quinta-feira, julho 09, 2009

Solidão



Que venham todos os pobres da Terra
os ofendidos e humilhados
os torturados
os loucos:
meu abraço é cada vez mais largo
envolve-os a todos!

Ó minha vontade, ó meu desejo
— os pobres e os humilhados
todos
se quedaram de espanto!...

(A luz do Sol beija e fecunda
mas os místicos andaram pelos séculos
construindo noites
geladas solidões.)

Manuel da Fonseca

6 comentários:

Maria Emília disse...

Era assim, cara amiga, que muitos de nós gostaríamos de ver o Mundo.
Já levei o seu selo para as minhas Caixas de Recordações. Obrigada.
Um beijinho,
Maria Emília

Sofia Cordis disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Carminda Pinho disse...

Um bonito poema de Manuel da Fonseca.

Beijos, Lisa.

Céci disse...

Adorei Elisa,

O tal abraço e beijo que todo o mundo precisa. Calor, compreensão e sobretudo amor.

Bjinho

Céci

Chris disse...

Um grande poeta...
Obrigado
Chris

Agulheta disse...

Olá amigas! de vez em quando aparece nestes spaços blogs,uns (cromos) que só destabilizam quem escreve,podiam ir pregar para outro lado,não tenho paciência para isto.A estas amigas o meu bem haja e fiquem bem.
Beijinho

Maria Emilia
Carminda
Céci
Chris