quarta-feira, julho 15, 2009

Para Ti



Foi para ti
que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra
toquei no nada
e para ti foi tudo

Para ti criei todas as palavras
e todas me faltaram
no minuto em que talhei
o sabor do sempre

Para ti dei voz
às minhas mãos
abri os gomos do tempo
assaltei o mundo
e pensei que tudo estava em nós
nesse doce engano
de tudo sermos donos
sem nada termos
simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos
vivendo de um só
amando de uma só vida

Mia Couto

21 comentários:

Ana disse...

Um belo e romântico poema de Mia Couto, um grande escritor Moçambicano. Nunca li livros dele, mas quando almoçava no refeitório o Pedrinho um menino que nasceu lá, falava-me muito dele, e contava-me o que lia. Ando já há muito tempo para comprar um livro dele, mas entretanto vão-me oferecendo outros ou chego à Bertrand e encontro algum que também quero ler, e vai passando. Mas agora com ese lindo poema fez-me lembrar dele e acho que vou gostar porque tem uma escrita muito simples. Gostei muito.
Quanto ao susto, nem imaginas, nem queria dizer nada a ninguém, porque tinha todos os sintomas de uma gripe se era A B ou C eu não entendo, porque com uma amigdalite nunca tive dores no corpo como desta vez, e um cansaço enorme. Agora já sei, estava também com a hemoglobina muito baixa e a tiroide também mal. Agora medicada já me sinto outra. Ainda não voltei para lá porque quero recuperar a 100% para não pegar às crianças. Mas estou cheia de saudades daqueles pimpolhos:-)
Obrigada querida Lisa,por estares sempre preocupada comigo e sempre a comentar o que adiciono, eu porto-me muito mal contigo, desculpa. E quando for para lá ainda me vou portar pior, primeiro o tempo voa:-) e não me entendo nada com os computadores deles:-). Parece que nem vejo nada:-)
Tudo de bom querida e vai dando notícias também.
Agora vou ver o resto:-)
Jinhossssssssssssssssssss

Estrela d'Alva disse...

Não tenho muito que dizer, apenas mandar um beijinho =)

Estrela d'Alva

Maria Emília disse...

Amiga Lisa,
Devoro a poesia de Mia Couto. Conheço-o pessoalmente é uma pessoa encantadora. Deixo-lhe este que retrata muito bem o tema:

Solidão

Aproximo-me da noite
o silêncio abre os seus panos escuros
e as coisas escorrem
por óleo frio e espesso

Esta deveria ser a hora
em que me recolheria
como um poente
no bater do teu peito
mas a solidão
entra pelos meus vidros
e nas suas enlutadas mãos
solto o meu delírio

É então que surges
com teus passos de menina
os teus sonhos arrumados
como duas tranças nas tuas costas
guiando-me por corredores infinitos
e regressando aos espelhos
onde a vida te encarou

Mas os ruídos da noite
trazem a sua esponja silenciosa
e sem luz e sem tinta
o meu sonho resigna

Longe
os homens afundam-se
com o caju que fermenta
e a onda da madrugada
demora-se de encontro
às rochas do tempo

Mia Couto, in "Raiz de Orvalho e Outros Poemas"
Um beijinho,
Maria Emília

Maria Clarinda disse...

Mais um poema maravilhoso de MIa couto, que adoro. Obrigada pela partilha. Jhs

Carla disse...

sabes que adoro Mia Couto...e le-lo aqui tem um encanto especial. Obrigada pela oferta
beijo doce

Ana S. disse...

Bonito poema amiga!
Para quem amamos damos tudo
Beijinhos

José disse...

Mia Couto è para mim um dos melhores escritores de África,e um grande poeta. Desde que ele disse ao Bucho
que depois da guerra todos iriamos ficar mais pobres o que infelismento veio a acontecer. desde dai já comprei seis livros dele o ultimo que ainda estou lendo Jesusalém

um beijinho

José disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Céci disse...

Olá,

Bonito este poema do Mia Couto, assim como outros que já li e adorei.

Bjinhos e estes para Ti.

Céci

Cöllybry disse...

Para Ti terna amiga, neste delicioso poema de doação...


., . - . - , _ , .
.) ` - . .> ' `(
/ . . . .` . .
|. . . . . |. . .|
. . . . ./ . ./
.. `=( /.=`
.... `-;`.-'
......`)( ... ,
....... || _.-'|
........|| _,/
........|| .*´¨)
¸.•´¸.•*... ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` *
*´¨) Terno beijo
¸.•´¸.•*... ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` **?*?

(cuidado com a gripe)

bemviver disse...

Olá querida muito bonito este poema, achei muito sutil.
Meu carinho BJS.

Meg disse...

Lisa,

Estou por fim de volta... e que maravilha encontrar aqui o "nosso" Mia Couto!
Hoje ainda passo a correr - quero aproveitar este dia para pôr a escrita em dia - mas depois retomo a regularidade.

Beijo

Laura disse...

Mia Couto, não precisa de apresentação...é o Poeta dos Poetas, o renascer da poesia em tom maior..Um beijinho, adorei ler..laura.

elvira carvalho disse...

Adoro Mia Couto, um homem com um homem que escreve com uma sensibilidade enorme. Acabei de ler, "Raiz de orvalho e outros poemas"
Um abraço e bom fim de semana

Maria disse...

Sabes que AMO o Mia Couto... e não consigo gostar menos de um livro do que do outro... com os poema ainda é mais difícil!
O Mia é um escritor excelente, e como pessoa é extraordinário. Mais acessível e simpático do que muito boa gente da nossa praça...
Obrigada pelo poema, Lisa.

Beijinhos

Vieira Calado disse...

Obrigado pela partilha.

Bom fim de semana.

Bjs

Papoila disse...

Querida Amiga:
Lindo e muito terno este poema de amor de Mia Couto. Ando muito atarefada com oplano de contingência da gripe A. É bom visitar os amigos e deleitar-me com poemas belos.
Beijos

Rabiscando disse...

Sem palavras diante desse belo poema, parabéns.

beijos!

Anita disse...

Fiquei maravilhada com esse poema, não conhecia, lindo.

Tem selinho pra vc.

Bjs e bom domingo.

quanto pesa o vento? disse...

o inconfundivel Mia Couto.
obrigado por partilhares.

Fernanda disse...

Bom dia amiga ..realmente, muito azar mesmo.
Adoro Mia Couto, belíssima escolha do poema que me diz muito neste momento em particular.

Para responder a uma observação sua, digo-lhe que me sinto Minhota embora não o sendo.
Nasci e vive no Porto 40 anos, vivo em Cerveira há 18, terra natal do meu pai e minha por adopção.
Fiz recentemente preparação para o CPE no Instituto Britânico de Fraga e fiquei a adorar essa cidade.
O meu Prof. o Fred Grech ficou amigo do peito e ele vem cá muitas vezes.
Por isso já vê, há muita coisa em comum.

Obrigada por visitar o meu recém criado Blogue.
Volte sempre...
Beijinhos
Fernanda Ferreira