quarta-feira, dezembro 31, 2008

Fim de Ano 2008



No ano que vai findar,não poderei dizer que foi a cem por cento para mim. Pois logo no princípio do ano de 2008 na noite de 12 para 13 estava de serviço e logo que entro para o mesmo dei uma queda,ao qual me deu uma grande complicação em termos de trabalho e em casa nas minhas coisas do dia a dia.Como sempre me vale a ajuda preciosa do marido e companheiro,pois nos primeiros tempos nem pentear eu conseguia,tomar banho direito pois tinha muitas dores ao fazer força no braço.Andei no seguro,mas o que eles querem é dinheiro,como tal era mais um Bombeiro deste país,que sem respeito por ele o mandaram embora no prazo de dez dias,tive sim de ir ao médico à minha custa e tentar resolver as coisas,pois andei a fazer fisioterapia até princípios de Maio,até ver vou passando bem,embora sem algumas dores nas mudanças do tempo,mas já lá vai. De resto tudo correu mais ou menos,vida cara todos sabemos,contrariedades com o sistema igual,é a lei da vida.
Agora no ano que vai começar,e como gosto de anos ímpares.Este será espero melhor um pouco por menos para os Sagitários dizem? E como somos regidos pelo Júpiter aqui estou esperando coisas boas,pode sair o euromilhões... mas o que quero mesmo é saúde para mim e meus, amigos e familiares,o resto bem por acréscimo.
Aos amigos deste blog,que sejam felizes entrem com o pé direito,saúde e coisas boas,bem hajam por fazerem parte deste blog e da minha vida,embora virtual é sem dúvida,uma parte de mim... obrigados a todos e são bastantes.Lisa

segunda-feira, dezembro 29, 2008

Chamada de Atenção



Hoje andando aqui um pouco dou conta de algo que me desanimou!Eu serei incapaz de tirar um texto um poema que não seja meu e não coloque o nome do respectivo autor,mas hoje aqui dei de caras com um simples poema que fiz como tantos outros com os meus sentimentos e palavras?.Fiquei triste e mais parece a lei da selva,ele foi retirado doutro blog que tenho,mas fiquei triste por tal.
Como sempre digo, o seu a seu dono,deixem o espaço que de certa forma é nosso e de quem o lê livremente,porque as aves de rapina aparecem em muitos lados,até por aqui! Desconhecia isto,as fotos? muitas vezes se tiram mas se coloca o nome,agora o que se escreve,lamento as mentalidades.
O meu obrigado a quem entenda,os que assim não entenderem! Obrigados por lerem o desabafo em fim de ano.
Lisa

sábado, dezembro 27, 2008

NATAL À BEIRA-RIO



É o braço do abeto a bater na vidraça?
E o ponteiro pequeno a caminho da meta!
Cala-te, vento velho! É o Natal que passa,
A trazer-me da água a infância ressurrecta.
Da casa onde nasci via-se perto o rio.
Tão novos os meus Pais, tão novos no passado!
E o Menino nascia a bordo de um navio
Que ficava, no cais, à noite iluminado...
Ó noite de Natal, que travo a maresia!
Depois fui não sei quem que se perdeu na terra.
E quanto mais na terra a terra me envolvia
E quanto mais na terra fazia o norte de quem erra.
Vem tu, Poesia, vem, agora conduzir-me
À beira desse cais onde Jesus nascia...
Serei dos que afinal, errando em terra firme,
Precisam de Jesus, de Mar, ou de Poesia?

David Mourão Ferreira

segunda-feira, dezembro 22, 2008

Mensagem de Natal



O Natal aqui está!bem perto de todos nós. Para uns será mais um dia, para outros a saudade dos que partiram e faltam,para outros a ânsia do gasto e desperdiço? mas para os que pensam como humanos,se lembram dos que tem fome,dos pedintes de rua,dos sem trabalho,da fome e de muita miséria por este mundo fora.
Se calhar poderia ser diferente,por menos se algumas mentalidades mudassem,nem nesta hora dão tréguas,porque não tem algo,tudo lhe faz falta! mas se eu olhar bem debaixo do meu nariz,muitos outros sofrem bem mais do que eu,temos de partilhar e não ter tanta ganância no dia a dia,só assim poderemos ter um Natal diferente,com mentalidades diferentes.... devemos lembrar! Abaixo de nós haverá sempre alguém pior do que eu.
Feliz Natal a todos com saúde amizade e solidariedade sempre,a minha parte eu fiz,espero que outros se entreguem um pouco,não custa nada basta querer e amar o seu semelhante.Para todos em roda da mesa da família dizer,eu foi capaz de fazer e ajudar e poder confraternizar com os meus e seus!E dizer é Natal em solidariedade e fraternidade.
Lisa

sexta-feira, dezembro 19, 2008

Se Existe Amor



Se existe amor, há também esperança de existirem verdadeiras famílias, verdadeira fraternidade, verdadeira igualdade e verdadeira paz. Se não há mais amor dentro de você, se você continua a ver os outros como inimigos, não importa o conhecimento ou o nível de instrução que você tenha, não importa o progresso material que alcance, só haverá sofrimento e confusão no cômputo final. O homem vai continuar enganando e subjugando outros homens, mas insultar ou maltratar os outros é algo sem propósito. O fundamento de toda prática espiritual é o amor. Que você o pratique bem é meu único pedido.

Dalai Lama

quarta-feira, dezembro 17, 2008

Palavras



Estes dias o tempo não tem sido muito para visitar os amigos.Tenho tido serviço para fazer de voluntariado e outras coisas minhas e o tempo não chega para tudo! Os amigos que por aqui passam gosto deles sempre e não me esqueço,irei visitando aos poucos,pois neste espaço conheci pessoas maravilhosas de bom coração e amizade qb.
Nesta data onde os corações estão mais vulneráveis por tantas coisas que nos rodeiam no dia a dia. Muita gente sem emprego,crianças desamparadas sem pai nem mãe,idosos sem ninguém que cuide deles? E continuo a ver muita riqueza falsa,a meterem dinheiro para os bolsos que não é deles,e daqueles que pagam impostos,que somos nós todos. Depois aparecem a brincar à caridade como no antigamente! para aparecer nos jornais e revistas cor de rosa assim vai este mundo supérfluo sem ter por onde lhe peguem.Ricos cada vez mais ricos, e pobres a ir ao fundo do poço,se formos ver os hotéis para a passagem de ano estão cheios... eu pergunto com quem,eu não vou, estou no meu lar,se entretanto do outro lado ninguém chamar,mas de uma coisa tenho a certeza,pouso a cabeça no travesseiro e durmo tranquila e responsável perante os outros.

terça-feira, dezembro 16, 2008

Natal, e não Dezembro



Entremos, apressados, friorentos,
numa gruta, no bojo de um navio,
num presépio, num prédio, num presídio
no prédio que amanhã for demolido...
Entremos, inseguros, mas entremos.
Entremos e depressa, em qualquer sítio,
porque esta noite chama-se Dezembro,
porque sofremos, porque temos frio.

Entremos, dois a dois: somos duzentos,
duzentos mil, doze milhões de nada.
Procuremos o rastro de uma casa,
a cave, a gruta, o sulco de uma nave...
Entremos, despojados, mas entremos.
De mãos dadas talvez o fogo nasça,
talvez seja Natal e não Dezembro,
talvez universal a consoada.

David Mourão-Ferreira

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Recomeça...



Recomeça... se puderes, sem angústia e sem pressa e os passos que deres, nesse caminho duro do futuro, dá-os em liberdade, enquanto não alcances não descanses, de nenhum fruto queiras só metade.

Miguel Torga

sexta-feira, dezembro 12, 2008

Carlos Santana - Love To The People

Como podem ver os meus gostos musicais se prendem por música latina.Este vídeo como escolha musical e de fim-de-semana será este,que tem um título algo que todos devemos tentar e aprender a amar um pouco mais os outros.

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Presente de Natal



Neste natal gostaria de oferecer de presente a algumas pessoas. Se calhar uma safa para apagar as mágoas do coração, um ancinho para tirar as ervas daninhas que germinam em nossa volta, que não deixa ser livre o pensamento. Um grande olhar para o mundo, ver o que nos rodeia e saber enfrentar com alguma serenidade, a violência diária que nos entra pela porta dentro. Num gesto de esperança sonhar, que podemos amar e sempre amar. Dar e partilhar este planeta, abrir o coração dos que tem muito dinheiro e valor para distribuir pelo mundo, onde as crianças morrem a todo o instante e segundo.
Pensar! E contar estrelas, como elas brilham para todos nós sem excepção, para os que tem muito e para os que nada tem, mas que as contam, com seus olhos sem brilho de fome e miséria.
Me sentar ao canto da lareira, olhar em redor e ver a família unida em paz e amor, esta seria uma boa prenda para todos, nada de coitadinhos, mas muita dignidade para todos. Sem ver crianças no meio da destruição da guerra implorando o seu lugar de criança, neste e noutros Natais.

segunda-feira, dezembro 08, 2008

JOHN LENNON

John Winston Ono Lennon, baptizado como John Winston Lennon, MBE, (Liverpool, 9 de Outubro de 1940 — Nova Iorque, 8 de Dezembro de 1980) foi um ícone do século XX, músico, cantor, compositor, escritor e activista em favor da paz britânica.
John Lennon ganhou notoriedade mundial como um dos integrantes do grupo de rock britânico The Beatles. Na época da existência dos Beatles, John Lennon formou com Paul McCartney o que seria uma das mais famosas duplas de compositores de todos os tempos, a dupla Lennon/McCartney. Em 1968, John Lennon apaixonou-se pela artista plástica Yoko Ono e depois disto ela se tornou a pessoa mais importante na vida e carreira do músico inglês. Em 1970, os Beatles chegaram ao fim e a partir de então John dedicou-se a carreira solo.

Afastado da música desde 1975, por se dedicar mais a família desde o nascimento de seu filho com Yoko Ono, Sean Lennon, John voltou aos estúdios em 1980 para gravar um novo álbum. Era como um recomeço. Porém em 8 de Dezembro do mesmo ano, John foi assassinado em Nova York por Mark David Chapman quando retornava do estúdio de gravação junto com a mulher.



Neste vídeo onde se pode ver as guerras que atormentam o mundo violento em que vivemos,ele foi um homem de paz.Por isso alguém que não gostava das suas ideias o matou. As mesmas causas que muitos de nós repudiamos e nos tentam calar, pois temos visão das coisas que nos rodeiam,a fome,a ganância,a guerra.A falta de tanta coisa pois somos demais pequenos para tentar ajudar. Pois estou de acordo que só temos um bom Natal,quando todos tiverem os mesmos direitos como homens e mulheres deste planeta,e se acabarem as ditaduras que criam em sua volta estes desastres,e guerras consecutivas por causa de interesses comuns,em defesa de uns para mal dos outros

sexta-feira, dezembro 05, 2008

Tango Argentino

Para o fim de semana nada melhor que um belo Tango, aquele que muitos lembram e gostam! eu adoro,só me falta o par que dance assim, o meu é um pouco pé de chumbo... é o que tenho. Não se entusiasmem muito, pois este é realmente muito sensual.

quarta-feira, dezembro 03, 2008

AMIGO



Amigo, toma para ti o que quiseres,
passeia o teu olhar pelos meus recantos,
e se assim o desejas, dou-te a alma inteira,
com suas brancas avenidas e canções.
Amigo - faz com que na tarde se desvaneça
este inútil e velho desejo de vencer.

Bebe do meu cântaro se tens sede.

Amigo - faz com que na tarde se desvaneça
este desejo de que todas as roseiras
me pertençam.

Amigo,
se tens fome come do meu pão.
Tudo, amigo, o fiz para ti. Tudo isto
que sem olhares verás na minha casa vazia:
tudo isto que sobe pelo muros direitos
- como o meu coração - sempre buscando altura.

Sorris-te - amigo. Que importa! Ninguém sabe
entregar nas mãos o que se esconde dentro,
mas eu dou-te a alma, ânfora de suaves néctares,
e toda eu ta dou... Menos aquela lembrança...

... Que na minha herdade vazia aquele amor perdido
é uma rosa branca que se abre em silêncio...

Pablo Neruda

terça-feira, dezembro 02, 2008

Pensamento



Tarde fria e cinzenta onde o sol se esconde. No crepitar do lume na velha lareira, sinto a falta dos dias que passarem,da falta dos pais e dos avós. Estas são saudades, do aproximar do Natal e da casa cheia, dos cheiros que ficam, e do carinho materno.Os olhos desviam do lume e o pensamento voa alto,como que a dizer vou partir! para não ver a solidão dos outros,a tristeza dos velhos, dos que não tem pão nem lar,dos que desfiam a madrugada ao acaso da desgraça.Sabemos que um só a pensar não pode mudar o mundo,mas se todos pensassem junto!Talvez para fazer um grande elo de esperança e solidariedade. Só sei; que por onde passar,levarei aquela palavra de afecto e a alegria de um sorriso,como um pensamento vadio de um dia a olhar para a velha lareira.
Lisa

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Chamas



Fui eu quem desceu o rio da vergonha pela primeira vez
Despido de qualquer idéia do rebanho
Atarantado e suavizado pela validade da ação
Aos gados, a terra; aos peixes, o mar; as homens, a liberdade
Estava escrito no peito do lúcido e misterioso ancião
Eu mesmo li sem precisar de lentes especiais
Pulsava firme a idéia tal qual nos primeiros anos
E revelava além do que a boca permitia expressar
Enxuguei-me e voltei a pensar nas tardes sombrias
Em um mês pesaroso e cruel
Lembrei-me das obrigações insensatas e inúteis
Agora tão distantes e ainda mais absurdas
Aonde estou, não vejo tantas leis a cumprimentar-me
Capazes de enfastiar até o gado mais estúpido - não fosse a hipnose
Abandonei o chocalho pregado em meu pescoço desde o nascimento
Não quero ser encontrado, localizado, rastreado
Do meu passado, apenas o casco das minhas unhas
Porque a realidade que vivo é a aventura mais humana
Sem posses e sem concessões, sem medo e sem violência
Desperto e renovado, fortalecido e revitalizado
Em chamas para iluminar a consciência que reside em mim

Bernardo Almeida