terça-feira, setembro 09, 2008

Era Setembro




Era setembro,ou outro mês qualquer
propício a pequenas crueldades:
a sombra aperta os seus anéis.
Que queres tu ainda?
O sopro das dunas sobre a boca?
A luz quase despida?
Fazer do corpo todo
um lugar desviado do inverno?

Eugénio Andrade

7 comentários:

maria josé quintela disse...

eugénio disse-o muito bem:


setembro é de facto um mês "propício a pequenas crueldades".



um beijo

Agulheta disse...

Olá Maria José.como ele sabia o nosso sentir,em fins de verão.
Beijo Lisa

Papoila disse...

Querida Amiga:
Setembro traz as colheitas, as desfolhadas e as moites começam a lembrar-nos que o Inverno está a chegar.
Bela ilustração para o poema.
Beijos

Meg disse...

Setembro...
O sopro das dunas sobre a boca?
A luz quase despida?
Setembro é o mês da transição e das pequenas surpresas.
Gostei muito do poema que não conhecia.
Um abraço

tempoparaamar disse...

Setembro um mês que recordo e muito, pois fez 20 anos esta semana que conheci meu marido.Beijinhos amiga e obrigada.Salomé
ps:por aqui um pouco melhor

Cöllyßry disse...

Setembro,meu mês...Que gosto muito...

Sempre o bom gosto por aqui impera...

Fica bem, Lisa

Beijitos

Agulheta disse...

Aos amigos que por aqui passaram,deixo o meu carinho e amizade.
Maria José Quintela
Papoila
Meg
Salomé
Collybry
Bem hajam pelo que são
Beijo