sexta-feira, maio 29, 2009

A Voz do Silêncio



A pessoa que sou é única, limitada a um nascer e a um morrer, presente a si mesma e que só à sua face é verdadeira, é autêntica, decide em verdade a autenticidade de tudo quanto realizar. Assim a sua solidão, que persiste sempre talvez como pano de fundo em toda a comunicação, em toda a comunhão, não é 'isolamento'. Porque o isolamento implica um corte com os outros; a solidão implica apenas que toda a voz que a exprima não é puramente uma voz da rua, mas uma voz que ressoa no silêncio final, uma voz que fala do mais fundo de si, que está certa entre os homens como em face do homem só. O isolamento corta com os homens: a solidão não corta com o homem. A voz da solidão difere da voz fácil da fraternidade fácil em ser mais profunda e em estar prevenida.

Virgílio Ferreira

18 comentários:

Ana disse...

Virgílio Ferreira ao escrever o que pensa é de uma forma tão profunda, que uma pessoa tem mesmo que se concentrar para processar toda a mensagem que ele nos quer transmitir. Tive dificuldade em entender a diferença entre isolamento e solidão, até imaginava que fosse a mesma coisa, mas lendo o que escreveu concluí que não, o isolamento é decidido pela pessoa em se afastar dos outros e a solidão pode não ser. Há tanta gente que sofre de solidão e que gostaria de estar acompanhado, é sem dúvida a voz do silêncio.
Um texto maravilhoso, adorei.
Um grande beijinho querida Lisa.

Ana disse...

Há coincidências fantásticas amiguinha Lisa. Estava eu aqui a interpretar o texto e deixaram-me este poema no hi5, vi agora:

Da solidão

Há muitas pessoas que sofrem do mal da solidão.
Basta que em redor delas se arme o silêncio,
que não se manifeste aos seus olhos
nenhuma presença humana,
para que delas se apodere imensa angústia:
como se o peso do céu
desabasse sobre a sua cabeça.
como se em todos horizontes
se levantasse o anúncio do fim do mundo.
No entanto, haverá na Terra verdadeira solidão?
Não estamos todos
cercados por inúmeros objetos,
por infinitas formas da Natureza
e o nosso mundo particular
não está cheio de lembranças,
de sonhos, de raciocínios,
de idéias que impedem uma total solidão?
Tudo é vivo e tudo fala em redor de nós,
embora com vida e voz que não são humanas,
que podemos aprender e escutar,
porque muitas vezes
essa linguagem secreta
ajuda a esclarecer o nosso próprio mistério.

(Cecília Meireles)

Queres melhor explicação para a solidão?
Um grande beijinho e um dia de Sábado muito feliz!
Ana Paula

Carminda Pinho disse...

Lisa,
que o teu fim de semana não seja de solidão.:)
Beijos e diverte-te.

Sonia Schmorantz disse...

Decore sua alma ,
da forma mais linda que souber,
com uma poesia que lhe toque o coração,
para que na sua mudez, seja feliz,
pois alma que é, será sempre sua,
sem que ninguém no mundo a tire de você.
(Eda Carneiro da Rocha)

Desejo a você um maravilhoso final de semana,
Com muita paz e carinho.

Sônia

Papoila disse...

Querida Amiga:
Tenho andado muito ocupada e com pouco tempo para visitar os amigos. Foi bom passar aqui para te dar um beijo e ler este belo texto de Virgilio Ferreira..."O isolamento corta com os homens: a solidão não corta com o homem."
Beijos

Maria Faia disse...

Querida Amiga,
Por vezes é necessário mesmo algum isolamento. Todos nós precisamos dele e, de facto, isolamento e solidão não são sinónimos.
Desejo-te um feliz fim de semana.

Beijo amigo,
Maria Faia

Agulheta disse...

Ana.Tenho um livro de Virgilio Ferreia,onde tem tema e textos que nos deixam a pensar,eu gosto da escrita dele,sim e isolamento não quer dizer solidão,são duas coisas distintas.
Amiguinha,penso que já coloquei o poema de "Cecília" que aqui fazes referência,é muito bonito.
Beijinho e tudo de bom. Lisa

Agulheta disse...

Carminda. Até ver não foi de solidão felizmente.
Beijinhos e tudo de bom Lisa

Agulheta disse...

Sónia. Nunca uma alma deve sentir nudez,basta amar e sentir que dá amor em paz e solidariedade.
Beijinho,obrigada pela visita

Agulheta disse...

Papoila. Primeiro o dever,embora eu goste de ver os amigos,mas temos outras coisas para realizar?
Beijinho fica bem

Agulheta disse...

Maria Faia. Eu por vezes preciso de isolamento para colocar ideias no lugar,tenho mesmo necessidade,e não por não gostar das pessoas.
Beijinho e bfs fica bem

Valdemir Reis disse...

Olá Elisa estou visitando e registro minha satisfação em passar aqui. Tudo isto nos fortalece e aproxima. Parabenizo vc pelo excelente trabalho, belissima publicação, uma maravilha, gostei. Muito interessante. Honrado por sua amizade, meu reconhecimento e votos de muito sucesso e brilho. Nos encontraremos sempre por aqui. Aguardo sua visita.
Quero compartilhar com você o poema abaixo do poeta Vinícius de Moraes:
“Certas palavras podem dizer muitas coisas;
Certos olhares podem valer mais do que mil palavras;
Certos momentos nos fazem esquecer que existe um mundo lá fora;
Certos gestos, parecem sinais guiando-nos pelo caminho;
Certos toques parecem estremecer todo nosso coração;
Certos detalhes nos dão certeza de que existem pessoas especiais,
Assim como você que deixarão belas lembranças para todo o sempre. Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo. Precisa-se de um amigo para se parar de chorar. Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas. Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive.”
Desejo um fim de semana repleto de alegrias extensivo aos familiares. Forte abraço, paz, luz, saúde, prosperidade e muitas bênçãos. Fique com Deus. Felicidades.
Valdemir Reis

Maria Emília disse...

Querida Lisa,
Eu insisto na frase que já coloquei no meu blog quando falei de solidão:
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma...

Francisco Buarque de Holanda

Um beijinho,
Maria Emília

Ana disse...

Olá querida Lisa bom dia!
Até venho hoje aqui deixar-te este testemunho que se passou comigo. Como sabes vivo sozinha há mais de um ano e não me sinto isolada porque gosto de conviver, falo para toda a gente, velhos, novos, sou assim, sempre fui.
Ontem fui ao Lar ter com a minha "velhinha" e ouvi os velhotes e as suas queixas, nem imaginas o que ouvi, alguns deram-me pena, os filhos abandonaram-nos pura e simplesmente, nunca os visitam, é de lamentar. Até noto um certo ciumesito da minha "triste mãe" que tem sempre quem a visite, felizmente. Ela professa uma religião diferente da minha e os amigos dela vão também lá, mas ela gosta é dos filhos, é de nós que sente falta, nestas idades são como crianças e querem é o mimo da familia.
Há efectivamente muito isolamento ali, eles próprios escondem-se, houve uma que nem quis falar comigo, afastou-me. Depois falei com a animadora social e ela também sente isso da parte dos que se querem isolar, tão desanimados estão com a vida.
Desculpa este desabafo, mas vem na sequência daquela reflexão que fiz.
Desejo-te um excelente Domingo!
Um grande beijinho,
Ana Paula

Anita Fonseca disse...

"Deus só sabe amar de um jeito: ao infinito!" Padre Zezinho.

Que Deus ilumine sempre os seus caminhos.

Beijos.

Flor ♥ disse...

Lisa, esse texto de Virgilio Ferreira provaca reflexão sobre este tema tão intenso e profundo da solidão. Há poucos dias li um livro que abordava o tema do isolamento à solidão...

Bjs. e boa semana!

anjo disse...

Olá amiga lindo texto , desejo te uma boa semana bjs grandes e um abraço das asas de um anjo

Meg disse...

Lisa,

Virgílio Ferreira é um dos autores portugueses que mais admiro. Um pouco fatalista, mas de uma lucidez que dói.

E esta reflexão sobre a solidão e o isolamento é muito certeira...
O isolamento corta com os homens: a solidão não corta com o homem.

Uma boa semana para ti, minha Amiga.

Um beijo