quinta-feira, julho 31, 2008

Férias_Pessoas_Animais


Aí está ela a vigiar o peixe




Esta é a burguesa da minha gata,só me atrapalha quando estou a trabalhar

Por altura de férias nos fartamos de ouvir e ler.Idoso abandonado no hospital ou lar"animais abandonados a sua sorte no meio da rua esperando que morra,quer uma coisa quer outra é muito grave. Primeiro as pessoas naturalmente, em segundo os animais,pelas pessoas já vi,idosos a ser mandados para casa do hospital"alta" e leva-los a casa dos familiares e os mesmos dizerem,levem para o hospital eu não tenho tempo nem sítio,é muito grave o que fazem,pois hoje é o Pai ou Mãe,amanhã será um de nós porque o filho nos enjeita.Estamos a viver uma sociedade sem valores,pois toda a gente pobre ou rico devia ter direito a uma casa de acolhimento,independente da sua condição social,ou monetária.Os animais é uma vergonha,que este país proceda assim com aqueles que lhe fazem companhia,e até em certas horas um pouco de alegria,assim é a vida do animal doméstico. Eu tenho gato,mas já tive cães e de algumas raças,hoje não tenho para pena minha,pois tentei ter,mas a minha gata não aceita,é agressiva. só gosta de ser ela a dona das atenções,o canário está alto,senão já devia estar nas garras dela,os peixes se põe a olhar para eles,não no aquário grande mas sim no pequeno da cozinha,até bebe água dele.
Por isso neste verão envergonhado e chuvosos não deite fora os animais,e principalmente os seus idosos nas camas dos hospitais

terça-feira, julho 29, 2008

Tempos Modernos!!!



Neste momento,do que mais gostaria era,que deixassem a violência que se assiste todos os dias,se mata sem razão nem nexo. Ontem por aqui um fulano por rixa de transito dizem,atirou noutro a queima roupa. O respeito pelo semelhante passou ao lado,a miséria é constante,jovens sem futuro casais sem emprego! mas vejo que não será só no nosso país.O mundo está assistir ao desequilíbrio da humanidade,uns com muito, outros com tão pouco.Até custa ver certas coisas,mundo avarento só dinheiro.
Como se pode viver e ver,tanto disparate a solta,se mata por qualquer coisa.Logo de seguida são postos em liberdade,se passa a mão pela cabeça, é vê-los logo de seguida a fazer o mesmo. Se não vejamos nos jornais e meios de comunicação,se não é assim. Fico triste por ver isto todos os dias e em todas as horas,só é cego quem não quer ver,temos de estar alerta com as nossas crianças,sempre a desconfiar no parceiro do lado,no vizinho,etc etc.
Para alegrar a vida nada melhor que um cé azul,com esperança de um mundo melhor

domingo, julho 27, 2008

Prevenção em Férias



Como estamos em época de férias, e uma das preocupações dos pais são as crianças,nada melhor que alguns conselhos úteis.
Para começar; Problema são Piscinas Rios e Praias.
Entre as actividades estivais das crianças,as que oferecem a possibilidade de brincar na água são as que mais agradam imensa maioria delas. Mas quer se trate de uma piscina,um lago,um rio ou o mar,o divertimento na água pode trazer grandes desgostos,caso não se adoptem as devidas precauções e se evite que as as crianças não se afastem em nenhum momento do campo de visão do adulto,para que esta possa socorrê-las se sofrerem algum acidente:o afogamento não é um acidente infantil frequente,mas sim um dos mais perigosos.Ainda que a criança saiba nadar,nunca está totalmente segura,porque pode sofrer um golpe,uma cãibra,que a impeça de flutuar:deve estar sempre vigiada na água,isto é um meio de prevenção.
Na praia escolha praias vigiadas.No caso de um tanque ou rio,não deve entrar na água se não se conhece a profundidade,pois podem existir remoinhos,neste caso os rios ter fundos onde foram retiradas areias,devendo ter em conta que tanto as margens como o fundo podem ser escorregadios.
Pois pela prática de anos já escorreguei na barragem dos Pisões e me vi aflita para conseguir na margem subir as pedras,pois as mesmas tinham muito lodo e estavam escorregadias,com botas ainda pior.
Quem tiver piscina e crianças pequenas,deve estar sempre vigilante,e mais vale comprar um colete,e colocar na criança para ficar mais descansado,pois num abrir e fechar de olhos,basta uma distracção! e temos umas férias tristes,pensem nisto.

quinta-feira, julho 24, 2008

Aniversário do blog




Dia Especial. A criação do blog Mar_de_Chamas. Também um dia especial para mim,porque nesta mesma data foi mãe de outro filho,ou seja o segundo,que me trouxe muitas alegrias e felicidade para juntar a outra que já tinha uma filha.Pois há um ano atrás, aqui neste meu canto e pensando só,me deu em criar um blog,que fala-se um pouco de mim,da minha maneira de ser de coisas passadas no terreno,no dia a dia de alguém que lida com tanta desgraça, e não só.De lágrimas vertidas em momentos difíceis, em serviço e muita aflição, mas de muitas alegrias também, que a minha profissão me deu ao longo dos anos,profissional e Voluntário,do carinho dos amigos e colegas e partilha,dessas lágrimas.
Este canto cresceu deu flores,chamadas de (amizade) assim gosto que seja,bons amigos conheci e gostei,pela sua forma diferente de opinião construtiva e prática e fraterna,assim devem ser os amigos presentes,pois não podemos ser únicos em maneiras de pensar e agir,se algum dia entrei pela voz que fala alto...CORAÇÃO,a esse chamo a Chama que me norteia nas horas em que explode de franqueza mas prontidão e amizade,mas que fica por ali e morre na hora,nada fica a roer por dentro,o que lá está, bem para fora a isto eu chamo...liberdade, de opinião para dizer o que sinto e não aquilo que outros querem fazer de nós,paus mandados... Nunca.
A todos os amigos que me visitaram,obrigados pelas horas perdidas,aqueles que mandam carinhos e amizades o mesmo é retribuído,se os amigos e não só,não deixam um simples olá,os blogs perdem um pouco o sentido,isto é a minha maneira de ver,alguns podem ter grande trabalho,nos mesmos e tenhem! mas tem lá a vontade expressa de cada um,alegrias tristezas e verdades. Eu gosto do trabalho feito,mesmo a correr por vezes.
Para vós façam um brinde para que continue de boa saúde,por mim por vós por todos sempre.
Agulheta

sexta-feira, julho 18, 2008

Bom Fim Semana


Foto da Net

Para os meus amigos,que gosto de comentar sempre que posso,ontem não o pode fazer pois me entrou um vírus no computador,deu luta para tirar,mas felizmente consegui.Quem faz isto em nome de pessoas amigas,não merece respeito e credibilidade,mas sei que muitos só conseguem viver bem com o mal do vizinho,me parece um lema de (Português)mas neste caso parece que veio de outras paragens,tentam estragar o trabalho das pessoas,mas muito tem que andar.Já vi labaredas do alto de grandes casas e nunca tive medo... se não comprava um cão! mas tenho só uma gata,e gosto muito dela,só maldade,por tudo isto nada pode ir para a frente,com mentalidades destas,me tirem deste circo? não entro nele.
Aos amigos que por aqui passem bom fim de semana,sejam felizes e creiam que sempre haverá pessoas de bem em algum lugar,para estes eu tenho no coração.
Esta miúda vai de fim semana,para o lugar da foto que é muito lindo e de muita beleza que tem este Minho
Agulheta

terça-feira, julho 15, 2008

A Fábula do Vento



O que eu te quero contar não foi dito nem escrito na pele de nenhuma página. Ou foi dito e escrito milhares de vezes e milhares de vezes apagado pela própia palavra. Sem visão,no vão esquecimento,tento iniciar uma fábula do vento até à ondulação,até à transparência. Tenho na boca o sabor de um canto que é já o canto de um sabor aéreo. O meu desejo procura construir cálices incendiados,sílabas amorosas,hieroglifos de água e fogo. Não estou no centro mas na orla da distância,na frescura da soberana inteligência do mar.
Reconheço agora todas as qualidades do solêncio,da brancura e da luz e da sia móvel mas permanente equivalência. A interrogação mais pura levanta-se e resolve-se em mil ondas incessantes,nas volutas vertiginosas do vento


António Ramos Rosa

segunda-feira, julho 14, 2008

Ontem à Noite




Ontem à noite, depois da sua partida definitiva, fui para aquela sala do rés-do-chão que dá para o parque, fui para ali onde fico sempre no mês de junho, esse mês que inaugura o Inverno. Tinha varrido a casa, tinha limpo tudo como se fosse antes do meu funeral. Estava tudo depurado de vida, isento, vazio de sinais, e depois disse para comigo: vou começar a escrever para me curar da mentira de um amor que acaba. Tinha lavado as minhas coisas, quatro coisas, estava tudo limpo, o meu corpo, o meu cabelo, a minha roupa, e também aquilo que encerrava o todo, o corpo e a roupa, estes quartos, esta casa, este parque. E depois comecei a escrever...


Marguerite Duras

sábado, julho 12, 2008

Pablo Neruda



Pablo Neruda
Pablo Neruda (Neftalí Ricardo Reyes Basoalto), foi um poeta chileno, um dos mais importantes poetas da língua castelhana do século XX, nascido em Parral (Chile) no dia 12 de Julho de 1904, Filho de José del Carmen Reyes Morales, operário ferroviário, e dona Rosa Basoalto Opazo, professora primária, morta quando Neruda tinha um mês de vida. Cônsul do Chile na Espanha (1934-1938) e no México, eleito senador em 1945, foi embaixador na França (1970). Suas poesias da primeira fase são inspiradas por uma angústia altamente romântica. Passou por uma fase surrealista. Tornou-se marxista e revolucionário, sendo, primeiramente, a voz angustiada da República Espanhola e, depois, das revoluções latino-americanas. Faleceu em Santiago (Chile) no dia 23 de Setembro de 1973.

O teu riso

Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas não
me tires o teu riso.

Não me tires a rosa,
a lança que desfolhas,
a água que de súbito
brota da tua alegria,
a repentina onda
de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso
com os olhos cansados
às vezes por ver
que a terra não muda,
mas ao entrar teu riso
sobe ao céu a procurar-me
e abre-me todas
as portas da vida.

Meu amor, nos momentos
mais escuros solta
o teu riso e se de súbito
vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua,
ri, porque o teu riso
será para as minhas mãos
como uma espada fresca.

À beira do mar, no outono,
teu riso deve erguer
sua cascata de espuma,
e na primavera , amor,
quero teu riso como
a flor que esperava,
a flor azul, a rosa
da minha pátria sonora.

Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
tortas da ilha,
ri-te deste grosseiro
rapaz que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando meus passos vão,
quando voltam meus passos,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.

Pablo Neruda

sexta-feira, julho 11, 2008

Amigos



Muita gente vai entrar e sair da sua vida,
Mas somente verdadeiros amigos deixaram marcas em seu coração.
Para se segurar use a cabeça:Para segurar os outros use o coração.
Ódio é apenas uma curta mensagem de perigo.Grandes mentes discutem idéias;
Mentes medianas discutem eventos;Mentes pequenas discutem pessoas.
Aquele que perde dinheiro, perde muito;Aquele que perde um amigo, perde muito mais;
Aquele que perde a fé perde tudo.Jovem bonito é um acidente da natureza,
Velho bonito é uma obra de arte.Aprenda com os erros dos outros.
Você não pode viver bastante o suficiente para comete-los todos por se só.
Amigos, eu e você...Você trouxe outro amigo...E nós iniciamos um grupo... seu circulo de amigos...E como um circulo, não tem começo nem fim...
Um presente precioso é este momento agora...
Ontem é Historia. Amanhã é mistério. Hoje é uma dádiva.
Mostre a seus amigos o quanto eles são importantes.

Tudo isto é pouco para uma amiga,da qual gosto bastante e como prova de amizade,e de algum esquecimento,no dia de seus anos.. Para ti carminda

quarta-feira, julho 09, 2008

A Espera do Vento




Espero. Espero o vento. Coloco-me na área aberta entre a areia e o sal. O meu desejo é pólen.,delírio da pedra,labirinto de folhas.É talvez a energia da cinza que me move. Escrevo com três vogais de água pura e quatro palavras de sol branco.
Um sinal desenhado na argila,uma minúscula aranha,uma pequena chama no solo,o tremor do ar,tudo indica que as palavras,entre o sono e o sol,se consumarão com a verde energia do desejo liberto

António Ramos Rosa

segunda-feira, julho 07, 2008

O Jardim do Corpo



Ninho de palavras escuras, rumor de folhas e de mãos pequenas,insectos de delicada chama,diminutos fulgores silenciosos. Entre confusas claridades verdes,na plena humidade, o fogo abre a flor do corpo,intacta e branca. Os astros acendem-se como animais que sobem a direcção do vento.
Esta é a morada ardente e sossegada,o obscuro jardim do corpo e das palavras lisas. Uma alegria de formas,de sons,de cores. A navegação luminosas pela árvore do corpo,pela sua água,pelo seu horizonte de lábios. O corpo abriu-se e multiplica-se num só corpo e estremece numa ampla respiração como folhagem solar.

António Ramos Rosa

sexta-feira, julho 04, 2008

Frase




Se eu pudesse deixar algum presente à você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo a fora. Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito aquilo que é indispensável. Além do pão, o trabalho. Além do trabalho, a ação. E, quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída

Mahatma Gandhi

quinta-feira, julho 03, 2008

Ingrid Betancourt

Aqui se vê o afecto e o amor de uma mãe,de todo o seu sofrimento ao longo destes anos.As palavras serão poucas para falar deste caso,a esperança venceu sobre o ódio,o amor venceu a liberdade desta mulher a sua perseverança,o acreditar,que existe algo e muita força para lutar por um ideal,onde a coragem foi mais forte e venceu o medo,a injustiça dos homens. Nunca desmereceu,enfrentou a dor a tortura a doença,sempre na esperança de um dia encontrar a família os seu filhos e sua mãe,que foi uma verdadeira mãe coragem,para enfrentar esta dor da perda da filha.Finalmente Ingrid Betancourt,está em casa junto dos seus,com um final feliz e sem derramar sangue conseguiram tirar aos rebeldes guerrilheiros estes réfens, a outros que estejam nesta condição,a força de lutar nunca deve ficar esquecida,pois atrás de uma montanha está sempre outra com uma luz grande! Que se chama Liberdade e esperança

terça-feira, julho 01, 2008

Floresta


Assim não, é destruir


É bonito de ver o verde


Entramos na época de incêndios dizem! Mas será que há épocas, tenho dúvidas pois muitas vezes arde no inverno! Só basta um pouco de sol, para começar a arder. Todos os anos se gasta milhares em meios e mais meios, mas continuo a ouvir corpos de bombeiros dizerem, que lhe falta algo, fardamento, viaturas condignas para combater os mesmos.
Esta coisa de épocas” nunca aceitei muito, parece a época da caça, da pesca, ou balnear?
Se calhar, dar meios aos Bombeiros, fazer um levantamento nacional, ver quais as necessidades de cada corporação se realmente tem, faltam dos mesmos meios, os que tem mais área florestal…assim acho que seria útil mas não.
Nos anos oitenta, havia alguns fogos e grandes por vezes, mas o amor a camisola era muita, ninguém podia ouvir as sirenes tocar, aí era tudo pela causa, hoje já nada é assim os interesses que entretanto se criaram foram muitos, é tudo a dinheiro, senão é ver se fazem limpeza como devem, cortam a madeira e ficam os ramos nos montes, se vai acumulando manta morta, depois vem tempo de sol e quente lhe chegam o lume, é mais rápido e barato! Basta um fósforo, pois ainda não vi, incendiários a ficarem presos. Deviam obrigar a limpar os donos das matas e até o Estado a fazer a limpeza. Eu sei que pode haver excepções, que a mesma possa arder derivado a causas naturais, mas será muito pouco, o resto sabemos todos como é
Gosto muito da Floresta, bem tratada e devemos cuidar dela, para que todos possa-mos viver e respirar como se deve, precaver a sua destruição olhar pelos seres que nela habitam, para que um dia tudo não passe de um planeta morto e sem vida.
Seria bom deixar para os filhos e netos, a beleza que é a floresta