domingo, novembro 30, 2008

A Neve na Terra

Aqui se pode ver os cavalos,mesmo junto à estrada municipal.Pois os mesmos costumam andar bem no alto da montanha,numa freguesia chamada Aboim.


Aqui o lugar se chama Lagoa,onde se situa o parque eólico


Se pode ver alguns flocos de neve que no momento caia e ficava na objectiva da máquina



Ontem a natureza teve que me dar uma prenda,acordei olhando para as serras que rodeiam o conselho e vejo neve muita neve.Como sou um bocado (criança)tive que logo a seguir ao almoço ver e caminhar pelas estradas em cima da mesma. Andavam os carros da câmara no local para algo que fosse necessário,e algumas famílias com crianças para admirar a natureza.O que mais gostei foi de ver os cavalos garranos,mesmo junto a estrada descendo pelo monte abaixo lindo de ver.Hoje tem estado muito frio,só se esta bem junto a uma lareira,onde lá permaneci durante a tarde,e só vim aqui agora ver e responder aos amigos,nas fotos que aqui vou colocar podem ver.

sábado, novembro 29, 2008

Aniversário



Neste dia de Novembro 29 pelas 21:00 nascia uma menina na maternidade de Júlio Dinis,na bela e bonita Cidade do Porto.De cabelos louros e olhos castanhos esverdeados,à qual lhe foi dado o nome Maria Elisa,para estes amigos (agulheta)era o encanto dos pais pois era a primeira filha,dando grandes alegrias a seus pais.Aluna brilhante e traquina,gostando sempre da música e dos livros.Foi crescendo na bela Invicta,e só o amor a fez viajar para outro lugar onde permanece feliz e realizada,amiga do seu amigo,lutadora não vira a cara a luta do dia a dia.
Esta sou eu,mulher de pensamento livre e apaixonada pelo que me rodeia.

sexta-feira, novembro 28, 2008

Bolero

Como é fim de semana nada melhor que um passo de dança. O tempo convida ou relaxe,e como por aqui vai haver uma festinha em casa! vamos ouvir, e dançar ao som do bolero,que convida ao amor.

Bolero♫sigamos pecando ♫ Hermanos Arriagada

quinta-feira, novembro 27, 2008

A FORÇA



No poste anterior disse que foi proposto um louvor ao colega, pois o mesmo aguarda que seja imposto, pelo altruísmo e amor aos outros, depois darei a noticia.

A Força

A força é algo que distingue um voluntário.Tem que ser desprendido de muita coisa.Ter valores morais e de boa conduta para o fim a que se propõe, ter uma cabeça no lugar e sadia que nada o faça voltar atrás, quando as coisas ficam perante seus olhos, mesmo que o coração fraqueje no momento, e doía muito. Sempre tive um grande apoio familiar, mesmo quando a dor vinha ao de cima, lá estava o braço amigo e sincero para me aconchegar. Uma das coisas que sempre me fez animar, a música, a dança e a minha leitura, para aliviar a cabeça das horas difíceis do momento, então esqueço um pouco para depois voltar a fazer o que gosto e sei. O meu voluntariado, de outros valores me regem, estimar para ser estimado. Compreender os amigos, ajudar no que possa. A minha família é das coisas mais ricas que tenho, o dinheiro passa, os valores humanos ficam, nada melhor que isto. Que bom é abrir os olhos e estar bem, ver o que nos rodeia igual, para quê guerras por tudo e por nada, custa sim ver certas coisas, que as pessoas não tem sensabilidade. Pessoas sem escrúpulos no dia a dia, sempre a fazer mal aos outros, por tudo e por nada. Por tudo isto sou rica com aquilo que tenho e nada mais peço,ser feliz chega.
Lisa

quarta-feira, novembro 26, 2008

Abraço e Solidariedade



Vou contar algo que não é história mas uma noticia verdadeira.Como muitos sabem,sou bombeiro(a) voluntário,e muito tenho orgulho da farda que visto à alguns anos,muitos tem sido os dias mal passados. Mas o que reconforta,mesmo é o lema vida por vida. Quando tudo acaba bem, melhor ainda, na volta vimos felizes e contentes neste abraço de solidariedade e boa vontade.
Pois à duas semanas,estando de serviço ao piquete nocturno,fomos chamados para acudir numa aldeia vizinha,um homem que se tinha atirado a um poço,pois o filho deste homem vindo o seu pai no fundo do mesmo,se amarrou a uma corda e se atirou ao mesmo tentando salvar o pai,só que o poço tinha muita água era fundo e nada conseguiu.Pois se não fosse a prontidão de chegada ao local,os dois teriam lá ficado.Chegados ao local logo se tentou tudo, uma vez que era de noite e pouco se via. Pois aí entra um colega meu e vai ao fundo do poço,trazendo para fora com vida os dois homens,pai e filho,pondo em risco a sua vida. O primeiro a sair teve socorro no local de uma equipa e viatura da VEMER,estava inconsciente,o segundo com hipotermia ,mas se salvaram e tiraram com vida.Foram para uma unidade de saúde e estão bem felizmente. Para este colega foi pedido pelo Comando e Direcção uma condecoração pela força e coragem e abnegação da vida pelos outros.É neste abraço de solidariedade,que me coloco e abrange o pensamento

terça-feira, novembro 25, 2008

EMBRIAGUEM-SE



É preciso estar sempre embriagado. Aí está: eis a única questão. Para não sentirem o fardo horrível do Tempo que verga e inclina para a terra, é preciso que se embriaguem sem descanso.
Com quê? Com vinho, poesia ou virtude, a escolher. Mas embriaguem-se.
E se, porventura, nos degraus de um palácio, sobre a relva verde de um fosso, na solidão morna do quarto, a embriaguez diminuir ou desaparecer quando você acordar, pergunte ao vento, à vaga, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo que flui, a tudo que geme, a tudo que gira, a tudo que canta, a tudo que fala, pergunte que horas são; e o vento, a vaga, a estrela, o pássaro, o relógio responderão: "É hora de embriagar-se! Para não serem os escravos martirizados do Tempo, embriaguem-se; embriaguem-se sem descanso". Com vinho, poesia ou virtude, a escolher.

Charles Baudelaire

segunda-feira, novembro 24, 2008

OCEANOS



Os oceanos são feitos de gotas d'água...

Para ser ouvido, fale, para ser compreendido, exponha claramente suas idéias sem jamais abrir mão daquelas que julga fundamentais apenas para que os outros o aceitem.
Acima de tudo, busque o prazer antes do sucesso, a auto-realização antes do dinheiro, o fazer bem feito antes de pensar em obter qualquer recompensa.
Nenhum reconhecimento externo vai substituir a alegria de poder ser você mesmo.
Para poder recomeçar sempre, perdoe-se pelos fracassos e erros que cometer, aprenda com eles e, a partir deles, programe suas próximas ações.
Nunca se deixe iludir que será possível fazer tudo num dia só ou quando tiver todos os recursos: tal dia nunca virá.
Para se manter motivado, sonhe.
Para realizar, planeje, pensando grande e fazendo pequeno, um pouco a cada dia e todos os dias um pouco, Porque são pequenas gotas d'água que fazem todo o grande oceano...

(autor desconhecido)

sexta-feira, novembro 21, 2008

Samba



Para descontrair no fim de semana,vamos dançar um pouco para não lembrar das tristezas do dia a dia. Sejam felizes, vou fazer por tal.
Já agora vejam o cavalheiro com ritmo e descontração que conduz a dama,e pela forma como dança.

ESTE SAMBA SE DANÇA NO SOCIAL,OU SEJA DANÇA DE SALÃO

quinta-feira, novembro 20, 2008

Sonhos Feitos ou Desfeitos!



Duas coisas na vida são iguais. No nascer e no morrer, uns nascem em berço de ouro, outros de simples palhas. Mas a uma coisa todos temos direito, aos sonhos. Tantos são que afloram na vida de cada um, que raras vezes não podemos concretizar.
Uns pela falta de meios económicos, outros por falta de trabalho, outros pela doença.
Então se somos iguais porque não podemos! Quem falha com nós a sociedade consumista que nos enterra e não dá espaço para conseguir, a política, falta de capacidade…acho que não e disso somos capaz já demos muitas provas.
Como sempre gosto de observar o que me rodeia, e sou atenta a muitas coisas, cada vez vejo pessoas com menos meios para realizar os sonhos que um dia sonharam para si e filhos, hoje estão virados ao fracasso porque a sociedade ou alguém com responsabilidade, lhe corta as pernas para acabar com o sonho.
Mas temos os protegidos da sociedade, os que comparam tudo feito e a horas, depois se choram por qualquer coisa, não tem e não tem, e pronto, lá vai mais um dinheirito para o bolso, a isto chamo a lei do mais forte pelo fraco. Perante isto quem tem responsabilidade deve olhar para o lado e ver, quem tem necessidade de ajuda, porque na hora de ir, para o outro lado, somos iguais! Mas aí os protegidos levam a caixa mais dura para não ter frio…o pobre serve uma caixa qualquer, até embrulhado ele vai, se for o caso, e se tiver quem pague a partida… estão a pensar, para onde, para o outro lado, o mesmo que não tem volta, E lá se acabam os sonhos, de uns e de outros, mas uns levam na bagagem tudo que viram e gozaram. Os outros levam uma vida de tristeza e solidão, e seu sonho morreu ali naquele dia e naquela hora

terça-feira, novembro 18, 2008

Como fazer um amor durar


(foto google)

Uma mãe e a sua filha estavam a caminhar pela praia. Num certo ponto, a menina disse :
- Como se faz para manter um amor ?
A mãe olhou para a filha e respondeu :
- Pega num pouco de areia e fecha a mão com força...
A menina assim fez e reparou que quanto mais forte apertava a areia com a mão com mais velocidade a areia se escapava.
- Mamãe, mas assim a areia cai !!!
- Eu sei, agora abre completamente a mão...
A menina assim fez mas veio um vento forte e levou consigo a areia que restava na sua mão.
- Assim também não consigo mantê-la na minha mão!
A mãe, sempre a sorrir disse-lhe :
- Agora pega outra vez num pouco de areia e mantenha na mão semi-aberta como se fosse uma colher...
bastante fechada para protegê-la e bastante aberta para lhe dar liberdade.
A menina experimenta e vê que a areia não se escapa da mão e está protegida do vento.
É assim que se faz durar um amor...

(desconhecido o autor)

segunda-feira, novembro 17, 2008

Orla marítima




O tempo das suaves raparigas
é junto ao mar ao longo das avenidas
ao sol dos solitários dias de dezembro
Tudo ali pára como nas fotografias
É a tarde de agosto o rio a música o teu rosto
alegre e jovem hoje ainda quando tudo ia mudar
És tu surges de branco pela rua antigamente
noite iluminada noite de nuvens ó melhor mulher
(E nos alpes o cansado humanista canta alegremente)
«Mudança possui tudo»? Nada muda
nem sequer o cultor dos sistemáticos cuidados
levanta a dobra da tragédia nestas brancas horas
Deus anda à beira de água calça arregaçada
como um homem se deita como um homem se levanta
Somos crianças feitas para grandes férias
pássaros pedradas de calor
atiradas ao frio em redor
pássaros compêndios de vida
e morte resumida agasalhada em asas
Ali fica o retrato destes dias
Gestos e pensamentos tudo fixo
Manhã dos outros não nossa manhã
pagão solar de uma alegria calma
De terra vem a água e da água a alma
o tempo é a maré que leva e traz
o mar às praias onde eternamente somos
Sabemos agora em que medida merecemos a vida

Ruy Belo

domingo, novembro 16, 2008

Dia da Memória das Vítimas Acidentes Redoviários



Neste dia de triste memória para muitos,quero lembrar que nós sabemos e vimos com nossos olhos,a desgraça que bate a porta de cada um num minuto ou segundo.
Na minha vida de socorro e Bombeiro que sou,lamento as perdas, a vida humana não tem preço,o chegar aos locais e ver as coisas que ficam diante dos nossos olhos para fazer, ou por menos tentar.Quando estamos de serviço,e nos encostamos durante a noite,principalmente no fim de semana,logo sentimos no burburinho e da azafama no quartel,que algo se está a passar,começa a tocar telefones e a sirene,toca a sair a toda a presa para o local,a chegada lá nos deparamos,com coisas que jamais em tempo algum iremos esquecer.E quando no local é alguém que conhecemos e lidamos no dia a dia! aí o sofrimento se torna maior, na foto que irei colocar foi de um acidente depois de uma noite mal dormida e de alguma euforia,acabou muito mal para os ocupantes,jovens que ali perderam a vida,a velocidade é muita e poucos a respeitam,a bebida e falta de civismo à mistura,assim é esta vida de todos os dias e todas as horas.
Para as vítimas da estrada que poderiam ser nossa família ou nós,a paz estejam com todos eles.

sexta-feira, novembro 14, 2008

Desabafo



Hoje me apetece-me falar de amor e de flores.Pois estas coisas por menos nos trazem alegria,estou farta de ver e ouvir,lutas disto lutas daquilo.Assim nunca chegaremos a lado nenhum,ninguém quer regras.Elas começam do berço e das ideias de cada um.Depois se liga a TV e o que se vê aluno bate no professor,ou vice-versa, pais que não se entendem na educação dos filhos.Ainda estes dias o que vi,alunos com má formação,sem regras de sociedade e cidadania,algo que é muito importante,é ser bem formado,eu tive vergonha do que vi,depois levaram atrás de si outros que nem idade tem para se manifestar. As autoridades é o que se sabe,é tudo a molha e fé em Deus,assim não chegamos a Europa,que cada vez fica mais aquém de nós.
Se fazem acordos,logo de seguida desfeitos,se começam as aulas está tudo bem,e logo de seguida não? tenho dúvidas,que as coisas estejam a bater certo,pois ainda hoje a minha neta recebeu um sms,para faltar as aulas! Ela só tem doze anos,estuda no ciclo e não na secundária,como é que alunos de outra escola sabem os números dos telemóveis? serão bruxos,ou alguém com mais capacidade os informa...fica no ar. Então falo de flores,por menos elas nos enfeitam a casa e dão belo cheiro e alegram os corações. De amor falo para as coisas que amo e adoro e sou correspondida.
Aqueles que não gostaram das palavras (sermão) desculpem as ideias, mas é isto que penso,e o faço da minha cabeça. Lisa

Bom fim de semana aquem visita

quarta-feira, novembro 12, 2008

VOO



Todo o pássaro sofre do infinito prazer
De ter
do mundo uma visão abrangente

Orgia de assas
A estilhaçar os céus, a cortar o sol no brilho quieto

A matar os ares, no hálito rubro
todo o pássaro, sofre do infinuto prazer de abraçar. O mundo com as asas e o olhar

Guilherme Correia dos Santos

terça-feira, novembro 11, 2008

Provérbios S. Martinho



No dia de São Martinho, mata o porco e prova o teu vinho.
Pelo São Martinho, abatoca o pipinho.
Pelo São Martinho, lume, castanhas e vinho.



Em dia de São Martinho, semeia os teus alhos e prova o teu vinho.
Em Novembro põe tudo a secar que pode o Sol não voltar.

segunda-feira, novembro 10, 2008

Vive o Instante que Passa



Vive o instante que passa. Vive-o intensamente até à última gota de sangue. É um instante banal, nada há nele que o distinga de mil outros instantes vividos. E no entanto ele é o único por ser irrepetível e isso o distingue de qualquer outro. Porque nunca mais ele será o mesmo nem tu que o estás vivendo. Absorve-o todo em ti, impregna-te dele e que ele não seja pois em vão no dar-se-te todo a ti. Olha o sol difícil entre as nuvens, respira à profundidade de ti, ouve o vento. Escuta as vozes longínquas de crianças, o ruído de um motor que passa na estrada, o silêncio que isso envolve e que fica. E pensa-te a ti que disso te apercebes, sê vivo aí, pensa-te vivo aí, sente-te aí. E que nada se perca infinitesimalmente no mundo que vives e na pessoa que és. Assim o dom estúpido e miraculoso da vida não será a estupidez maior de o não teres cumprido integralmente, de o teres desperdiçado numa vida que terá fim.

Virgílio Ferreira

sexta-feira, novembro 07, 2008

Sem Poesia não há Humanidade



Sem Poesia não há Humanidade. É ela a mais profunda e a mais etérea manifestação da nossa alma. A intuição poética ou orfaica antecede, como fonte original, o conhecimento euclidiano ou científico. E nos dá o sentido mais perfeito e harmónico da vida. Aperfeiçoando o ser humano, afasta-o do antropóide e aproxima-o dos antropos. Que a mocidade actual, obcecada pela bola e pelo cinema, reduzida quase a uma fotografia peculiar e uma espécie de máquina de fazer pontapés, despreza o seu aperfeiçoamento moral; e, com o seu fato de macaco, prefere regressar à Selva a regressar ao Paraíso. E assim, igualando-se aos bichos, mente ao seu destino, que é ser o coração e a consciência do Universo: o sagrado coração e o santo espírito. Eis o destino do homem, desde que se tornou consciente. E tornou-se consciente, porque tal acontecimento estava contido nas possibilidades da Natureza. Sim, a nossa consciência é a própria Natureza numa autocontemplação maravilhosa. Ou é o próprio Criador numa visão da sua obra, através do homem. E, vendo-a, desejou corrigi-la, transfigurando-se em Redentor.

Teixeira de Pascoaes

quinta-feira, novembro 06, 2008

A Sophia de Mello Breyner Andresen



Neste dia e nesta data,nada melhor que recordar uma poetisa de conto e poesia. Sophia de Mello Breyner,da mulher e da sua obra.Muitas escritas ao Mar que ela adorava.Veio a tornar-se uma das figuras mais representativas de uma atitude política liberal, apoiando o movimento monárquico e denunciando o regime Salazarista e os seus seguidores,nasceu no Porto a 6 de Novembro de 1919 e morre em Lisboa em 2004,para ela nada mais se poderá dizer, a alguém que escreveu assim.


As pessoas sensíveis

As pessoas sensíveis não são capazes
De matar galinhas
Porém são capazes
De comer galinhas

O dinheiro cheira a pobre e cheira
À roupa do seu corpo
Aquela roupa
Que depois da chuva secou sobre o corpo
Porque não tinham outra
O dinheiro cheira a pobre e cheira
A roupa
Que depois do suor não foi lavada
Porque não tinham outra

"Ganharás o pão com o suor do teu rosto"
Assim nos foi imposto
E não:
"Com o suor dos outros ganharás o pão."

Ó vendilhões do templo
Ó construtores
Das grandes estátuas balofas e pesadas
Ó cheios de devoção e de proveito

Perdoai-lhes Senhor
Porque eles sabem o que fazem.

Sophia de Mello Breyner

quarta-feira, novembro 05, 2008

Poema do amigo aprendiz



Quero ser o teu amigo. Nem demais e nem de menos.
Nem tão longe e nem tão perto.
Na medida mais precisa que eu puder.
Mas amar-te sem medida e ficar na tua vida,
Da maneira mais discreta que eu souber.
Sem tirar-te a liberdade, sem jamais te sufocar.
Sem forçar tua vontade.
Sem falar, quando for hora de calar.
E sem calar, quando for hora de falar.
Nem ausente, nem presente por demais.
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amigo, mas confesso é tão difícil aprender!
E por isso eu te suplico paciência.
Vou encher este teu rosto de lembranças,
Dá-me tempo, de acertar nossas distâncias...

Fernando Pessoa

terça-feira, novembro 04, 2008

Novembro!!



Neste dia de Novembro me lembrarei sempre de te ver chegar.Com a tua boina preta e tuas convicções,e alegria estampada no rosto.Da forma de escrever e ensinar,como gostavas de partilhar com o teu amigo os teus valores.Mas lembro sobretudo o respeito e defesa dos que menos tinham,como tal gostarias de ler este poema que escolhi para ti,neste dia.

Nova matemática

eles sabem multiplicar
para diminuir
eu seu somar
para dividir.

Aprendi esta nova forma
no alvorecer da aurora
dum Abril
com cravos

Vem amigo
aprender esta nova matemática
larga esse rosário de velhas contas
que tens entrelaçado
nos dedos

Sei somar de muitos
para dividir por todos
vamos propagar esta forma:
somar para dividir
para construir

Álvaro de Oliveira

segunda-feira, novembro 03, 2008

A Onda



Era uma onda que crescera para lá do meio do mar
e mais se alçava em corpulência das ondas que tragava
pelo caminho. Era uma onda ávida.
Com ela rolavam búzios alucinados, estilhaços de
conchas, madeiros, plâncton, algas, o último alento dos
afogados... Era uma onda violenta.
A exaltação que trazia dos confins do horizonte nem
lhe dera para se interrogar sobre qual o desígnio do seu
destino. Era uma onda embriagada de vida.
Desfraldada em cachão, cavalgava para terra. A rojar-se
sobre os primeiros bancos de areia, esboçou enfim a
pergunta:
- Porquê?
Mas já não teve tempo de responder.

Antonio Torrado

domingo, novembro 02, 2008

Flores para os que amei



Depois de o dia de ontem que cheguei tarde e cansada,venho agradecer aos amigos que por aqui vieram e mostraram amizade na sua visita.
Este dia me deixa um pouco com saudade e melancolia do momento,onde vivo as emoções de afectos que me deixaram a algum tempo,por outro lado sinto o mercado que se faz em prol das saudades dos outros,onde se vende tudo e mais alguma coisa as portas dos cemitérios,até certas pessoas fazem da data uma romaria.Deviam ter mais respeito,pelos vivos a família,pois os que partiram nada dizem,nem se manifestam contra a falta de sensibilidade.
Agradeço os comentários a todos os amigos com carinho e amizade. Como disse estou um pouquinho triste e não me apetece escrever muito assim, é a vida e a saudade alguma,amanhã será outro dia.

Aos amigos.
Laura_Mundo Azul_Menina do Rio_Carminda_Guilherme_Uma Ilha_Maria_Sophia Mar