sexta-feira, maio 29, 2009

A Voz do Silêncio



A pessoa que sou é única, limitada a um nascer e a um morrer, presente a si mesma e que só à sua face é verdadeira, é autêntica, decide em verdade a autenticidade de tudo quanto realizar. Assim a sua solidão, que persiste sempre talvez como pano de fundo em toda a comunicação, em toda a comunhão, não é 'isolamento'. Porque o isolamento implica um corte com os outros; a solidão implica apenas que toda a voz que a exprima não é puramente uma voz da rua, mas uma voz que ressoa no silêncio final, uma voz que fala do mais fundo de si, que está certa entre os homens como em face do homem só. O isolamento corta com os homens: a solidão não corta com o homem. A voz da solidão difere da voz fácil da fraternidade fácil em ser mais profunda e em estar prevenida.

Virgílio Ferreira

quinta-feira, maio 28, 2009

Não posso adiar o coração



Não posso adiar o amor para outro século
não posso, ainda que o grito sufoque na garganta
ainda que o ódio estale e crepite e arda, sob montanhas cinzentas
e montanhas cinzentas
Não posso adiar este abraço, que é uma arma de dois gumes, amor e ódio

Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas, e a aurora indecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida, nem o meu amor, nem o meu grito de libertação
Não posso adiar o coração

António Ramos Rosa

quarta-feira, maio 27, 2009

Prémio



A amiga Papoila do blogue http://a-papoila.blogspot.com/

Me ofereceu este prémio,da qual tem algumas regras que são as seguintes. confessar 5 coisas que goste de fazer,são algumas e das quais faço com grande vontade e amor,que vou tentar resumir.

A primeira é ter os filhos junto de mim e fazer aqueles jantares de sábado à noite em perfeita harmonia familiar.

Passear junto do mar,ler e ouvir o batar da ondas e sentir a maresia no rosto

Ajudar quem precisa da minha prestação com todo o carinho e amizade
Ouvir música dos anos sessenta,ver um bom filme na companhia do marido,de preferência no inverno junto à lareira.

Sempre que a sirene toca,saltar fora da cama e partir ao encontro,para socorrer.

Agora a parte mais dificil será a entrega,sei que alguns amigos não gostam da correntes,mas para não dizer este ou aquele,contribuam e participem os que gostem,eu agradeço e a amiga que mo ofereceu merece. Obrigados e continuem!

domingo, maio 24, 2009

Se eu Pudesse



Se eu pudesse deixar algum presente à você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo a fora. Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito aquilo que é indispensável. Além do pão, o trabalho. Além do trabalho, a ação. E, quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída

Mahatma Gandhi

sexta-feira, maio 22, 2009

Deixa que o Rio!



Deixa que o rio leve, ao sabor do vento e te encontre nas margens, dos teus desejos. Na passagem colhe as flores e os lírios que abundam pela margem. O rio te corre o pensamento, e no instante sentes o cantar da água, quando ela bate na pedra polida pela idade. Te acerca dele e fala… como se fosse alguém que escuta o teu pensamento



Mergulha teus pés cansados da estrada da vida, e pensa que estás ali esperando, por o veres partir, e a água que passou, jamais passa no mesmo lugar. Goza o momento que tiveste, e desfruta o dia e a hora, em que ele passou por ti a correr, e levou os teus pensamentos juntos.


Lisa 22/05/2009

terça-feira, maio 19, 2009

voltei amigos!



Olá meus amigos.Aos que são presentes, e aos ausentes,finalmente estou bem o que nestes dias nem sequer podia abrir os olhos com dores de cabeça,hoje acordei bem disposta e mandei a (gripe)para longe,não a tal?,o tempo anda incerto, nos agasalhamos, depois ficamos mais à vontade com menos roupa,estas mudanças de temperatura nos deixa assim,já passou felizmente. E para estes amigos aqui fica um poema dedicado a todos que gosto,estive a ler este livro e gostei muito.

Amigo!

Amigo!
Onde quer que estejas,
sente que eu penso em ti!
Aceita minhas palavras de conforto,
se delas precisares...

Se estiveres alegre,
deixa que eu sorria contigo!

Deixa que chore,
se estas a chorar!
deixa que limpe tuas lágrimas,
se elas deslizarem
pela tua face triste,
magoada,
Tão magoada como a minha!...

Deixa lá...
Acredita que amanhã
o sol
vai brilhar!...
E nunca esqueças que, deste lado,
existe alguém
que pensa em ti
e te sente a chorar!...

Até amanhã!...

Maria Amélia Fernandes

sábado, maio 16, 2009

Doente



Queridos amigos.Hoje tenho estado de cama,levantei um pouquinho,mas a cabeça já esta andar roda.O marido esteve com gripe,agora é a minha vez,o pior é que sou alérgica a certos remédios.Ontem à noite tomei paracetamol,e hoje tinha dores no estômago,e muita dor de cabeça.Me desculpem se ainda não respondi aos comentários,logo que possa irei,neste pouquinho vim aqui só para dizer um olá.
Beijinho Lisa

sexta-feira, maio 15, 2009

A Profundidade do Ser



E de vez em quando descer à gravidade de mim, à profundidade do meu ser. E verificar então que tudo se transfigura. Que é que significa este garatujar quase gratuito, este riso superficial, todo este modo de ser menor? A melancolia profunda, tão de dentro que ela se iguala à alegria sem medida. Espaço rarefeito de nós, é o lugar da grandeza do homem, do que é nele fundamental, o lugar do aparecimento de Deus. Mas Deus não me aparece - aparece apenas a inundação que me vem da infinita beatitude, da grandeza e do assombro. Nós vivemos habitualmente à superfície de nós, ligados ao que é da vida imediata, enredados nas mil futilidades com que se nos enchem os dias. Mas de vez em quando, o abismo da natureza, um livro ou uma música que dos abismos vem, abre-nos aos pés um precipício hiante e tudo se dilui num sentir que está antes e abaixo e mais longe que esse tudo. Há uma harmonia que em nós espera por um som, um acorde, uma palavra, para imediatamente se organizar e envolver-nos. E aí somos verdade para a infinidade dos séculos.

Vergílio Ferreira

quinta-feira, maio 14, 2009

Para Ti



Foi para ti
que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra
toquei no nada
e para ti foi tudo

Para ti criei todas as palavras
e todas me faltaram
no minuto em que talhei
o sabor do sempre

Para ti dei voz
às minhas mãos
abri os gomos do tempo
assaltei o mundo
e pensei que tudo estava em nós
nesse doce engano
de tudo sermos donos
sem nada termos
simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos
vivendo de um só
amando de uma só vida

Mia Couto

quarta-feira, maio 13, 2009

Prémios



Já alguns dias recebi mais um prémio de duas queridas amigas A MEG E MARIA FAIA e MARIA EMILÍA. Uns dias por que passa, outros por afazeres,nem sempre é possível na hora .Este prémio é para fomentar a amizade,da qual eu admiro muito,espero que todos tentem fazer destes espaços,que são os blogs, bons amigos.Penso que a minha posição foi correta o mais possível,e sempre o será. Quando uns dias não dá para fazer a visita, na próxima o farei, e espero que do outro lado sempre haja uma palavra de amizade,um interagir com pessoas de bem. Respeito cada um pela forma de ser e estar,e do mesmo modo o devem fazer,se alguns tem mais valências uns do que outros? Isso é outra história, gosto do meu blog e dos amigos que nele entram,os que não o fazem,obrigados na mesma, por menos vem ver.E como já falei que me fartei,este é o selo oferecido pela MEG e Querubimperegrino,as duas obrigadas...quem aceitar, o mesmo o podem fazer,obrigados.

Lisa

segunda-feira, maio 11, 2009

Homo Sapiens


(foto Net)
O homem desde a sua criação como tal"há mais de 300.000 anos surgiram os primeiros membros da espécie Homo Sapiens,esses arquétipos (padrões) eram caçadores hábeis, cozinhavam carne, usavam roupas de pele de animais e construíam lanças e cabanas. Demonstravam habilidades na fabricação de instrumentos de pedras, utilizados para furar peles e confeccionar roupas e também produziam lanças de madeira usadas para abater animais de grande porte. Para mim a grande evolução do homem foi,na passagem de caçador para agricultor,onde surgem as primeiras civilizações,é a partir daqui que tudo se transformou,ele veio como um sábio? que surgiu das grutas que vê tão pouco ou nada! mas pensando acerca dele se vê, o planeta cada vez mais se desintegra,e onde em alguns lados irão lutar cada vez mais pela simples gota da água,assim foi crescendo o( homo sapiens),para valorizar a sua vinda,mas que cada vez mais estraga,a cada dia que passa neste planeta.



A Papoila! do blog a-papoila.blospot.com,ofereceu este selo.
Obrigada amiga pela amizade e vou repassá-lo a 7 blogs que deverão falar do Homo Sapiens e do seu significado,de alguma reflexão aqui vão as palavras,e espero corresponder ao desafio. Agora aqui vai os amigos (as) que escolhi.

pico minha ilha
forum cidadania
o cheiro da ilha
momentos de vida
Be Happy
Sobras de mim
resteas de sol

sexta-feira, maio 08, 2009

Construir em Vez de Combater



Creio que uma das atitudes fundamentais do homem humano deve ser a de reconhecer em si, numa falta de compreensão ou numa falta de acção, a origem das deficiências que nota no ambiente em que vive; só começamos, na verdade, a melhorar quando deixamos de nos queixar dos outros para nos queixarmos de nós, quando nos resolvemos a fornecer nós mesmos ao mundo o que nos parece faltar-lhe; numa palavra, quando passamos de uma atitude de pessimista censura a uma atitude de criação optimista, optimista não quanto ao estado presente, mas quanto aos resultados futuros. O mesmo terá já dado um grande passo para impedir os ataques, quando aceitar que só puderam existir porque a sua acção não foi o que deveria ter sido; quando se lembrar ainda de que toda a sua coragem se não deve empregar a combater, mas a construir.

Agostinho da Silva

quarta-feira, maio 06, 2009

Mãos Vazias para Agarrar o Mundo



Sei que não te cansas de regar a esperança de um corpo sem bagagem,
de plantar a lembrança de um vulto feliz
da mulher que passa pelos sonhos sem dizer adeus
e faz dos teus olhos um choro sem fim
Sei que não te cansas de ler os sinais
das mãos de um menino sem bagagem
que desliza na solidão dos sentidos
de quem ouve o mar.
Choras ainda, julgas ser a imagem de esperança do mundo,
a imagem das mãos vazias para agarrar o mundo.

Angela Mendes Ferreira

segunda-feira, maio 04, 2009

A Luz levanta-se do Chão



(foto Net)

A luz levanta-se do chão
como a areia da praia na batida do vento,
as cidades espreitam o verão,à janela do azul.
e as árvores abrem-se em vitarais
onde se inscreven as fluências estacionais
que resplandecem no desenho e na figuração



mesclada dos tons que melam o entardecer,
a repique dos sinos,no campanário da vila.
As janelas abrem-se de para em par,
nos quatro rumos,um perfume sava e goivos
sardinheiras e amores perfeitos

Maria Filomena Almeida Cary

sábado, maio 02, 2009

É Noite, Mãe



As folhas já começam a cobrir
o bosque, mãe, do teu outono puro...
São tantas as palavras deste amor
que presas os meus lábios retiveram
para colocar na tua face, mãe!...

Continuamente o bosque se define
em lividez de pântanos agora,
e aviva sempre mais as desprendidas
folhas que tornam minha dor maior.
No chão do sangue que me deste, humilde
e triste, as beijo. Um dia pra contigo
terei sido cruel: a minha boca,
em cada latejar do vento pelos ramos,
procura, seca, o teu perdão imenso...

É noite, mãe: aguardo, olhos fechados,
que uma qualquer manhã me ressuscite!...

António Salvado

Para a minha que já partiu,e para todas as mães,onde eu me incluo, todas merecem a homenagem de seus filhos,para mim, para ti e por todas nós,as flores que qualquer uma gosta.