendência é mesmo escrever coisas pouco alegres, eu sinto isso também, somos mesmo como o tempo,ou o tempo exerce esse poder em nós.

Bjinhos e continuação de bom domingo

Céci

Lídia Borges disse...

António Ramos Rosa, poeta e ensaísta considerado um dos melhores poetas portugueses da actualidade.
A sua poesia toca o real de forma tão particular que não admira nada que o seu nome tenha sido apontado como candidato ao prémio Nobel.

Obrigada pela partilha

Um beijo

Agulheta disse...

Aos amigos que aqui comentaram,obrigados pela partilha de palavras e opinião.
Beijo meu e carinho a todos vós.
Lisa