quinta-feira, março 12, 2009

O Meu Olhar Azul como o Céu



O meu olhar azul como o céu
É calmo como a água ao sol.
É assim, azul e calmo,
Porque não interroga nem se espanta ...
Se eu interrogasse e me espantasse
Não nasciam flores novas nos prados
Nem mudaria qualquer cousa no sol de modo a ele ficar mais belo...



(Mesmo se nascessem flores novas no prado
E se o sol mudasse para mais belo,
Eu sentiria menos flores no prado
E achava mais feio o sol ...
Porque tudo é como é e assim é que é,
E eu aceito, e nem agradeço,
Para não parecer que penso nisso...)

Alberto Caeiro

7 comentários:

Meg disse...

Lisa,
Este é mais um poema inconfundível de Alberto Caeiro... fez-me lembrar um que publiquei no primeiro post que fiz (daqui a dias vai fazer dois anos, imagina!)

Um beijo

Ps: porque será que na minha lista de blogs o Mar de Chamas não aparece quando é actualizado? Fazes alguma ideia? Bjs

Flor ♥ disse...

Oi, Lisa!

Tenho grande admiração por Pessoa, e esse é um de seus poemas que mais gosto! Fala de paz e esperança, artigos tão em falta em nossos dias!

Um beijo especial prá ti, e que sua sexta-feira seja excelente!

Ana disse...

Olá querida Lisa bom dia!

Claro que deixo aqui o meu endereço: aplourenco53@gmail.com, será um prazer trocarmos mensagens.

O teu Olhar Azul como o Céu, está no teu coração, sabias? Porque és LINDA!!!

Este belo poema de Fernando Pesssoa, que usava entre outros, este heterónimo de Alberto Caieiro, é também muito belo e as lindas ilustraçõoes que escolheste, fazem dele magnífico!

Bem agora vou tomar o meu pequeno almocito para ir "tabalar", lol, mas hoje é um dia bom porque é sexta-feira e vem aí o fim-de-semana.

Jinhos gandes e um XLENTE fim-de-semana,

Ana Paula

Agulheta disse...

Meg!Gosto bastante de Pessoa,só o nome nos transmite beleza de palavras.Não sei o que se passa sobre a lista?
beijinho

Agulheta disse...

Flor!Fico feliz quando os amigos gostam,tens razão todas estas palavras andam bem distantes dos nossos dias.
Beijinho

Agulheta disse...

Ana Paula! Sem palavras para exprimir os sentimentos,agradeço o carinho e amizade.
Beijinho

Papoila disse...

Querida Amiga:
Como sempre belas imagens e hoje um lindíssimo poema de Alberto Caeiro...
"Porque tudo é como é e assim é que é,
E eu aceito, e nem agradeço,
Para não parecer que penso nisso..."
Beijos