sexta-feira, fevereiro 29, 2008

Aves


Não se pode esperar que as aves sonhem
tragam de longe um desejo de pedra e de asas
e flutuem incólumes no vento dos homens
perfeitas no espaço do voo e das penas.
Os homens sonham e se atam ao nó da terra
um desejo de céu lhes destroí as entranhas
e suas asas são duras e inflexiveis
para conter o infinito o voo o espaço pleno.
E assim sonham os homens e as aves voam
na trilha do eterno em longa estirada
nos tempos caminhos (do amor) e da terra
e no dorso do céu onde solto o desejo
(e o peso da carne) se ata à esperança
e as asas se nutrem de nunca morrer
e se prendem e se perdem e se colhem: viver.


Álvaro Pacheco

6 comentários:

Maria disse...

Sonharão as aves????
Porque o homem, quando quer, voa....

Beijinho, Lisa

manuela disse...

Adoro pássaros.
Pena é que me fazem um pouco de alergia.
Bonito texto.
Beijinhos

Manuela

Agulheta disse...

Maria.
Pois de sonho é feito,as aves que temos na lembrança,se elas sonham? gostaria de saber,pois eu sonho sempre em liberdade.
Beijinho Lisa

Agulheta disse...

Manuela.
Eu gosto de tudo que é a natureza,pássaros borboletas,não tenho o problema de alergias felizmente.
Beijinho Lisa

Carminda Pinho disse...

Aves que voam lembram-me sempre a Liberdade...

Beijos

Agulheta disse...

Carminda.
Não és só tu que te lembras da liberdade,eu igual sempre
beijinho Lisa