segunda-feira, março 24, 2008

Faz Anos... Para Lembrar


Óscar Arnulfo Romero Galdámez , conhecido como Monsenhor Romero, (Ciudad Barrios, San Miguel, 15 de agosto de 1917 — San Salvador, 24 de março de 1980) foi um sacerdote católico salvadorenho, quarto arcebispo metropoliano de San Salvador (1977-1980).

Escolhido como arcebispo por seu conservadorismo, uma vez nomeado aderiu à Teologia da Libertação e à não-violência, posição que o levou a ser comparado ao Mahatma Gandhi e a Martin Luther King.

Como arcebispo, Óscar Romero denunciava, em suas homilias dominicais, as numerosas violações de direitos humanos em El Salvador e manifestou publicamente sua solidaridade com as vítimas da violência política, no contexto da Guerra Civil de El Salvador.[1] Dentro da Igreja Católica defendia a "opção preferencial pelos pobres". Na homilia de 11 de novembro de 1977, Monsenhor Romero afirmou: "A missão da Igreja é identificar-se com os pobres. Assim a Igreja encontra sua salvação."
Óscar Romero foi assassinado por um atirador de elite do exército salvadorenho, enquanto celebrava a missa. Sua morte provocou uma onda protestos em todo o mundo e pressões internacionais por reformas, em El Salvador.

Foi declarado servo de Deus pelo Papa João Paulo II.

Rabiscado por Agulheta

18 comentários:

SILÊNCIO CULPADO disse...

É bom que exemplos como este sejam lembrados para que outros se lhes sigam num mundo onde os atentados aos direitos humanos continuam a ser uma constante.

Um abraço

Sophiamar disse...

Gostei muito do teu post, minha querida amiga.É de homens destes que o mundo precisa. Normalmente pagam com a vida, a defesa dos valores que apregoam.
Bem hajas por nos teres trazido este post.

Beijinhossss

O Sussurrar do Corpo disse...

Beijo...

Meg disse...

Ainda bem que trouxeste a memória deste homem. Eu não me lembrava, confesso.
Tanta gente boa esquecida e tanto lixo aí nas bocas do mundo!

Obrigada Lisa

Um abraço

tempoparaamar disse...

Beijinhos amiga...Salomé

manuela disse...

Olá amiga Elisa.
Ainda estou de férias mas venho aqui num instante deixar um beijinho.
Manuela

Agulheta disse...

Olá Lídia.
Agradeco a visita e amizade,ontem lembrei deste homem,que não precisava de mosuléus,para lembrar dos pobres,mas alguém sem carácter o matou,mas os direitos humanos continuam a estar na gaveta.
Beijinho e bem haja por compreender Lisa

Agulheta disse...

Sophia.
Agradeço amiga,pois é como dizes destes!!!mas onde eles andam,pois aqueles que começam a ter medo por os outros falarem,matam para calar.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

O Sussurar do Corpo
Agradecer amiizade e deixo doce beijo Lisa

Agulheta disse...

Meg.
Sabes tenho muitas coisas que guardo para lembrar,este caso é um.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Salomé.
Espero que tudo continue bem,agradeço e retribuo o beijinho.
LISA

Agulheta disse...

Olá Manuela.
Olha cheguei ontem,mas que beleza ainda de férias! é mesmo assim viver enquanto se pode.
Beijinho Lisa

Papoila disse...

Olá Amiga:
Recordaste um grende homem que constitui um exemplo que não pode ser esquecido.
Beijos

elvira carvalho disse...

Gostei do post. O mundo precisa muitos homens assim. Deixo um abraço e o meu agradecimento pelo carinho neste momento difícil da minha vida.
Um abraço

Dream Alive disse...

Fica marcada a passagem desse homem na etapa terrena!

Bem hajm aqueles que falam e escutam!


Beijos!

Agulheta disse...

Papoila.
Pois devemos recordar,homems de bem e não mosuléus,deste haverá poucos.
beijinho Lisa

Agulheta disse...

Elvira.
Agradeço o carinho e amizade,sempre que precises aqui está uma amiga.
abraço e beijinho Lisa

Agulheta disse...

Dream Alive.
Agradeco comentário,dizer que poucos são os que fazem das palavras a virtude dos homems e do bem! este foi.
Beijinho Lisa