terça-feira, novembro 24, 2009


As mãos pressentem...

As mãos pressentem a leveza rubra do lume
repetem gestos semelhantes a corolas de flores
voos de pássaro ferido no marulho da alba
ou ficam assim azuis
queimadas pela secular idade desta luz
encalhada como um barco nos confins do olhar

ergues de novo as cansadas e sábias mãos
tocas o vazio de muitos dias sem desejo e
o amargor húmido das noites e tanta ignorância
tanto ouro sonhado sobre a pele tanta treva
quase nada

Al Berto
foto( daqui:http://raquelordonesemgotas.blogspot.com

11 comentários:

Carlos Albuquerque disse...

Amiga Elisa,

Lindo este texto.
As mãos pressentem...
Mais do que qualquer outra parte do nosso corpo, as mãos vêem, sentem, tocam, acariciam, revoltam-se, constroiem, destroem e amam!
Melhor do que eu, fala Manuel Alegre, no seu poema "As mãos", que aqui lhe deixo com muita amizade:

"Com mãos se faz a paz se faz a guerra.
Com mãos tudo se faz e se desfaz.
Com mãos se faz o poema – e são de terra.
Com mãos se faz a guerra – e são a paz.

Com mãos se rasga o mar. Com mãos se lavra.
Não são de pedras estas casas mas
de mãos. E estão no fruto e na palavra as mãos que são o canto e são as armas.

E cravam-se no Tempo como farpas
as mãos que vês nas coisas transformadas.
Folhas que vão no vento: verdes harpas.

De mãos é cada flor cada cidade.
Ninguém pode vencer estas espadas:
nas tuas mãos começa a liberdade."

Beijinhos

Fernanda disse...

Querida Amiga Lisa,

Poema lindíssimo. Parabéns pela escolha.

As mãos são mais do que olhos: elas têm a precepção exacta de tudo...principalmente das sensações e emoções que passam pelo coração e pelo corpo.
Desde a suave sensação de um carinho até ao desejo ardente que nos queima a alma.

Adorei.

Beijos mil e as tuas melhoras,

mundo azul disse...

______________________________


...bonito!!!

Um poema muito terno...


Beijos de luz e o meu carinho!!!

___________________________________

Graça Pereira disse...

Lindissimo poema! As mãos falam e de que maneira! Têm uma linguagem muito própria...são pombas levadas pelo vento, em carícias ternas espalhando amor...Há mãos abertas prontas a dar em generosidade...Há mãos fechadas, estagnadas pelo egoismo...
As tuas, anjo da paz, são mãos benditas!
Im beijo amigo
Graça

José disse...

Olá amiga Lisa,
Estou voltando, e agora com mais força para proseguir este meu caminho, e ficar na vossa companhia
onde eu me sinto tão bem.
Os resultados dos meus exames foram negativos, por isso sei que não tenho nada de grave, o que me deixa bastante feliz.
Lisa muito obrigada pelos os seus comentários e as palavras bonitas que lá deixou, que me ajudaram a suportar melhor estes ultimos dias de alguma angustia.

um beijinho,
José

Dulce disse...

Um poema muito lindo, Lisa...
A gestualidade das mãos traduz muito mais do que dizemos, sem a menor dúvida.
Beijos

Agulheta disse...

Carlos!
As mãos fazem tudo isto que comentou,e como diz o poeta Alegre,elas são da terra,se faz a guerra e a paz,é fundamental para os povos
Beijinho
******************************
Querida Ná.
Como dizes e bem,as mãos tem as emoções contidas,onde as mesma num abraço nos dizem tudo.
Beijinhos
*******************************
Querida Zélia. Só um mundo Azul e de Paz,disse tanta ternura.
Beijinhos
********************************
Querida Graça.
As mãos que se fecham e são tantas,não podem vir até seja quem for,só as livres e abertas podem dar e receber.
Beijinhos
********************************
Amigo José.
Como fico feliz em saber que tudo está bem consigo,somos virtuais mas amigos,por aqui tenho andado com algumas dores d e coluna,mas é normal,mais descanço e fico bem.
Beijinhos
*********************************
Querida Dulce.
Eu gosto de ver umas mãos que tenham sentido da vida,os gestos
Beijinhos
**********************************

Maria disse...

As mãos são sempre tanto... e as palavras do Al Berto não são comentáveis. Ainda não está suficientemente divulgado entre nós...

Beijinho, Lisa

Ana disse...

Querida Lisa, adorei este maravilhoso poema sobre o que as mãos pressentem.
Estava a ler e a lembrar-me das pessoas ceguinhas que sem as mãos não conseguiam ter a percepção do que os rodeava.
Infelizes daqueles que não tem mãos.:-(
Que todos os que as tem as saibam usar para o bem.
Um grande beijinho repleto de carinho,
Ana Paula

Agulheta disse...

Maria.Tens toda a razão sobre as mãos,quanto ao poeta,outro que pouco encontro onde comprar seus livros.
Beijinhos

Agulheta disse...

Ana!
Tanta razão que seriam dos cegos,as suas mãos são o seu tacto,e falam por si.
Beijinhos