terça-feira, março 31, 2009

Um corpo de Verão



Era um corpo de verão que ondeava
Entre mil murmúrios de águas e sementes
Na sua nudez ardia o fogo dos pomares
Abracei a vigorosa doçura dos seus membros
bebi em alta sede a inocência ardente
conheci a sombra que floresce a brisa e o alimento
No centro enamorado da pátria arborescente

Casimiro de Brito

domingo, março 29, 2009

Frase



Bom carácter é para ser mais enaltecido do que talento extraordinário. A maioria dos talentos é de uma certa forma um dom. Bom carácter, em contraste, não nos é dado. Temos que construi-lo peça por peça... por pensamentos, escolhas, coragem, e determinação.

( John Luther )

sexta-feira, março 27, 2009

Como a água meu amor



Como a água
meu amor
também as asas nos sacodem
no final do beijo

quantas páginas faltam?

se a fronteira é a das águas quem reprime a espuma
onde começa a praia?

no meu espelho o que via
era um homem de rosto voltado
de rosto voltado
para sempre
e uma linha de ombros onde as águas
e os teus lábios de espuma meu amor
me embaciavam

também ouvi chamar a isso
entardecer
idade
inclinação do sol

mas também cicatrizes ou sulcos como preferires
essa teia onde os dias marcam os seus signos
como as águas no solo meu amor
até furarem

Carlos Nogueira Fino

quarta-feira, março 25, 2009

A UMA ÁRVORE



Árvore
Quando eu morrer hás-de ficar.
Hás-de ver o passar doutras Estações.
Hás-de ouvir as canções
De uns outros ninhos, noutras Primaveras.
Junto de ti, meu filho há-de sonhar
Minhas antigas, fúlgidas quimeras.



Árvore
Quando eu morrer, hás-de falar
De mim, que te plantei.
E, em cada ramo novo que brotar,
Serás um gesto meu a perdurar:

- Por ti, não morrerei …

Francisco Bugalho

segunda-feira, março 23, 2009

Vôo



Alheias e nossas as palavras voam.
Bando de borboletas multicores, as palavras voam
Bando azul de andorinhas, bando de gaivotas brancas,
as palavras voam.



Viam as palavras como águias imensas.
Como escuros morcegos como negros abutres, as palavras voam.
Oh! alto e baixo em círculos e retas acima de nós, em redor de nós as
palavras voam.
E às vezes pousam.

Cecília Meireles

sexta-feira, março 20, 2009

Sou Filha da Terra



Sou filha da terra e da primavera!
Que calco e sujo os pés.Da terra lavrada com dor e suor
Regada com lágrimas de pranto,de amargura e tristeza
Da terra da avareza,mas eu sou uma filha da terra
das vinhas ao sol de cachos maduros e gosto a fruta
Do mar azul pela tardinha,onde o sol se esconde de
tons fortes como as ondas,de seu espraiar na areia
mas sou uma filha da terra,que amo e luto
Onde meus olhos se perdem nesta quimera

Lisa/20/03/2009

quinta-feira, março 19, 2009

Neste Dia



Para o dia do pai ou da mãe nunca haverá dia. O meu partiu à muitos anos mas continua no coração,como no dia que olhava e dizia a minha menina.Pois sempre serei a sua menina até um dia.Neste dia e em todos recordo,o momento que não tive do seu colo,o belo sorriso de me ver crescer ir para a escola,a chamada de atenção,o seu afecto e das pequenas coisas que todos recordamos do pai. Do meu aniversário o lugar vazio na mesa sem a presença dele.Hoje mulher olho para a velhinha foto que me acompanha sempre, e em qualquer hora, olho e fico feliz pela ternura do seu olhar,sei que é o meu anjo da guarda que me guia sempre, e em situações de perigo,um dum lado e outro do outro,pois fiquei mais só no dia que partiram, e nada nem ninguém pode preencher o lugar,mas a imagem dos dois ali estão a olhar por mim...neste dia digo,o que sou devo a uma pessoa especial,e neste caso aos dois,Mãe e Pai

quarta-feira, março 18, 2009

Em jeito de conversa



(Isto foi assim ontem,hoje vai pelo mesmo)

Os amigos deste blog provavelmente me tem visto pouco tempo por aqui ou se vim foi na corrida.Até sinto vergonha que basta vir um pouco de calor, e logo os montes e as serras ardem?Eu digo é uma vergonha que não se responsabilize as pessoas que praticam estes actos. Estes dias dias aqui tem sido uma constante,queimadas e depois o vento e começa a arder sem jeito e lá vai o pobre voluntário apagar o mal que os outros praticam,Por vezes me leva a pensar...o monte nem é meu,o porquê da canseira.Mas não é bem isto,é sim o mal que fazem a todos nós que pagamos impostos,e isto leva a dita GNR,que guarda o quê~e e como?Logo que o dia começa devem fazer patrulhamento e informar que os dias estão quentes e não devem fazer as ditas queimadas.è muito triste saber que ontem foi no Gerês hoje no Marão e se o (verão)continua vai ser a festa do costume,hoje aqui já foi dois de manhã e ainda a pouco se via um grande noutra zona.Por hoje cumpri a minha parte,daqui para diante vamos ver conforme o cansaço.
Lisa

domingo, março 15, 2009

Paixão



Não sabes o que é paixão!
Pergunta ao tempo que passa
Ao vento que nos abraça
À primavera, ao verão
pergunta ao sol que aquece
À neve que o corpo arrefece
Ao luar e à escuridão!

Não sabes o que é paixão!
Pergunta as ondas do mar!
Às nuvens negras do ar
À faísca ao trovão
Pergunta á chuva que cai
a terra que nos atrai!
Á tempestade ao vulcão?

Não saber o que é a paixão?
Pode ser o outono ou inverno
Um paraíso um inferno
Mas sempre pergunta ao teu coração?

Lisa/

Escrito a algum tempo numa noite em pausa de trabalho.Em sintonia com os meus pensamentos do instante mais propriamente no ano de 1998. A todos os amigos que se revejam neste poema será para eles de igual forma, uma certa paixão pelas amizades e o carinho que tenho pelos outros.

sexta-feira, março 13, 2009

Frase de Fim Semana



As emoções são a próxima fronteira a ser compreendida e conquistada. Gerenciar nossas emoções não é sedá-las ou suprimi-las, mas compreendê-las de modo que possamos inteligentemente direcionar nossas energias e intenções emocionais. É hora dos seres humanos crescerem emocionalmente, amadurecer em cidadãos emocionalmente gerenciados e responsáveis. Nenhuma pílula mágica fará isso. "

( Doc Childre )

Bom fim de semana para todos os amigos deste blog.

quinta-feira, março 12, 2009

O Meu Olhar Azul como o Céu



O meu olhar azul como o céu
É calmo como a água ao sol.
É assim, azul e calmo,
Porque não interroga nem se espanta ...
Se eu interrogasse e me espantasse
Não nasciam flores novas nos prados
Nem mudaria qualquer cousa no sol de modo a ele ficar mais belo...



(Mesmo se nascessem flores novas no prado
E se o sol mudasse para mais belo,
Eu sentiria menos flores no prado
E achava mais feio o sol ...
Porque tudo é como é e assim é que é,
E eu aceito, e nem agradeço,
Para não parecer que penso nisso...)

Alberto Caeiro

terça-feira, março 10, 2009

A música

A música! O que é a música para mim, arte mas suprema, é romântica tem sentimentos de leveza e tristeza, nos dá alegria como melancolia. Mas é música, pode ser no coração e lembranças de desilusão, de um amor distante não correspondido, mas é música tem sons que se reflectem na alma de quem escuta e de quem canta, pode ser música ligeira, pop ou quem sabe aquela que nos habituamos de ouvir, Africana, Brasileira todos tem seu encanto.



Pois sempre ouvi muita musica em casa, era criança e minha família adorava música, pois tenho elementos da mesma que tocam piano e viola, mas nunca foram vedetas mas tocam bem, ou por outra tocaram, pois muitos só tocam agora para os netos, ninguém liga, agora só em “play beck”talvez daí o meu gosto pela música, mesmo quando a ouço na rua, com o cantor que para ganhar para comer! Fica ali, parado todo o dia esperando por alguém que lhe dê uma moeda, mas se calhar” lhe diga eu gosto, fico parada a ouvir.



Então quando ouço cantar músicas “Zeca Afonso”o meu corpo se arrepia de emoção e lembranças dos que partiram, e daqueles que não tiveram tempo de as ouvir, porque alguém não quis. Esta sou eu, uma apaixonada pela música pela escrita por natureza e pela vida, cheia de coisas boas e muitas vezes as más mas que temos de as enfrentar de cabeça erguida bem alto, e dizer estou aqui tenho que ir em frente!..marchar marchar para a vida e para a frente

domingo, março 08, 2009

Uma Rosa para ti Mulher



Tu amiga que és mãe! Mulher amiga, amante presente ou ausente, a que se preocupa nas horas nas noites nos dias! Mas sempre mulher, a que lavra e trabalha no campo, a que sofre a violência de alguém que não a ama! Mas sempre mulher, a que solta uma lágrima por seu amor! Mas sempre mulher,a da guerra que mata seus filhos...mas serás sempre mulher! Por tudo grita alto, e mostra ao mundo que és mulher aqui e agora,que para além de tudo isto continuas na labuta e na ternura amiga e amante, porque és simplesmente uma Mulher.

Para todas e eu incluida esta flor que todas gostamos da Rosa

sexta-feira, março 06, 2009

O Mar é Longe, mas Somos Nós o Vento



O mar é longe, mas somos nós o vento;
e a lembrança que tira, até ser ele, é doutro e mesmo, é ar da tua boca
onde o silêncio nasce e a noite aceita. Donde estás, que névoa me perturba



mais que não ver os olhos da manhã com que tu mesma a vês e te convém?
Cabelos, dedos, sal e a longa pele, onde se escondem a tua vida os dá; e é com mãos solenes, fugitivas, que te recolho viva e me concedo a hora em que as ondas se confundem
e nada é necessário ao pé do mar.

Pedro Tamen

quinta-feira, março 05, 2009

Raíses



Velhas pedras que pisei
Saiam da vossa mudez
Venham dizer o que sei
Venham falar português
Sejam duras como a lei
E puras como a nudez.



Minha lágrima salgada
Caíu no lenço da vida
Foi lembrança naufragada
E para sempre perdida
Foi vaga despedaçada
Contra o cais da despedida.

Visitei tantos países
Conheci tanto luar
Nos olhos dos infelizes
E porque me hei-de gastar?
Vou ao fundo das raízes
E hei-de gastar-me a cantar.

Sidonio Muralha

terça-feira, março 03, 2009

A Secreta Viagem



No barco sem ninguém, anónimo e vazio,
ficámos nós os dois, parados, de mão dada...
Como podem só dois governar um navio?
Melhor é desistir e não fazermos nada!

Sem um gesto sequer, de súbito esculpidos,
tornamo-nos reais, e de madeira, à proa...
Que figuras de lenda! Olhos vagos, perdidos...
Por entre nossas mãos, o verde mar se escoa...



Aparentes senhores de um barco abandonado, nós olhamos, sem ver, a longínqua miragem... Aonde iremos ter? — Com frutos e pecado, se justifica, enflora, a secreta viagem!
Agora sei que és tu quem me fora indicada. O resto passa, passa... alheio aos meus sentidos. — Desfeitos num rochedo ou salvos na enseada, a eternidade é nossa, em madeira esculpidos!

David Mourão-Ferreira

segunda-feira, março 02, 2009

Adeus Camarada!


(foto google)
A vida é muito curta e complicada,à pouco vim da despedida a um camarada meu,que partiu para bem longe. O V.2 nunca mais chega ao toque da sirene, ele partiu depois de servir com dignidade e honra aquilo a que se propôs, só não conseguiu enfrentar a doença terrível que dele se aproximou em dois meses.Tanto bem fez e ajudou, mas não conseguiu que alguém o ajuda-se.
Fica bem camarada, hoje não foi o fogo mas a doença que te levou.

domingo, março 01, 2009

Vida



Choveu! E logo da terra humosa
Irrompe o campo das liliáceas.
Foi bem fecunda, a estação pluviosa!
Que vigor no campo das liliáceas!
Calquem. Recalquem, não o afogam.
Deixem. Não calquem. Que tudo invadam.
Não as extinguem. Porque as degradam?
Para que as calcam? Não as afogam.
Olhem o fogo que anda na serra.
É a queimada... Que lumaréu!



Podem calcá-lo, deitar-lhe terra,
Que não apagam o lumaréu.
Deixem! Não calquem! Deixem arder.
Se aqui o pisam, rebenta além.
_ E se arde tudo? _ Isso que tem?
Deitam-lhe fogo, é para arder...

Camilo Pessanha