sexta-feira, junho 26, 2009

Fim de Semana



Estirado na areia, a olhar o azul,
ainda me treme o parvalhão do corpo,
do que houve que fazer para ganhar o nosso,
do que houve que esburgar para limpar o osso,
do que houve que descer para alcançar o céu,
já não digo esse de Vossa Reverência,
mas este onde estou, de azul e areia,
para onde, aos milhares, nos abalançamos,
como quem, às pressas, o corpo semeia.



Alexandre O´Neill

quarta-feira, junho 24, 2009

Pequenas Letras



Quando olhares à janela,tenta sempre a companhia perfeita.Conta as estrelas,partilha os sonhos,a esperança.Se o fizeres com amor,a vida é muito melhor.



Caminha lado a lado,em passo certo e seguro,nunca vaciles,procura uma mão de amor ou afecto para o conseguires. Se assim for,podes chegar ao horizonte,e nem a areia da praia te faz doer o caminhar.

Lisa

segunda-feira, junho 22, 2009

Uma Cidade


(foto net)

Uma cidade pode ser
apenas um rio, uma torre, uma rua
com varandas de sal e gerânios
de espuma. Pode
ser um cacho
de uvas numa garrafa, uma bandeira
azul e branca, um cavalo
de crinas de algodão, esporas
de água e flancos
de granito.
Uma cidade
pode ser o nome
dum país, dum cais, um porto, um barco
de andorinhas e gaivotas
ancoradas
na areia. E pode
ser
um arco-íris à janela, um manjerico
de sol, um beijo
de magnólias
ao crepúsculo, um balão
aceso

numa noite
de Junho.

Uma cidade pode ser
um coração,
um punho.

Albano Martins

sexta-feira, junho 19, 2009

Lugar de Junho



É melhor não dormirmos
sob o árido labirinto da tristeza.
À nossa frente existe um pórtico
purificado por uma névoa de sons.
Vamos transgredir o limiar do absurdo,
porque encontramos um abrigo musical,
onde ninguém pode separar as nossas bocas
o percurso das águas outonais.
É verde o germe do sol nos nossos olhos
e, sem querer, a sombra de um pretexto
emerge do assombro de nós próprios
como um regresso plural da inocência.
Estamos num lugar de Junho
e qualquer sinal de ausência
pode ser apenas um veleiro
que partiu dos nossos dedos

Graça Pires

quarta-feira, junho 17, 2009

A Renúncia ao Poder



O único factor material indispensável para a geração do poder é a convivência entre os homens. Estes só retêm poder quando vivem tão próximos uns dos outros que as potencialidades da acção estão sempre presentes; e, portanto, a fundação de cidades que, como as cidades-estado, se converteram em paradigmas para toda a organização política ocidental, foi na verdade a condição prévia material mais importante do poder.
O que mantém unidas as pessoas depois de ter passado o momento fugaz da acção (aquilo que hoje chamamos «organização») e o que elas, por sua vez, mantêm vivo ao permanecerem unidas é o poder. Todo aquele que, por algum motivo, se isola e não participa dessa convivência renuncia ao poder e torna-se impotente, por maior que seja a sua força e por mais válidas que sejam as suas razões.

Hannah Arendt, in 'A Condição Humana'

segunda-feira, junho 15, 2009

Calçada



Tu que te achas um ser superior,olha para a esquerda e para a direita! Mas que o teu olhar se prenda no que vês, meninos sem lar,mulheres de rua e homens a mingua da sorte. E tu que és o senhor de sapato fino e de marca, camisa branca de seda, imponência, como o cisne que anda no lago; passas sem olhar,para o que conseguiste fazer em alguns anos,destruíste as oportunidades,os sonhos,e deixaste as crianças mais tristes do que até aqui.Ao pisares as pedras da estrada e caminho elas sentem a dor,daqueles que a deixam lá todos os dias a todas as horas,mas tu segues, como que fosse algo sem importância nem sentimento. Pensa e reflecte se ainda vais a tempo,será que tudo isto merece todo este desprezo pela vida humana, tudo que construíste com o suor dos que passam! um dia muito próximo,virás a ser destruído, por alguém que te ira fazer o mesmo. O que um dia era a camisa de seda branca,e sapatos italianos? Então virão a ser uns simples sapatos dos que correm todos os dias a calçada, a procura de algo,que lhe dê para o sustento,e viver condignamente no seu lar. Só basta um pequeno gesto e sentimento puro, para que tudo fosse diferente.Ainda acredito e tenho esperança.
Lisa

domingo, junho 14, 2009

Frases que Gosto



Uma vida sem amor é como árvores sem flores e sem frutos. E um amor sem beleza é como flores sem perfume. Vida, amor, beleza: eis a minha trindade. (Gibran, Temporais)



"Se um homem é gentil com desconhecidos, isto mostra que ele é um cidadão do mundo, e que seu coração não é uma ilha que foi arrancada de outras terras, mas um continente que se une a eles." (Francis Bacon)

sexta-feira, junho 12, 2009

Santo António de Lisboa



Santo António de Lisboa
És o santo padroeiro
Vê se resolves a crise
Neste país batoteiro


Nesta noite de folia
vamos cantar e dançar
mesmo que a crise fique
esta noite é para amar

Vamos saltar a fogueira
nesta noite de folia
comprar, manjerico e balões
Nos bairros da mouraria

quinta-feira, junho 11, 2009

Poema do coração


(imagem google)

Eu queria que o Amor estivesse realmente no coração,
e também a Bondade,
e a Sinceridade,
e tudo, e tudo o mais, tudo estivesse realmente no coração.
Então poderia dizer-vos:
"Meus amados irmãos,
falo-vos do coração",
ou então:
"com o coração nas mãos".

Mas o meu coração é como o dos compêndios.
Tem duas válvulas (a tricúspida e a mitral)
e os seus compartimentos (duas aurículas e dois ventrículos).
O sangue ao circular contrai-os e distende-os
segundo a obrigação das leis dos movimentos.

Por vezes acontece
ver-se um homem, sem querer, com os lábios apertados,
e uma lâmina baça e agreste, que endurece
a luz dos olhos em bisel cortados.
Parece então que o coração estremece.
Mas não.
Sabe-se, e muito bem, com fundamento prático,
que esse vento que sopra e ateia os incêndios,
é coisa do simpático.
Vem tudo nos compêndios.

Então, meninos!
Vamos à lição!
Em quantas partes se divide o coração?



António Gedeão

terça-feira, junho 09, 2009

Pensamentos



O dia findou,se aproxima a noite na praia do teu pensamento,o mesmo te leva ao amor,à saudade de alguém que ficou na esperança do regresso,dos beijos trocados,o abraço e os desejos findos...mas fica para sempre o olhar do sol poente.



No mar encontras a paz!Do pensamento,da alma e da escrita. Nele encontras os sonhos, o amor a esperança. Mas sempre podes encontrar uma pedra no caminho que te desvie os pensamentos

segunda-feira, junho 08, 2009

Aqui estou de Volta



Queridos amigos; de volta a este cantinho que gosto,poderia hoje falar em política,mas nem digo nada, poderão interpretar mal o meu ponto de vista! Como sou pessoa de paz e amizade nem disto vou falar. A partir de hoje, provavelmente ficarei só com este blog...O Mar de Chamas,nele colocarei os meus pensamentos alegrias,desejos e amizade que são as que sempre admirei como pessoa. Tenho aqui amigos (as) lindas de alma e pensamento,para eles o meu carinho e amizade sempre. O poesia de palavras,talvez vá mudar de servidor,mas darei noticias aqui para fazerem a visita,pois nele tenho outros de que gosto.
Para todos os que deixaram aqui as sua palavras de carinho e amizade,obrigados e o meu bem haja,se quiserem levar as mãos, é oferta para todos,um pequeno miminho.
Lisa

quarta-feira, junho 03, 2009

Vou descansar! Voltarei breve



Já alguns dias ando pensativa por diversos motivos.Tenho por habito,de não me esconder atrás seja do que for,sou transparente,amiga do meu amigo.Se calhar falta de motivação por alguma coisa? como profissional não,familiar igual;se calhar pelo que nos rodeia todos os dias,vou descansar uns dias e pensar e depois virei,os amigos sei que aqui vêm,e irei lá comentar,estes dias vou reflectir,até lá sejam felizes,e bom fim de semana que se aproxima.
Beijinho Lisa

segunda-feira, junho 01, 2009

Dia Mundial da Criança



Como hoje se comemora o dia da criança! E porque elas são o melhor do mundo,e os homens e mulheres de amanhã,os devemos proteger dos males de uma sociedade,que cada vez tenta fazer deles jogos sujos, e bolas de Ping pong,sem estabilidade...chega de falta de ética e solidariedade,e como não poderia passar sem dedicar um lindo poema de Cecília Meireles.

Criança

Cabecinha boa de menino triste,
de menino triste que sofre sozinho,
que sozinho sofre, — e resiste,

Cabecinha boa de menino ausente,
que de sofrer tanto se fez pensativo,
e não sabe mais o que sente...

Cabecinha boa de menino mudo
que não teve nada, que não pediu nada,
pelo medo de perder tudo.

Cabecinha boa de menino santo
que do alto se inclina sobre a água do mundo
para mirar seu desencanto.

Para ver passar numa onda lenta e fria
a estrela perdida da felicidade
que soube que não possuiria.

Cecília Meireles