domingo, março 01, 2009

Vida



Choveu! E logo da terra humosa
Irrompe o campo das liliáceas.
Foi bem fecunda, a estação pluviosa!
Que vigor no campo das liliáceas!
Calquem. Recalquem, não o afogam.
Deixem. Não calquem. Que tudo invadam.
Não as extinguem. Porque as degradam?
Para que as calcam? Não as afogam.
Olhem o fogo que anda na serra.
É a queimada... Que lumaréu!



Podem calcá-lo, deitar-lhe terra,
Que não apagam o lumaréu.
Deixem! Não calquem! Deixem arder.
Se aqui o pisam, rebenta além.
_ E se arde tudo? _ Isso que tem?
Deitam-lhe fogo, é para arder...

Camilo Pessanha

9 comentários:

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA LISA, É UM POEMA FORTE AMIGA!!!
UM GRANDE ABRAÇO DE CARINHO,
FERNANDINHA

amigona avó e a neta princesa disse...

Como sempre um belo poema e imagens fortes! Beijos, amiga...

Laura disse...

Adorei, divinal, pois as queimadas em África são homens que tomam conta delas, só ardem até onde eles deixam... pois tudo siso faz parte dos ciclos da natureza, e assim a terra fica pronta para reverdecer de novo com as chuvadas fortes de áfrica...
está lindissimo, está um mimo e verdadeiro. parabéns ao poeta,seja vivo ou não! beijinho d laura..

Maria disse...

Poema bonito, amiga.
Não conhecia a palavra "lumareu"...

Beijinho, Lisa

Cadinho RoCo disse...

Na natureza o tratar bem é de importâncisa fundamental para a vida.
Cadinho RoCo

Carla disse...

belo poema, fabulosas imagens

Secreta disse...

Bonito poema , que , desconhecia.
Beijito.

Ana disse...

Um poema que se enquadra neste mar de chamas. Não há nada que apague o fogo da VIDA, quando ela tem a força de vencer!
Um poema muito activo, repleto de energia.
Não conhecia querida Lisa, gostei de ler.
As imagens tem o vigor necessário para o ilustrar!
Beijinhos grandes,
Ana Paula

Agulheta disse...

Á pouco andei por aqui,mas com pouca vontade é verdade,os sentimentos nunca devemos perder,pelos amigos e pelas coisas que abraçamos, mas a estas amigas,o meu carinho e amizade fica com beijinho

Fernanda
Amigona
Laura
Maria
Carla
Secreta
Ana.
Bem hajam: Lisa