terça-feira, fevereiro 10, 2009

Heroísmos



Eu temo muito o mar, o mar enorme,
Solene, enraivecido, turbulento,
Erguido em vagalhões, rugindo ao vento;
O mar sublime, o mar que nunca dorme.

Eu temo o largo mar, rebelde, informe,
De vítimas famélico, sedento,
E creio ouvir em cada seu lamento
Os ruídos dum túmulo disforme.



Contudo, num barquinho transparente,
No seu dorso feroz vou blasonar,
Tufada a vela e n'água quase assente,

E ouvindo muito ao perto o seu bramar,
Eu rindo, sem cuidados, simplesmente,
Escarro, com desdém, no grande mar!

Cesário Verde,

12 comentários:

Laura disse...

Ai Cesário; de certeza que o mar te enxovalhou com a imundice que lhe escarraste...ai cesário, não é palavra linda de escrever, nem de se fazer. Mas acredito que vi o mar, te benzer!... Já sei que o cesário já é centenário e já se foi, mas este escarrar não me caiu bem nem na terra, nem no mar...
Beijinho lisa..da laura..

Liar disse...

Li muito pouco do Cesário Verde, mas lembro de ter lido este poema, fiquei com ele na ideia!

Foi bom rele-lo. Adorei!

Bjinho

Céci

Ana disse...

Cesário Verde foi um grande poeta, que nasceu em 1855 e faleceu da doença dessa época "tuberculose". Nesse tempo e até quando eu era criança era hábito cuspir em público e no século XIX (em que Cesário Verde viveu) era considerado um comportamento refinado na alta sociedade, por estranho que pareça:-)
Gostei que o escolheces para este teu espaço, é bom reler estes grandes senhores das letras.
As fotos que adicionaste são magníficas. Adorei!
Beijinhos grandes,
Ana Paula

Flor ♥ disse...

Oi, Lisa... li alguns poemas do Cesario Verde... este eu não conhecia.

Muito boa a explicação da Ana, afinal o poema deve ser entendido no contexto de sua época...

Beijos, querida amiga!

Maria disse...

Tenho imenso respeito pelo mar. E também o amo. E o mar sabe... nunca me pregou nenhuma partida. Às vezes converso com ele e entendemo-nos perfeitamente...
:))

Beijinho, Lisa

Pico minha ilha disse...

O mar devemos respeitar, mas adoro o mar e seu cheiro.Beijinhos
ps por aqui está de novo uma ventania infernal, parece que veio para ficar.

Agulheta disse...

Amiga Laura!Como é um poeta fora da nossa época,se calhar este termo que ele encontrou,era própio?
Fica bem, e tudo de bom para ti desejo.Beijinho da Lisa

Agulheta disse...

Liar! Como disse é sempre bom recordar,como este o caso.
Beijinho da Lisa

Agulheta disse...

Ana? Muito bem a forma descritiva do poeta e poema?Pois o mesmo tem muito a ver com a altura.
Para ti minha amiga,doce beijinho.

Lisa

Agulheta disse...

Flor!Os poemas todos eles tem contexto da altura e dos sentimentos,nada mais natural este aqui.
Beijinho no teu coração.

Lisa

Agulheta disse...

Maria! Somos duas, tenho respeito por ele como tu,mas como caí ao Mar na barriga da minha mãe?mas adoro olhar e falar também.
Beijinho da Lisa

Agulheta disse...

Salomé! O cheiro é maravilhoso,e ver as ondas a bater nos rochedos,tem algo de majestoso?.
Por aqui um dia de sol lindo.
Beijinho da Lisa