sábado, dezembro 27, 2008

NATAL À BEIRA-RIO



É o braço do abeto a bater na vidraça?
E o ponteiro pequeno a caminho da meta!
Cala-te, vento velho! É o Natal que passa,
A trazer-me da água a infância ressurrecta.
Da casa onde nasci via-se perto o rio.
Tão novos os meus Pais, tão novos no passado!
E o Menino nascia a bordo de um navio
Que ficava, no cais, à noite iluminado...
Ó noite de Natal, que travo a maresia!
Depois fui não sei quem que se perdeu na terra.
E quanto mais na terra a terra me envolvia
E quanto mais na terra fazia o norte de quem erra.
Vem tu, Poesia, vem, agora conduzir-me
À beira desse cais onde Jesus nascia...
Serei dos que afinal, errando em terra firme,
Precisam de Jesus, de Mar, ou de Poesia?

David Mourão Ferreira

13 comentários:

mundo azul disse...

___________________________________

Um bonito poema!

Espero que tenha passado um bom Natal e que o ANO NOVO seja muito melhor!!!


Beijos de luz e o meu carinho...

________________________________

Laura disse...

Nosso Senhor que agonia
Nas palavras do poeta saudoso
E com que parcimónia
Mandava calar o velho vento
A anunciar o natal que passava
E que saudades dos pais
Ele não teve
E do cais iluminado
Onde julgava ele
Jesus nascia!...

Beijinhos e adorei esta poesia que é algo indescritivel, algo que tocou meu peito em agonia!...

Maria disse...

Haverá sempre um poema de David Mourão Ferreira que eu não conheço. Passei a conhecer este...

Obrigada, Amiga Lisa

Beijinhos

Sophiamar disse...

Que o Ano Novo te traga tudo quanto desejas.

Bem-hajas!

Beijinhos

Agulheta disse...

Zélia! O natal foi bom, dentro do normal em família.
Beijinho e ano 2009 em pleno.

Agulheta disse...

Laura! Sempre haverá uma palavra,ou poesia que nos deixa assim.
Beijinho da (nina agulheta)Lisa

Agulheta disse...

Maria. Adoro este poeta,este poema descobri,e gostei tanto dele que o devia partilhar.
Beijinho

Agulheta disse...

Sophia.Que os teus desejos sejam partilhados para ti de igual modo,mereces.
Beijinho

Pico minha ilha disse...

David Mourão Ferreira sabia bem do que falava, de um Natal passado, esquecido pelo ser humano, um Natal de todos os dias, um Natal de nascer todos os dias e nunca esquecer o seu verdadeiro sentido.Por aqui tudo correu bem.Um abraço enorme amiga.Beijinhos e bom Domingo

Entre "aspas" disse...

Que 2009 traga tudo o que mais desejares a nível pessoal,familiar e muita Paz No Mundo.
Bjs Zita

quanto pesa o vento? disse...

um desejo de um excelente ano de 2009.
abraço.

Manuela disse...

Olá Elisa, teve muito trabalho neste Natal?
Mas quem faz por gosto não cansa não é verdade?
Lá se passou o meu, com os meus filhos, pais e marido.
Ainda andamos a comer as sobras, até coloquei uma receita no meu blog de culinária.
Beijinhos e Boa Semana
MAnuela

Laura disse...

Claro que fizeste bem em partilhar este poema, acho que seria pecado escondê-lo...
Obrigada por isso, por nos deixares eivar a alma de tanto talento!... laura e Felizes Festas, hoje e sempre.