terça-feira, setembro 22, 2009



(foto net)

Retrato do Povo de Lisboa

É da torre mais alta do meu pranto
que eu canto este meu sangue este meu povo.
Dessa torre maior em que apenas sou grande
por me cantar de novo.

Cantar como quem despe a ganga da tristeza
e põe a nu a espádua da saudade
chama que nasce e cresce e morre acesa
em plena liberdade.

É da voz do meu povo uma criança
seminua nas docas de Lisboa
que eu ganho a minha voz
caldo verde sem esperança
laranja de humildade
amarga lança
até que a voz me doa.

Mas nunca se dói só quem a cantar magoa
dói-me o Tejo vazio dói-me a miséria
apunhalada na garganta.
Dói-me o sangue vencido a nódoa negra
punhada no meu canto.

Ary dos Santos

Gosto do poeta,do poema e do povo de Lisboa

29 comentários:

EDUARDO POISL disse...

Lindo poema, linda homenagem a Lisboa.
Abraços com uma boa semana

Maria Clarinda disse...

Lina a escolha do poema do Ary.
Ainda ontem estava no café di Roma, na baixa chiado e a paisagem que via da janela era essa da foto. Jhs mil.

Dulce disse...

Lisa

Um poema para uma cidade que trago no coração desde que lá estive...
beijos

FOTOS-SUSY disse...

OLA LISA, BELISSIMO POEMA, BELA ESCOLHA...ADOREI AMIGA!!!
QUE PASSES UMA OPTIMA TARDE, FICA COM DEUS...
BEIJOS DE CARINHO E AMIZADE,




SUSY

Agulheta disse...

Olá Eduardo! Agradeço a visita e comentário sempre bem recebido por aqui.Retribuo a amizade em dobro.
Abraço Lisa

Agulheta disse...

Clarinda! Tenho um filho a morar em Lisboa,vou lá algumas vezes,mas érealmente bonita...uma cidade cosmopolita.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Olá querida Dulce! Quem sabe numa próxima visita à princesa do Tejo,para aliviar o coração da saudade.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Olá Susy!Obrigada querida pela amizade e visita a este cantinho.
Tudo de bom para ti e beijinho Lisa

Céci disse...

O Ary é incomparavel, é unico!


Em tudo o que escrevia ele punha uma dose de grito e de saudade com um toque muito especial, ao le-lo eu quase consigo ve-lo a declamar este poema.

Adorei amiga!

Bjinhos

Céci

Agulheta disse...

Céci! Falta um Ary para estremecer um pouco as ideias de alguns.
Beijinho Lisa

elvira carvalho disse...

Adoro Ary. Que bom encontrá-lo aqui.
Um abraço

pin gente disse...

gostei da força das palavras!
um abraço

alegria de viver disse...

Olá querida
É um belo poema, e uma bela homenagem.
Com muito carinho BJS.

Carminda Pinho disse...

Eu gosto do poema, do poeta e de pessoas como tu.
:) Beijinhos

Não sei porquê não consigo comentar, com a minha conta. Coisas do blogger...

Agulheta disse...

Elvira.Nas livrarias é difícil encontar Ary! Só na biblioteca.
Abraço

Agulheta disse...

pin gente!
Obrigada por responder , e das palavras.
Abraço

Agulheta disse...

Alegria de Viver!
Agradeço a visita e as palavras
Beijinho Lisa

Lucília Ramos disse...

Olá Lisa!

Fiquei satisfeita por saber que apreciaste ver um pouquinho da tua terra...
Eu não te avisei da minha ida a Fafe, porque fui em Agosto, com a família, nem sabia que poderia encontrar-te por lá.

Já vi que também gostas de homenagear Portugal e os seus poetas. Ainda bem!

Um abraço,
Lucy

M@ disse...

Obrigado por gostar de Lisboa e da nossa gente.
Mas Lisboa já tem muito poucos lisboetas, agora é quase tudo de fora.
Beijo
Manuela

Agulheta disse...

Olá Lucy. Sim e penso que falaste bem dela e fotografaste melhor ainda.Foi pena não te encontrar,haverá outras alturas.
Portugal é pequeno,mas tem um povo muito bom e bonito.
Beijinho Lisa.

Agulheta disse...

Manuela. Todas as cidades da Europa e não poderá ficar de lado Lisboa,está a ter outros povos habitar,e com outras culturas.
O meu filhote mora aí e adora.
Beijinho

As palavras que te digo disse...

Bonito poema de Ary.Bonita a imagem de Lisboa.
Também um dia quero ir por aí, quem sabe?

Beijinhos

Por aqui tudo a entrar nos eixos de novo.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, bela fotografia de Lisboa...poema espectacular de Ary dos Santos....
Beijos

Ana disse...

Escolheste um lindíssimo poema do grande e imcomparável Ary dos Santos.
Ele fica para sempre na nossa memória, estava a lembrar-me de algumas letras que ele escreveu para tantos artistas,entre os quais se contam, Zeca Afonso, Amália Rodrigues, Carlos do Carmo, Fernando Tordo, Paulo de Carvalho, Simone de Oliveira...
Adorava ouvi-lo a declamar os seus poemas na TV. Era fantástico!
Um grande beijinho repleto de carinho,
Ana Paula

José disse...

Olá Lisa,
O José Carlos Ary dos Santos era uma força da Natureza a escrever, e a declamar,para mim não havia outro como ele, a força que ele impunha nas palavras até fazia arepiar.

bom final de semana
um beijo, José

Agulheta disse...

As palavras que te digo!
Obrigada pela visita e comentário,e porque não brevemente amiga,a minha casa está a ordem.
Beijinho

Agulheta disse...

Fernando Santos!
Sim Ary era imparável na poesia,vivia intensamente.
Beijinho.

Agulheta disse...

Ana!
Para toda esta gente escreveu,belas palavras fortes,na memória não esquece o seu declamar era vida,arrepiante.
Beijinho de carinho.
Lisa

maura theobald disse...

Querida amiga!
É muito bom voltar aqui e ler seus escritos!
Obrigada por existires!
Um beijo da Maura!