terça-feira, abril 15, 2008

Longo País do Medo


É a medo que escrevo. A medo penso
A medo sofro e empreendo e calo
A medo peso os termos quando falo
A medo me renego,me convenço.

A medo amo. A medo me pertenço
A medo me repouso no intervalo
De outros medos.A medo é que resvalo
O corpo escrutador,inquieto,tenso.

A medo durmo. A medo acordo. A medo
Invento. A medo passo,a medo fico
A medo meço o pobre, meço o rico

A medo guardo confissão,segredo
Dúvida,fé. A medo. A medo tudo.
Que já me querem cego, surdo, mudo


Assim escreveu José Cutileiro

Rabiscado por Agulheta

10 comentários:

Anónimo disse...

Seria antes da revolução dos cravos, agora não é assim, até há quem fale demais, e que falte mesmo ao respeito a certas pessoas, como foi o caso daquele senhor lá da Madeira!!! é demais. Gostei do poema amiga. Parabéns. cinda

salome disse...

De volta amiga,estive com o pc em revisâo.Agora estou de vista,um pouco mais lento,lá chegarei.Beijinhos e boa Quinta-Feira.Salomé

maresia_mar disse...

olá
lindo, mas esse medo era mais do antes, agora acho que se passou do 8 ao 80, enfim.. Bjhs grandes

Agulheta disse...

Amiga Cinda.
Eu sei,e ainda bem! mas ainda existe gente que tem muito medo de falar,ontem a dar uma vistas pelos livros,que abril abriu,dei lá com este poema e aqui está,espero que gostem,sobre o dito senhor... bem devia ter vergonha,não sabe o que faz nem diz a maioria das vezes,olha passou-se.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Amiga Salomé.
Esta máquina as vezes nos dá problema temos de estar muito atentas.
Beijinho doce Lisa

Agulheta disse...

Maresia.
Pois é amiga,foi uma altura muito má na vida,de algumas pessoas,a minha mãe sofreu bastante por causa do pensamento do meu Pai,passou felizmente.
Beijinho fica bem Lisa

meg disse...

Aos amigos comunico que, inesperadamente,
fui obrigada a mudar de residência.
Espero-vos a partir de agora em
Peço desculpa pela forma como o faço
mas se trata de uma emergência que
espero seja a última.
Aproveito para mandar um abraço do
vosso Amigo Romério para todos


E a Meg espera-vos aqui a partir de agora

http://recalcitrantemor.blogspot.com/

Carminda Pinho disse...

Lisa,
longe vai o medo...felizmente.

Beijos

Agulheta disse...

Amiga Meg.
Pelos vistos,as pessoas não descansam,e ainda tenhem que fazer a vida menos boa a alguns,mas há de tudo.
Beijinho eu vou lá ir de certeza Lisa

Agulheta disse...

Carminda.
Nos meios grandes não se pensa,da mesma maneira dos meios pequenos,tem outros pontos de vista,mas os meus ediais são meus e jamais alguem apagará.
Beijinho Lisa