quinta-feira, novembro 06, 2008

A Sophia de Mello Breyner Andresen



Neste dia e nesta data,nada melhor que recordar uma poetisa de conto e poesia. Sophia de Mello Breyner,da mulher e da sua obra.Muitas escritas ao Mar que ela adorava.Veio a tornar-se uma das figuras mais representativas de uma atitude política liberal, apoiando o movimento monárquico e denunciando o regime Salazarista e os seus seguidores,nasceu no Porto a 6 de Novembro de 1919 e morre em Lisboa em 2004,para ela nada mais se poderá dizer, a alguém que escreveu assim.


As pessoas sensíveis

As pessoas sensíveis não são capazes
De matar galinhas
Porém são capazes
De comer galinhas

O dinheiro cheira a pobre e cheira
À roupa do seu corpo
Aquela roupa
Que depois da chuva secou sobre o corpo
Porque não tinham outra
O dinheiro cheira a pobre e cheira
A roupa
Que depois do suor não foi lavada
Porque não tinham outra

"Ganharás o pão com o suor do teu rosto"
Assim nos foi imposto
E não:
"Com o suor dos outros ganharás o pão."

Ó vendilhões do templo
Ó construtores
Das grandes estátuas balofas e pesadas
Ó cheios de devoção e de proveito

Perdoai-lhes Senhor
Porque eles sabem o que fazem.

Sophia de Mello Breyner

6 comentários:

tempoparaamar disse...

Agora já sei de quem era o aniversário.Quando postei Sofia não sabia que fazia anos de sua morte.Este poema aqui tem muita refleção pois por detrás do escrito está algo mais que nem todos conseguem exergar, é assim os poemas de Sofia de difícil interpretação.Beijinhos amiga

Laura disse...

Já tinha escrito e escafedeu-se... volto à carga de novo...
Pouca poesia desta autora li, mas esta acho-a divinal e claro que é a protestar contra os homens os negociantes, os chefes empregadores que têm o povo a trabalhar para eles e mal pagos... é essa a referência a ganhar o pão com o suor do nosso rosto e não com o suor dos outros!... tem razão e os vendilhões do templo são os mesmos de ontem e hoje, os hopócritas mercadores que se servem de qualquer lugar para fazer negócios, mesmo num Templo!...e é o que se vê...
Beijinhos.

Secreta disse...

Excelente poetisa , ela.
Beijito.

Agulheta disse...

Salomé.Sempre gostei de Sophia,foi uma poeta atenta a muitas coisas da sociedade,por isso a sua luta.
Beijinho amiga

Agulheta disse...

Laura. Como dia a poetisa! temos e teremos tantos vendilhões e vendidos?Beijinho amiga

Agulheta disse...

Secreta.Interventiva e atenta as causas.Beijinho BFS